PSICOLOGIA DA IMAGINAÇÃO – Serendipismo

imaginação

Este é um assunto que me diz muito! Estimular a criatividade nas crianças  pode vir a ser o caminho para uma educação com maior qualidade. Deve  ser potencializada através de novas práticas pedagógicas, um ensino mais personalizado, mais humano e voltado para os reais interesses de cada criança.

Convido-vos a ler mais um excelente artigo de Nelson S.  Lima.

_________________________________

PSICOLOGIA DA IMAGINAÇÃO

Sabe o que é o serendipismo?

Desinibição, curiosidade, elevada inteligência e uma enorme capacidade da chamada “memória de trabalho” (working memory) podem constituir as bases necessárias para ocorrer o processo criativo chamado “serendipismo”.

O “serendipismo” é uma forma de criatividade que é despoletada por uma mente aberta para múltiplas possibilidades. O nome deriva de um conto do século XVIII escrito por Horace Walpole. Envolvia três príncipes de uma ilha que supostamente é hoje o Sri Lanka (no sul da Índia) e que se viam frequentemente surpreendidos com situações que tinham de ser solucionadas com grande imaginação e inteligência para poderem salvar-se dos potenciais perigos.

Considero o “serendipismo” uma das formas mais deliciosas da criatividade humana pois faz com que a imaginação se solte completamente e dê origem às mais diversas ideias. O acaso e a sorte são fatores a ter em consideração. Os criativos tendem a ver nestes fatores uma fonte de inspiração.

A verdade é que a história da criatividade está cheia de exemplos de “serendipismo” – algo que poderia (deveria) ser treinado nas escolas, desde a mais tenra idade.

Sabia que as crianças com menos de 4-5 anos de idade costumam revelar grande capacidade para este tipo de criatividade? Lembremo-nos das brincadeiras da nossa infância onde a imaginação fervilhava de euforia!

Nelson S Lima

Inteligência de Risco – Abordagem de Nelson S. Lima

Businessman and questions

Achei interessante  a abordagem do Prof. Universitário Nelson S. Lima sobre  a INTELIGÊNCIA DE RISCO (apresentada no seu facebook), uma competência essencial a ser  “explicada e treinada nas escolas a partir dos 14 anos de idade”.

Aqui fica a partilha para reflexão! 

“Como alguns amigos já devem saber eu sou um fervoroso adepto da Teoria Triárquica da Inteligência de Robert Sternberg, o qual defende a existências de três inteligências humanas: a analítica, a criativa e a prática (ou executiva). É uma teoria que faz mais sentido do que a das Inteligências Múltiplas de H. Gardner, a maioria das quais são mais habilidades do que propriamente inteligências (o próprio autor o reconhece num dos seus livros).

A Risk Intelligence (inteligência de risco) permite-nos, em última análise, fazer uma avaliação das consequências de decisões antes de as tomarmos. É então uma inteligência que se processa através de intrincadas conexões entre diversos factores: capacidade de visualização, previsão, antecipação, recolha e cruzamento de dados, definição de objetivos, pré-avaliação, preparação de alternativas (plano A, plano B, etc.), estratégias, execução e monitorização. Processa-se, sobretudo, nos chamados “Lobos Frontais”, a região mais recente e mais evoluída do nosso cérebro.

É uma inteligência do tipo lógico-matemático mas é-lhe superior porque exige outros predicados cognitivos (ou intelectuais). Foi muito bem descrita por autores como David Apgar e Dylan Evans.

Deveria ser explicada e treinada nas escolas a partir dos 14 anos de idade e na universidade (especialmente em cursos como Gestão, Medicina, Engenharia, etc.).

Nelson S Lima

Fonte: https://www.facebook.com/nelson.s.lima?fref=tl_fr_box&pnref=lhc.friends

 

Inovação sustentável – Telhas fotovoltaicas

Imagem1

Mais uma inovação sustentável no mercado da construção civil que está a ser divulgado na Europa e Estados Unidos. São as telhas solares mais conhecidas por telhas fotovoltaicas, fabricadas apenas no Brasil. Estas telhas  substituirão os painéis solares.

As telhas fotovoltaicas possuem no seu corpo, células solares ou fotovoltaicas encapsuladas ou sobrepostas, não produzindo um custo suplementar, pois as telhas são colocadas à semelhança do que se faz para as telhas normais.

Fonte: http://www.fazfacil.com.br/

Microsoft – O FUTURO…

A Microsoft é uma das empresas que mais aposta na evolução tecnológica no uso quotidiano e mostra-nos, num vídeo, aquilo que pode vir a tornar-se realidade muito em breve.

Vale a pena apreciar…

Livro do dia – Inovação empresarial no séc. XXI

Inovação empresarial no ´sec XXI

Título: Inovação Empresarial no Século. XXI

Autor: Praveen Gupta

Nª. páginas: 480

PVP: € 22

Edição: Novembro de 2008

Editor e distribuição: Vida Económica

Para encomendar 

Encomendas para: encomendas@vidaeconomica.pt

Livraria on line: www.vidaeconomica.pt/livraria

O objectivo deste livro é oferecer uma abordagem abrangente dos processos relacionados com a inovação e um novo enquadramento da inovação – um enquadramento que é sustentável na geração da Internet e na era do conhecimento.

O livro permite dar resposta a algumas questões sobre inovação. De forma a institucionalizar a inovação, os co-autores referem vários aspectos sobre a inovação, desde a sua história às estratégias de implementação. Quando se compreende o processo de inovação, e as pessoas percebem as capacidades e viabilidades da inovação, podemos olhar para o futuro mais próximo, sonhar e acelerar mais ainda a inovação. Todavia, é necessária uma abordagem multidisciplinar para poder desenvolver esse processo.

Esta obra pode ser dividida em três partes.

  • Parte I: Desenvolver a Inovação analisa os aspectos históricos da inovação em desenvolvimento, ferramentas e técnicas actuais ou convencionais, e necessidades futuras. O objectivo da Parte I é trazer conhecimento à inovação enquanto uma arte actualizada.
  • Parte II: Compreender a Inovação apresenta o novo entendimento da inovação e do processo da inovação na era do conhecimento. A Parte II desenvolve o conhecimento da inovação, que apresenta como uma ciência.
  • Parte III: Institucionalizar a Inovação centra-se na implementação de diversos aspectos da inovação de forma a gerar valor. O objectivo da Parte III é aprender métodos para adaptar a inovação a diversas organizações.

“Sexto Sentido”, uma nova revolução tecnológica!

“Sexto Sentido”, um dispositivo tecnológico que pode vir a mudar a nossa vida no futuro. Fico  surpreendida de como estamos a caminhar tão rapidamente para era do ecrã interactivo total.

 Os utilizadores da nova tecnologia vão poder tirar informação da internet com os dedos e projectá-la como e onde quiserem. Podem, também, tirar fotografias enquadrando simplesmente o que pretendem focar com as mãos. Outra opção, é projectar um rosto digital sobre qualquer objecto, bastando para isso desenhar um círculo com o dedo. Por outras palavras, este sistema revolucionário liberta os dados da sua tradicional prisão de papel ou da memória digital para os incorporar na realidade e integra perfeitamente a interface da informação com o mundo real.

O nome desta nova tecnologia é Wear Ur World (WUW), que significa “veste o teu mundo”, mas também lhe chamam “SIXth Sense”, pois trata-se de uma espécie de sexto sentido digital.

 “É composto por uma câmara que se pode prender na orelha, nos óculos ou no boné, por um minúsculo projector 3M que se pendura do pescoço e por um espelho. Os três elementos estão ligados por tecnologia sem fios a um telemóvel que pode ser guardado no bolso. O conjunto de aparelhos utilizados nas experiências não ultrapassa os 350 dólares (cerca de 260 euros).

 A câmara interpreta a cena que tem diante de si, incluindo os gestos que fizermos no ar com as mãos. Por sua vez, o microprojector, com a ajuda do espelho, pode reproduzir a informação sobre qualquer superfície que esteja diante do utilizador. A ideia é fazer que a internet seja a mão direita do computador para ajudá-lo a processar os dados em tempo real e, em vez de um monitor, o ecrã pode ser qualquer textura do mundo à sua volta.”

Fonte: Oje.pt

 Aprecie  este vídeo e veja como o mundo, neste caso tecnológico, gira e avança…

 

Aulas on-line disponibilizadas pelo MIT e mais 150 Universidades de todo o mundo

Graças  às possibilidades da Internet 2.0,  já é possível aceder a toda a documentação das aulas do Massachusetts Institute of Technology (MIT), a mais de mil horas de vídeo ou até mesmo a esclarecimentos com os melhores académicos do mundo é uma possibilidade à disposição de qualquer pessoa, de qualquer parte do mundo.

Segundo o semanário “Sol”, as propinas de no MIT rondam os 35 mil euros anuais, um valor que não está ao alcance de qualquer estudante. Mas, através do site desta conceituada escola superior, mais de 35 milhões de pessoas acederam, nos últimos quatro anos, à documentação disponível online.

O sucesso da iniciativa encetada em 2002 pelo MIT tem levado outras instituições a transportar para a Internet o conhecimento que disponibilizam aos seus alunos. São já 150 as universidades de todo o mundo a apostar neste novo serviço, conta o “Sol”. Entre elas, estão escolas superiores como Yale, Stanford e Harvard.

Álgebra Linear, Cálculo Multivariável e Iniciação à Ciência Química são algumas das disciplinas mais procuradas no site do MIT.

Os interessados em apostar na sua formação contínua podem agora aceder a conteúdos de alta qualidade gratuitamente. Até os cibernautas que vêem na língua um problema para aceder a estes conteúdos têm a sua vida facilitada. Em alguns casos, existem inclusive traduções para português

Consulte: Recursos no MIT