MENÇÃO HONROSA para ESCOLA SECUNDÁRIA DE ESTARREJA – Prémio Fundação Ilídio Pinho – Ciência na Escola, 14.ª Edição

Escola Secundária de Estarreja volta a receber mais um prémio!

IMG_3262

No dia 30 de junho, no Convento São Francisco, Coimbra, o Projeto “COLTEC – Colete Tecnológico “Wearable Technology” ao serviço da Segurança Rodoviária” conquistou mais um prémio, recebendo uma Menção Honrosa no valor de 3000€ da Fundação Ilídio Pinho – Ciência na Escola, 14.ª Edição, “A Ciência e a Tecnologia ao serviço de um mundo melhor”.

A entrega dos prémios às escolas com projetos distinguidos foi feita em cerimónia pública contando com a presença do Ministro de Educação e Ciência, Dr. Tiago Brandão Rodrigues, do Presidente da Fundação Ilídio Pinho, Eng.ro Ilídio Pinho e do Presidente da República, Dr. Marcelo Rebelo de Sousa.

Tivemos a presença marcante e entusiástica do nosso Diretor, Dr. Jorge Ventura, as visitas muito especiais e que nos sensibilizaram, Reitor da Universidade de Aveiro, Dr.Manuel Assunção, Secretário Executivo da CIRA, Dr. José Eduardo de Matos, Vereador da Cultura e da Educação da Câmara Municipal de Estarreja, Dr. João Alegria, Vereadora da Cultura e da Educação da Câmara de Albergaria-a-Velha, Dr.ª Catarina Rosa Mendes, da ESTGA-UA, o Prof. Dr.Mario Rodrigues, Eng. Paulo e Jorge Melo e muitas outras individualidades da Fundação Ilídio Pinho, governo e x-ministros.

Este projeto foi um desafio aliciante, de grande exigência, praticado numa interação do saber técnico-científico assente num problema multidimensional “elevada percentagem de acidentes rodoviários entre ciclistas e peões”, que requereu uma observação abrangente das determinantes, das consequências e das soluções, bem como exigiu medições e comparações de variáveis em estudo. O colete integra nas costas um ecrã de leds (permitindo remoção/lavagem) para a passagem de sinais rodoviários e texto (Peregrino; Trabalhos; Treino; Perigo). As nossas alunas, Andreia FilipaBeatriz RodriguesGisela Aguiar e Soraia Santos, sonharam e ousaram pôr em prática uma ideia inovadora, no âmbito da “Wearable Tecnology”, planeando e concretizando um protótipo, com os seus parceiros privilegiados, ESTGA-UA e a empresa Aveicellular, Lda. uma solução com boa relação custo-benefício, projetada para permitir reduzir a sinistralidade rodoviária.

“…sempre que um homem sonha, o mundo pula e avança!” 
(António Gedeão)

DSCN5925

 

 

DSCN6053

 

Inteligência de Risco – Abordagem de Nelson S. Lima

Businessman and questions

Achei interessante  a abordagem do Prof. Universitário Nelson S. Lima sobre  a INTELIGÊNCIA DE RISCO (apresentada no seu facebook), uma competência essencial a ser  “explicada e treinada nas escolas a partir dos 14 anos de idade”.

Aqui fica a partilha para reflexão! 

“Como alguns amigos já devem saber eu sou um fervoroso adepto da Teoria Triárquica da Inteligência de Robert Sternberg, o qual defende a existências de três inteligências humanas: a analítica, a criativa e a prática (ou executiva). É uma teoria que faz mais sentido do que a das Inteligências Múltiplas de H. Gardner, a maioria das quais são mais habilidades do que propriamente inteligências (o próprio autor o reconhece num dos seus livros).

A Risk Intelligence (inteligência de risco) permite-nos, em última análise, fazer uma avaliação das consequências de decisões antes de as tomarmos. É então uma inteligência que se processa através de intrincadas conexões entre diversos factores: capacidade de visualização, previsão, antecipação, recolha e cruzamento de dados, definição de objetivos, pré-avaliação, preparação de alternativas (plano A, plano B, etc.), estratégias, execução e monitorização. Processa-se, sobretudo, nos chamados “Lobos Frontais”, a região mais recente e mais evoluída do nosso cérebro.

É uma inteligência do tipo lógico-matemático mas é-lhe superior porque exige outros predicados cognitivos (ou intelectuais). Foi muito bem descrita por autores como David Apgar e Dylan Evans.

Deveria ser explicada e treinada nas escolas a partir dos 14 anos de idade e na universidade (especialmente em cursos como Gestão, Medicina, Engenharia, etc.).

Nelson S Lima

Fonte: https://www.facebook.com/nelson.s.lima?fref=tl_fr_box&pnref=lhc.friends

 

Agrupamento de Escolas de Estarreja no Roadshow 2015 – Ensino Profissional

formacao_ensinoprof_roadshow2015

No Agrupamento de Escolas de Estarreja ensinar é criar oportunidades.

Mais uma vez a ESCOLA SECUNDÁRIA DE ESTARREJA (sede de agrupamento), esteve presente no  evento, RoadShow do Ensino Profissional  2015 que se realizou em Aveiro na Escola Secundária José Estevão.

Permitiu que os alunos que estudam hoje nos cursos profissionais oferecidos pela  nossa escola, mostrassem  as possibilidades e os caminhos para obter o sucesso  numa carreira profissional bem sucedida.

Alunos dos cursos profissionais,  Produção em Metalomecânica e Eletrotecnia mostraram, através de atividades práticas ao vivo, o que de muito bom  se faz na nossa escola. Estudar em  cursos como estes ou outros  igualmente ministrados na nossa Escola, Gestão, Informática, Marketing e Turismo,  com a qualidade que lhes é reconhecida pelo mundo empresarial da região  é sinónimo  de emprego e satisfação pessoal e profissional.

11046258_10206939259750435_7074084011453482603_n

22229_10206922569173181_612088432074631190_n

11147871_10206939259790436_789541222438216166_n

11222304_10206939259830437_528329815212157397_n

UNIAREA – Novo site para quem pretende ingressar na UNIVERSIDADE

A UNIAREA orienta alunos de Portugal, Brasil, Angola, Moçambique, Cabo Verde e de Macau.

A UNIARA explica as formas de acesso ao ensino superior — um tipo de informação que considera ser difícil de conseguir de forma clara “quer nos psicólogos, quer nas próprias secretarias das escolas” — e, assim, podem complementar o trabalho de professores e directores de escolas e agrupamentos.

(Clique na imagem e aceda ao site)

Capteeeurar

Casa sustentável – “Pop-UP House”

mmmm

CASA SUSTENTÁVEL!

A empresa de arquitetura francesa “Multipod Studio” apresentou um novo protótipo para uma casa sustentável, leve, reciclável e fácil de construir. O modelo de casa denominado de  “Pop-UP House” pretende revolucionar a maneira como construímos as casas devido ao seu método inovador de montagem e baixo custo.

Com 150 m2, o seu interior apresenta um “open space” que combina as áreas de cozinha, sala de jantar e sala de estar. Tem ainda duas casas de banho, três quartos, um escritório e um terraço. Tudo por 30 000€ .

(clique na imagem e aceda ao site c/ vídeo)

Captllllurar

“Amentira em que vivemos” – Documentário inquietante

Este é um documentário, inquietante, que devemos assistir, uma visão do mundo global intitulado “A mentira que vivemos”. O autor, Spencer Cathcart, leva-nos a refletir de forma a perceber a forma como é questionada a nossa liberdade, os  lobbys, o poder do dinheiro,  os governos, o colapso mundial , o ambiente, as alterações climáticas, os alimentos geneticamente modificados, a forma como tratamos os animais, entre muitos outros assuntos.

Será que podemos mudar o mundo?

Talvez! Uma educação de qualidade deve ser tida como instrumento para um bem maior, no qual uma sociedade inteira tenha plena consciência dos seus atos e também dos impactos que as suas decisões possam representar numa comunidade, num país e, por que não no mundo!

FINLÂNDIA quer abandonar o ensino de disciplinas nas escolas

Imagem4

Partilho uma notícia surpreendente, ou não, já que  os finlandeses estão na vanguarda do ensino!

“Aquilo de que precisamos agora é de um tipo de educação diferente que prepare as pessoas para o mercado de trabalho”

“A Finlândia já tem um dos melhores sistemas de educação do mundo, que ocupa as posições de topo na matemática, nas línguas e na ciência dos prestigiados rankings PISA da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico. Somente países do oriente, como a Singapura e a China conseguem superar o país nórdico.

Políticos e especialistas em educação de todo o mundo olham para o país como um exemplo e tentam replicar nos seus sistemas de ensino o sucesso que lhe reconhecem.

Mas a Finlândia não está a descansar nos seus louros. Está a preparar a maior reforma na educação de sempre, abandonando o tradicional ensino por disciplinas e implementando um ensino por tópicos. Algumas disciplinas principais, como Literatura Inglesa e Física, já estão a ser eliminadas das turmas de 16 anos em escolas da capital Helsínquia.

Em vez disso, os jovens finlandeses estão a aprender por tópicos, como a “União Europeia”, que engloba a aprendizagem de economia, história, línguas e geografia. Num ponto de vista mais profissional, um aluno que queira especializar-se em restauração opta por um curso que inclui matemática, línguas (para clientes estrangeiros), competências de escrita e habilidades de comunicação oral.

Ou seja, nada de uma hora de história, seguida de uma hora de química e de uma hora de matemática. A ideia é eliminar uma das maiores interrogações dos estudantes: “porque tenho de aprender isto?”. No novo modelo finlandês, todos os assuntos leccionados estão interligados e existem motivos práticos para os aprender.

Continuar a ler