XII Feira da Juventude, Formação e Proteção Civil – 2019

Angariação de fundos a favor da “Associação de Pais Heróis”.

“No mundo não existem soluções. Existem forças em marcha. Basta articulá-las e as soluções se seguirão” (Saint Exupéry).

Dado o mote, o CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO DE GESTÃO, mais uma vez, ousou marcar presença na XII Feira da Juventude, Formação e Proteção Civil, efetivada na Escola Secundária de Estarreja no dia 4 de abril, mas desta vez conjuntamente com o CURSO PROFISSIONAL DE COZINHA E PASTELARIA. 
Abraçada a ideia de um mini-negócio em parceria, “Gestão na Brasa & C.ª Lda.”, os alunos das turmas da área de Cozinha e Pastelaria, 10.º M , Carlos, José e Catarina, 11.º L, Ricardo, Lima e Alexandra, 11.º M, Patrícia e Vânia e, os da área de Gestão, 11.º J (todos os alunos), 12.º M, Celine, Jéssica, Cátia, Fabiana, Joana, Mariana e Tiago, uniram esforços, associaram recursos e integraram competências, interagiram de forma entusiástica. Em sintonia na finalidade, angariação de fundos a reverter para a Associação de Pais Heróis, os nossos jovens arregaçaram as mangas, pois cooperar para competir é articular forças para superar dificuldades solucionando problemas. Interiorizaram e perceberam que os resultados obtidos coletivamente são melhores do que os que se conseguem individualmente.
O “know-how” e o “know-business” destas duas áreas, obrigaram a um conhecimento sustentado de valores, atitudes e competências, que quando colocados em prática tornaram-se numa experiência diferenciadora e distintiva.
Um agradecimento especial a todos os que contribuíram para o sucesso desta atividade:
–– … à Câmara Municipal de Estarreja por terem disponibilizado as barraquinhas. Fizeram toda a diferença, mesmo em dia de chuva.
––… ao Supermercado Couto e Padaria do Monte pela colaboração e espírito solidário. Bem hajam!
–– … aos alunos e encarregados de educação pelo excelente exemplo de colaboração, pois foram doces, salgadinhos, … A nossa gratidão!
––… às alunas, Inês Maia, Maria Castillo e Catarina Garrido que estiveram na sala a divulgar o Curso Profissional Técnico de Gestão, conjuntamente com as docentes, Rosário Santos e Albertina Cantante (diretora de curso).
––… aos colegas de grupo 430 (Economia e Contabilidade) pelo apoio prestado no desenvolvimento da atividade.
–– … a toda a comunidade escolar por terem aderido à iniciativa.
–– … e como os últimos também são os primeiros, às colegas, Liliana Oliveira, qual chef de cozinha e pastelaria, que como sempre primou pela simpatia e profissionalismo (bifanas e pastéis de nata uma delícia), Adélia Felgueiras na liderança da logística que funcionou impecavelmente e Lúcia Branco a organizadora e obreira desta atividade, incansável.

Texto | Prof.ra Rosário Santos
Fotos | Ana Alves e Prof.ra Rosário Santos

Prémio Fundação Ilídio Pinho “Ciência na Escola” – 16.ª Edição | Inscrições abertas

FIPCE-18-19-site

A ciência na escola ao serviço do desenvolvimento de Portugal.

Está aberto, até ao dia 24 de dezembro de 2018, o Concurso de Ideias para a presentação de propostas de projetos nos cinco escalões a concurso:

1.º Escalão – projetos com a participação de crianças da educação pré-escolar;
2.º Escalão – projetos com a participação de alunos do 1.º Ciclo do Ensino Básico;
3.º Escalão – projetos que envolvam alunos do 2.º Ciclo do Ensino Básico;
4.º Escalão – projetos que envolvam alunos do 3º. Ciclo do Ensino Básico;
5.º Escalão – projetos que envolvam alunos do Ensino Secundário.

Para mais informação consulte o Aviso de Abertura e o Regulamento

 

CAMPANHA DE CROWDFUNDING – “SABOR A AGRIÃO” a favor da CERCIESTA.

Está no ar a CAMPANHA DE CROWDFUNDING – “SABOR A AGRIÃO”

a favor da CERCIESTA.

Projeto com a chancela dos alunos do 12.º ano, Tiago e Natália do C. Prof.Técnico de Gestão do Agrupamento de Escolas de Estarreja, com o título “Crowdfunding SMOBILIZE – Viver com Dignidade”.

Ajude a CERCIESTA a tornar o seu SONHO em realidade!

Esperamos pelos vossos donativos… é muito simples participar. Agradeço a partilha da iniciativa.

Campanha de angariação de fundos que visa equipar a CERCIESTA de um fogão industrial com o fim de ser iniciado um mini negócio social e inclusivo, através do aproveitamento de uma planta autóctone que cresce em abundância na Quinta Pedagógica, o AGRIÃO, ingrediente saudável, que quando confecionado é considerado uma iguaria deliciosa, com um sabor único e requintado.
O projeto conta com o envolvimento de seis utentes portadores de deficiência intelectual moderada, visando não só gerar recursos financeiros para a CERCIESTA, como também poder proporcionar um complemento terapêutico essencial na recuperação dessas pessoas , criando oportunidades de emprego para os envolvidos, permitindo diminuir a sua vulnerabilidade socioeconómica.

(Clique na imagem para aceder à plataforma PPL)

ww

Inovação Social – Rebanho colectivo ganha concurso da Gulbenkian

rrrrrr

Uma ideia que vai provocar  mudanças e gerar o  reforço dos laços afectivos da comunidade emigrante às suas origens e o fomento do espírito solidário entre uma população.

A criação de um rebanho colectivo na aldeia de Rio Frio (concelho de Arcos de Valdevez), cujas 200 cabras podem ser adoptadas por emigrantes, ganhou o primeiro prémio da quarta edição do concurso de inovação social Faz-Ideias de Origem Portuguesa, promovido pela Fundação Calouste Gulbenkian.

O projecto ganhador pretende pôr em prática o pastoreio em 400 hectares de terrenos baldios, instalando um rebanho colectivo de 200 cabras autóctones da raça serrana e bravia, em que os habitantes da freguesia e a diáspora são convidados a adoptar um animal, mediante o pagamento de uma quantia anual.

Um dos seus objectivos, explica o comunicado da Gulbenkian, é “minimizar o risco de incêndio diminuindo a carga combustível no território [porque comem a vegetação que cresce em terrenos abandonados]” e “proporcionar algum conforto à população da freguesia de Rio Frio, muito envelhecida e socialmente deprimida. Espera-se ainda o reforço dos laços afectivos da comunidade emigrante às suas origens e o fomento do espírito solidário entre conterrâneos.”

Social Innovation World Forum

Imagem-siwf151-600x338

A edição de 2015 tem como tema “Investimento social: uma agenda para 2020”, e é promovida pela Fundação Calouste Gulbenkian e pela Portugal Inovação Social, com o apoio do Laboratório de Investimento Social.

Este fórum internacional pretende promover a discussão sobre os temas emergentes do investimento social, através de testemunhos inspiradores de empreendedores sociais nacionais e internacionais articulados com propostas de caminho para o futuro pela voz dos principais actores do mercado: investidores, organizações sociais e entidades do sector público.

Ao longo dos dois dias, o evento contará com oradores internacionais de renome, dos quais se destacam Marianne Thyssen (Comissária Europeia para o Emprego e Assuntos Sociais), Nick Hurd (ex-Ministro para o Terceiro Sector no Reino Unido), Pamela Hartigan (Diretora no Skoll Centre for Social Entrepreneurship da Universidade de Oxford), Mary Gordon (Fundadora do programa Roots of Empathy) e Uli Grabenwarter (Deputy Director no European Investment Fund).  A nível nacional, o evento terá a participação de Miguel Poiares Maduro (Ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional), Pedro Mota Soares (Ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social) e Filipe Santos (Presidente da Comissão Directiva da Portugal Inovação Social).

O programa inclui ainda, no primeiro dia (25 de Junho), a participação de empreendedores internacionais como Chris Sheldrick, da What3words – um projecto que ganhou o reconhecimento da Wired; Stan Karpenko, fundador da Give Vision e que pretende revolucionar a forma como cegos e amblíopes se relacionam com pessoas e objectos; e, Miguel Neiva, criador da ColorADD – o primeiro código universal para daltónicos.

Para mais informações consulte: www.siwf15.com

 

Empreendedorismo para o Desenvolvimento Sustentável – Um caso de sucesso

EMS

Um ótimo exemplo de EMPREENDEDORISMO para o DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL – Projeto African Clean Energy

Aqui fica a notícia!

“Para muitos de nós, que estamos agora na frente de um computador ou usando algumas das mais avançadas tecnologias móveis, pode ser muito difícil imaginar que neste mesmo momento, 3 bilhões de pessoas ao redor do planeta ainda precisam cozinhar seus alimentos em fogareiros rústicos, quase iguais aqueles utilizados na Idade Medieval.

A fumaça gerada por estes fogareiros é extremamente tóxica, conhecida como carbono negro. A Organização Mundial de Saúde estima que ela seja responsável pela morte de 4 milhões de pessoas anualmente. Ao inalar continuamente esta fumaça, elas acabam sofrendo com problemas respiratórios, pneumonia, doenças pulmonares e catarata.

Mas o projeto African Clean Energy* quer mudar esta triste história. Numa fábrica em Lesoto, país extremamente pobre no sul da África, Stephen e Alice Walker – marido e mulher, criaram um negócio para impactar a vida de milhares de pessoas.

A empresa familiar desenvolveu o ACE 1, um fogão portátil movido a biomassa(combustível limpo) e o mais importante de tudo, que não produz fumaça. 

Além de necessitar de aproximadamente 70% menos combustível para funcionar do que fogões portáteis tradicionais, o ACE 1 foi projetado internamente com telhas cerâmicas, o que retem o calor por muito mais tempo.

Continuar a ler

Empreendedorismo Social – Casos de sucesso

O empreendedorismo social comporta um elevado potencial de inovação na intervenção social e na criação de novas oportunidades de emprego. Os empreendedores sociais ao criarem negócios, a maioria das vezes através de parcerias,  lutam por ver resolvidos problemas sociais e ambientais profundos e negligenciados. Desafiam a visão tradicional utilizando modelos de negócio inovadores.

Casos de sucesso como os que aqui apresento, devem inspirar todos aqueles que pretendem iniciar um negócio.

Casos de sucesso

  • Cais Recicla

  • Fisiotrimtrim

  • Prove

_________________________

  • Vida ativa para deficientes
O Complexo de Serviços para a Comunidade, criado pelo CRID – Centro de Reabilitação e Integração de Deficientes, consiste num espaço onde funcionam empresas sociais como uma papelaria, lavandaria, reparação de calçado, reparação de electrodomésticos ou artes decorativas. Nesta iniciativa, pessoas com deficiência trabalham por conta própria e com autonomia.
  • Rugby ajuda na formação
A Escolinha de Rugby da Galiza, do ATL da Galiza da Santa Casa da Misericórdia, perto de Oeiras, visa a consolidação de um espaço de intervenção comunitária através do desporto, desenvolvido para a formação humana e desportiva de crianças e adolescentes fragilizados por ausência de estrutura familiar. Um modelo de sucesso que já foi aplicado em outras 12 instituições.
  • Jogos promovem vida saudável
No Espaço Vitamimos, a instalar na Quinta da Alagoa em Carcavelos, funcionará um Centro de Educação Alimentar onde se pretende dinamizar a educação e desenvolvimento dos mais novos, promovendo momentos divertidos e educativos, com o objectivo de intervir na prevenção da obesidade infanto-juvenil, através da promoção de estilos de vida saudáveis.
  • Reutilização de produtos
Através da iniciativa “Reutilização”, o Centro Comunitário de Carcavelos espera promover um novo conceito de consumo de menor impacto ambiental através da recolha de todo o tipo de produtos e equipamentos que são canalizados para doação a famílias necessitadas; sem-abrigo e tóxico-dependentes; outras instituições; e revenda para a comunidade, a preços simbólicos.
  • Empréstimos na área da Saúde
Através de um sistema de empréstimo temporário de equipamento médico especializado, possibilita-se, com este projecto, a alocação destes equipamentos onde eles são realmente precisos e evitar o desperdício da não utilização do mesmo. Esta iniciativa é desenvolvida em parceria com o Hospital de Vila Real e a Delegação de Sabrosa da Cruz Vermelha.
  • Produção local em exposição
A falta de iniciativa da população na produção local motivou a criação da Loja Eco, anexa ao Ecomuseu do Barroso, onde pequenos produtores e artesãos locais podem expor e comercializar os seus produtos. Paralelamente, esta iniciativa visa criar uma rede de parcerias com diversos tipos de organizações para a sustentabilidade da produção dos vários produtos oferecidos.
  • Atletismo contra abandono escolar
Criado para evitar comportamentos de crianças e jovens associados ao álcool, drogas e abandono escolar, o “Núcleo de Atletismo” consiste numa abordagem integrada ao desenvolvimento pessoal de crianças e jovens do Concelho de Sabrosa, procurando motivar o trabalho em equipa e a disciplina, através de uma maior atenção às crianças e jovens e suas famílias.
  • Agricultura integra deficientes
A “Oficina Agrícola” assenta no aproveitamento de uma área agrícola de meio hectare onde 12 utentes do CADAT – Centro de Apoio ao Deficiente do Alto Tâmega, com deficiência moderada ou ligeira, cultivam os mais variados produtos agrícolas e hortícolas. Esta actividade, inserida na terapia ocupacional do Centro, é orientada por uma engenheira agrónoma

 ___________________

Fontes:

 

25 Anos de Portugal Europeu – os portugueses em 2030

A economia, a sociedade e os fundos estruturais

Com a qualidade a que a Fundação Francisco Manuel dos Santos já nos habituou, este estudo analisa o desenvolvimento da economia e da sociedade portuguesas, ao longo dos primeiros 25 anos de integração na União Europeia. Apresenta a evolução de Portugal perante a União Europeia em cinquenta indicadores, analisa os fundos estruturais que Portugal recebeu e faz uma interpretação do caminho percorrido.

Para saber mais clique sobre a imagem

935771_583782911653534_278774252_n[1]

ou aceda a:http://www.ffms.pt/estudo/18/25-anos-de-portugal-europeu

Retrato Social de Portugal – Indicadores de 2009

A Fundação Francisco Manuel dos Santos publicou no portal PORDATA, um estudo muito útil, baseado num conjunto alargado de indicadores sobre a evolução recente da sociedade portuguesa, que convida à reflexão.

(Para aceder ao estudo clique na imagem)

Retrato Social de Portugal_2009

Gestão Estratégica do Crescimento Económico em Portugal Livro recomendado

Na actual conjuntura de crise económica que exige medidas de austeridade, recomendo aos interessados, a leitura deste livro que faz o diagnóstico da situação da economia portuguesa num contexto de globalização, propondo áreas de actuação e soluções para um  crescimento económico, efectivo.gestao-estrategica-do-crescimento-economico-em-portugal

 Gestão estratégica do crescimento económico em Portugal

Nuno de Souza e Silva

Utilizando os conceitos de gestão estratégica, de gestão de desempenho e do Balanced Scorecard, elabora-se um mapa estratégico para o crescimento económico. Esse mapa estabelece uma visão e uma missão, estrutura os objectivos e áreas estratégicas de actuação e evidencia a sua interligação

A obra sistematiza e integra aspectos como:

– a criação de valor;

– a formação de capital humano;

o investimento;

– a inovação;

– a competitividade externa;

– a concorrência;

– a criação de empresas;

– a gestão macroeconómica.

Para cada uma daquelas áreas propõem-se indicadores estatísticos adequados.

Foi feita uma análise sectorial obtendo informação para os níveis de produtividade de 54 sectores de actividade da economia portuguesa, onde foi possível identificar os níveis de produtividade existentes, o contributo de cada sector para a produtividade média nacional, o efeito do peso do emprego de cada sector, as dinâmicas de crescimento de produtividade para cada sector e algumas comparações internacionais

Colecção Vida Económica

O Índice de bem estar do Canadá

 

Indice Bem estar Canadá                                         Canadian Index of Well – Being  CIW

 

Para saber mais …

 

Indice Bem estar 2

Região de Aveiro investe 9 milhões em agenda para cultura, saúde e empreendedorismo

 

A CIRA- Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro-  viu aprovada a candidatura às redes urbanas para a competitividade e inovação. Nos próximos anos serão investidos 9 milhões de euros comparticipados por fundos comunitários. Trabalho de parceria entre os municípios e a Universidade de Aveiro. Segundo os responsáveis da CIRA este é um passo de consolidação do projecto da comunidade intermunicipal que aprofunda a cooperação entre diversos parceiros com agendas para a cultura, para a saúde e bem-estar, para a sustentabilidade e agenda para o empreendedorismo.

 Destacam-se projectos como a programação cultural em rede, centro interpretativo de saberes para a transmissão da memória e a valorização da identidade, arte e criatividade, rede de iniciativas de saúde e bem-estar, comunidade intergeracional, comunidade sénior, agência para a sustentabilidade e competitividade, eficiência energética, plataformas de apoio e valorização do empreendedorismo e inovação, empreendedorismo social, e parcerias escola/família/comunidade.

Fonte: http://www.terranova.pt/index.php?idNoticia=5491

Formas de Portugal

Site que permite divulgar e fazer compreender a informação pública sobre Portugal. Poderá conhecer aqui o mapa ortogonal da área e população municipal portuguesa nas seguintes dimensões:

Exposição “A Filosofia do Dinheiro”

Recomendo uma visita a esta exposição que tem como pano de fundo a actual crise financeira e a visão de artistas plásticos nacionais e estrangeiros sobre o dinheiro como “Deus da época moderna”.

Vai estar até 5 de Setembro no Pavilhão Branco do Museu da Cidade, em Lisboa.

A exposição reúne obras de 28 artistas nacionais e internacionais. Os portugueses Mariana Silva, Joana Bastos, Sara & André, Sparring Partners, Rita GT e Yonamine, e os estrangeiros Cildo Meireles, Michael Elmgreen & Ingar Dragset, Mads Lynnerup e Alfredo Jaar, entre outros.

O comissário Miguel Amado inspirou-se no livro “A Filosofia do Dinheiro”(1900). Partindo da obra do filósofo alemão Georg Simmel,  onde o autor expõe as suas teses sobre o predomínio do capitalismo, esta exposição reflecte e questiona os pressupostos deste sistema económico à luz da vigente crise financeira. As obras expostas, várias das quais resultaram de encomendas para esta exposição, perspectivam o dinheiro nas suas múltiplas vertentes simbólicas, desde meio de troca a ícone, passando pela significação da presente recessão económica. Através da visão crítica dos artistas participantes, perspectiva-se o dinheiro como o Deus da época moderna, para usar as próprias palavras de Simmel.

Para saber mais clique na imagem

Museu da cidade

Museu da Cidade de Lisboa

«A Filosofia do Dinheiro»

De: 2010-06-23 a 2010-09-05

Horários: 3ª,4ª,5ª,6ª,Sábado,Domingo

Dia Mundial do Consumidor

Conheça os seus direitos enquanto consumidor!

Seja um consumidor exigente e protegido

mercado solidário A 15 de Março assinala-se o Dia Mundial dos Direitos dos Consumidores. 

Os consumidores são o grupo económico que mais importâncias tem na economia e, aquele que nunca é verdadeiramente escutado. Esta ideia proveniente de John Kennedy, protagonizou o nascimento do Dia do Consumidor, enaltecendo os direitos deste núcleo, à segurança, à informação, à escolha e a ser devidamente ouvido.

Vivemos numa sociedade em que somos todos consumidores, remonta ao século XVIII, momento da tão badalada Revolução Industrial. Comprando bens ou serviços para nosso uso particular, quer para consumo ou para venda, todos vivemos numa sociedade, na qual consumir é a lei a cumprir.

Na condição de  potenciais consumidores de qualquer bem ou serviço, temos o direito à qualidade dessa mesma compra. O vendedor terá que garantir o seu bem estar e funcionamento, através de uma determinada via. Por isso, se fala tanto na palavra garantia, um prazo de tempo determinado e estipulado na lei, dos bens e serviços que adquirimos.

Os consumidores têm igualmente o direito à protecção da sua saúde e segurança física, daí que, os produtos ou a prestação de serviços nestas condições, sejam automaticamente retirados do mercado, mal seja detectada essa situação. Assim, é também garantido que todas as pessoas devem ter acesso à informação que, engloba estes direitos.

O Direito à Informação para o Consumo, é muito importante. O próprio vendedor ou o fornecedor, deve ser responsável pela transmissão da informação. O chamado “segredo de fabrico” é, normalmente, uma fraude. Deve ter bem presente o prazo estipulado, para o devolução do produto, caso este não lhe venha a agradar. Os interesses económicos, numa relação de compra e venda devem estar, correctamente estipulados e defendidos.

O Direito à Prevenção e Reparação dos Danos, tal como o Direito à Protecção Jurídica e à Justiça Acessível e Pronta, deve ser também preservado. Se os serviços prestados não forem os melhores, o consumidor tem o direito de exigir o reparo, da mesma forma que, pode recorrer à justiça para salvaguardar os seus interesses e direitos.

Temos também o direito de ter alguém que nos represente, como é o caso de associações. Estas desempenham um papel importante e poderão levar mais além e, de uma forma mais credível os interesses do consumidor. Porém, o consumidor também tem deveres: o dever da solidariedade, da consciência crítica, da preocupação social, da consciência ambiental e o dever de agir, para que não seja explorado.

Podemos falar em vários tipos de  consumo, nomeadamente o consumo via Internet, nas lojas ou fora delas, vendas ao domicílio ou por correspondência, as vendas ambulantes, compras em saldos ou em época de liquidação total. Também igualmente se incluem os Serviços Públicos, gás, luz, água, telefone, compra de moradias ou andares, cosméticos, calçado ou mesmo prestação de serviço, em vários locais como por exemplo, as lavandarias.

Aprenda a valorizar o seu papel  na evolução do mercado e no desenvolvimento da economia nacional. Saiba que enquanto consumidor, tem direitos dos quais deve usufruir, nem que seja para, deixar a sua crítica, num simples livro de reclamações de um qualquer estabelecimento

 

Seja um consumidor informado, saiba mais sobre os seus direitos, consultando:

protecção aos consumidores

Fonte: Deco Proteste

Estratégia Europa 2020

estratégia europa 2020

Durão Barroso alertou os estados membros da União Europeia (UE) para o risco de declínio que enfrentam se não actuarem em conjunto na construção de uma “nova economia inteligente, verde e inclusiva”.
A UE tem um programa a dez anos que os 27 membros da Comissão Europeia vão aprovar para substituir a Estratégia de Lisboa, concebida em 2000 para tornar a UE na economia mais competitiva do mundo, em 2010, mas cujos resultados ficaram muito aquém do esperado.
A nova estratégia, baptizada
Europa 2020, pretende “transformar a UE numa economia inteligente, verde e inclusiva, com elevados níveis de emprego, produtividade e coesão”.

Bruxelas pretende  avançar com  cinco metas quantificadas que os Vinte e Sete terão de procurar atingir até 2020. Embora sejam fixadas ao nível europeu, as metas serão adoptadas pelos estados-membros em programas nacionais que terão em conta a situação específica de cada um.
O cumprimento conjunto destas metas “poderá resultar” num crescimento anual do PIB de dois por cento e a criação de 5,6 milhões de novos postos de trabalho:

As metas propostas pela comissão Europeia são:

1. Aumento da taxa de emprego da população activa entre 20 e 64 anos dos actuais 69 por cento para 75 por cento;

2. Aumento do investimento em investigação científica (I&D) de 1,9 por cento do PIB para três por cento. Este objectivo já estava previsto na Estratégia de Lisboa, mas Bruxelas pretende analisar a possibilidade de criar um novo indicador associando a I&D e a inovação, e fixar uma nova meta para o aumento do investimento dos actuais 2,9 por cento do PIB para quatro por cento;

3. Redução das emissões de CO2 em 20 por cento face aos valores de 1990, aumento da parte das energias renováveis em pelo menos 20 por cento do total, e redução do consumo de energia de pelo menos 20 por cento;

4. Aumento da parte da população entre 30 e 34 anos com formação universitária completa de 31 por cento actualmente para pelo menos 40 por cento; redução da taxa de abandono escolar de 15 por cento actualmente para 10 por cento;

5. Redução de 25 por cento do número de europeus que vivem abaixo do limiar de pobreza, “tirando 28 milhões de pessoas” da pobreza.

Estas metas já estavam quase todas previstas na Estratégia de Lisboa, enquanto os objectivos relativos à redução do CO2 e do consumo de energia e aumento das energias renováveis são a trave mestra do programa europeu de protecção do clima.

 

Fonte: Jornal público de 3 de Março

Programa Inov-Social promove 1000 estágios profissionais

Estão abertas candidaturas ao mais recente programa de estágios profissionais, Inov-Social. Têm a particularidade de ter lugar em instituições sociais.

As candidaturas decorrem até 30 de Abril. Devem ser efectuadas exclusivamente pelas entidades beneficiárias ou organizadoras, através de formulários próprios disponíveis em www.inovsocial.gov.pt.

Para se candidatar clique em:

image

O programa, recentemente aprovado em Conselho de Ministros, tem por objectivo colocar 1000 jovens qualificados em estágios a realizar em instituições da Economia Social.

Instituições particulares de solidariedade social ou equiparadas, Misericórdias, cooperativas de solidariedade social, entidades culturais de âmbito social, associações de desenvolvimento local, entre outras associações, federações e confederações constituem a lista de locais de acolhimento para os jovens estagiários.

Este programa de estágios profissionais foi criado no âmbito de uma política de afirmação do potencial de criação de emprego do sector da Economia Social.

Os destinatários são jovens desempregados, com idades até 35 anos, habilitados com qualificação de nível superior numa das seguintes áreas de formação: Economia, Gestão, Direito, Ciências Sociais e Engenharia.

Fonte: Programa INOV-SOCIAL