Boia de salvamento por GPS dá vitória a Estarreja

Distinção que nos enche de orgulho.
Diário de Aveiro – 2 de junho de 2019.
Notícia, também publicada no site da Câmara Municipal de Estarreja: https://www.cm-estarreja.pt/noticias/7956 

62088466_2331824227137962_1989855646702370816_n

Prémio Fundação Ilídio Pinho “Ciência na Escola” – 16.ª Edição | Inscrições abertas

FIPCE-18-19-site

A ciência na escola ao serviço do desenvolvimento de Portugal.

Está aberto, até ao dia 24 de dezembro de 2018, o Concurso de Ideias para a presentação de propostas de projetos nos cinco escalões a concurso:

1.º Escalão – projetos com a participação de crianças da educação pré-escolar;
2.º Escalão – projetos com a participação de alunos do 1.º Ciclo do Ensino Básico;
3.º Escalão – projetos que envolvam alunos do 2.º Ciclo do Ensino Básico;
4.º Escalão – projetos que envolvam alunos do 3º. Ciclo do Ensino Básico;
5.º Escalão – projetos que envolvam alunos do Ensino Secundário.

Para mais informação consulte o Aviso de Abertura e o Regulamento

 

3.º e último dia da XII Mostra Nacional de Ciências, concurso de Jovens Cientistas.

Na sessão de encerramento, contámos com a presença do Diretor do Agrupamento de Escolas de Estarreja, Jorge Ventura, a âncora de esperança para o fortalecimento de uma Escola de referência.
Uma saudação especial ao vereador responsável pelo pelouro da Educação da Câmara Municipal de Estarreja, João Alegria, agradecendo a sua presença.
E como os últimos são sempre os primeiros, aos nossos alunos, um agradecimento muito especial, pelo seu desempenho, seriedade e dedicação, uma prestação exemplar: Andreia Filipa Anjos Lopes Mané ( a frequentar o 1.º ano da Universidade), Bruna Alexandra Dias Oliveira, Diana Isabel Abreu Nunes, Gisela Sofia dos Santos Aguiar; Henrique Rafael Rodriguez Lopes e Ricardo Manuel Cosme dos Santos.

FORAM FANTÁSTICOS!

A Universidade de Aveiro (UA) integra um novo consórcio no âmbito da MEDICINA REGENERATIVA

Mais uma boa notícia, esta também no âmbito da MEDICINA REGENERATIVA.
A Universidade de Aveiro (UA) integra um novo consórcio para a criação, até 2024, de um Centro de Investigação em Medicina Regenerativa e de Precisão em Portugal, que garantiu um financiamento de 15 milhões de euros da União Europeia.
Fonte: Jornal Diário de Aveiro, 12/02/2018

27655505_1991588244494897_7928268127378409995_n

IDEIAS INOVADORAS: Combustível feito a partir de soja – Prémio a investigadora da Universidade de Coimbra

Combustível

“Investigadora do Centro para a Ecologia Industrial da Universidade de Coimbra (UC) Érica Castanheira foi distinguida com o Prémio Científico Mário Quartin Graça pela sua tese de doutoramento sobre a pegada ambiental do biodiesel.

A tese de doutoramento de Érica Castanheira, “desenvolvida no âmbito de diversos projetos internacionais sobre os impactes ambientais associados ao biodiesel produzido a partir de soja e de palma cultivadas na América Latina, foi distinguida na categoria de Tecnologias e Ciências Naturais”, revelou a UC.

A equipa de especialistas estudou o impacto ambiental de ciclo de vida do biodiesel de soja e palma, isto é, avaliou “emissões poluentes, como, por exemplo, os gases com efeito de estufa, em todas as etapas do processo, desde o solo usado para o cultivo no Brasil, Argentina e Colômbia, até à extração de óleo, transporte, produção de biodiesel e distribuição”, explica Érica Castanheira.

Cerca de metade do biodiesel utilizado em Portugal é produzido a partir de semente e óleo de soja e palma, importados da América Latina.

O estudo assume, por isso, particular relevância para ajudar os produtores nacionais a “optarem pelas melhores soluções, por forma a cumprir as metas impostas” pela União Europeia (UE), sustenta a investigadora.”

Fonte: http://www.sol.pt/

Aplicação móvel para MEDIR EMOÇÕES vale prémio a investigador português.

12039196_1500858930234500_6747693002934933964_n

PORTUGAL NA VANGUARDA DO CONHECIMENTO!

David Nunes, um investigador português de 27 anos, da Universidade de Coimbra, foi distinguido com o prémio de Jovem Investigador na Conferência Internacional IEEE-14CS – Inovação para Serviços Comunitários, graças a uma aplicação inovadora.- Happy Hour – Improving Mood With An Emotionally Aware Application,

A mesma app promove caminhadas e exercício físico como forma de melhorara situação emocional de quem a utiliza, selecionando e apresentando informação em tempo real sobre espaços verdes de interesse próximos do local onde o utilizador está. Tira partido dos sensores do dispositivo para identificar, localizar e perceber o ambiente onde indivíduo está inserido.

A aplicação, que está atualmente em fase de protótipo, foi criada com o objetivo de contribuir para “mudar o paradigma” defende o investigar, considerando que “as tecnologias devem compreender o ser humano e adaptar-se às suas necessidades e desejos”.

UA abre caminho ao tratamento do vírus Ébola

60293

Uma equipa de investigadores da Universidade de Aveiro (UA) identificou sequências de DNA específicas do vírus Ébola que permitem diferenciar as distintas espécies deste vírus e distinguir o surto que começou na África no início de 2014 de outros episódios da doença. O trabalho dos especialistas em bioinformática e biologia computacional do Instituto de Engenharia Electrónica e Informática (IEETA) e do Departamento de Electrónica, Telecomunicações e Informática (DETI) da UA abre as portas tanto a novas formas de diagnóstico como ao desenvolvimento de novas terapias de combate ao vírus que, no recente surto, matou 11 mil pessoas. 

UA cria mosaicos que reduzem a fatura energética

pavimentos_SAPO

A Universidade de Aveiro está na vanguarda da investigação universitária em Portugal e no mundo.

Deixo-vos com mais um exemplo, disso mesmo.

“O Departamento de Materiais e Cerâmica da Universidade de Aveiro (UA) criou uma série de novos materiais que estão a ser incorporados em pavimentos e revestimentos cerâmicos, que demonstram um comportamento mais eficiente do ponto de vista energético que os pavimentos ou revestimentos convencionais. Estes novos materiais atenuam as transferências de energia com o exterior e diminuem a amplitude térmica no interior dos edifícios – que se traduz numa poupança na factura da electricidade mas também em menores emissões de gases com efeito de estufa para a atmosfera.

Os novos mosaicos, que já estão testados para aplicação em pavimentos, são compostos por duas camadas: uma camada densa que pode assumir aspectos e cores diversas e uma camada inferior, mais porosa, composta por um material com mudança de fase que tem como característica principal a capacidade de reter durante o dia a energia que será dissipada à noite, sob a forma de calor.

Estes novos materiais cerâmicos “demonstram um comportamento mais eficiente, do ponto de vista energético, do que os pavimentos/revestimentos convencionais, tendo-se verificado uma atenuação das transferências de energia com o exterior e uma diminuição da amplitude térmica no interior dos edifícios”.

Fonte:http://greensavers.sapo.pt/

Cientistas criam exoesqueleto

A tecnologia avançou bastante, principalmente no que compete à reabilitação de pessoas com alguma deficiência física.

O exoesqueleto, que pode ser encaixado em qualquer ténis de corrida, reduz o déficit energético de uma caminhada em cerca de 7%, quantidade que pode ser útil para pessoas que têm dificuldade em andar ou que precisam realizar longas caminhadas.

Uma redução nessa quantidade não é completamente nova. Em 2013, um grupo de pesquisadores conseguiu reduzir o custo energético de uma caminhada em 6% graças a um sistema de ar comprimido. Outros cientistas conseguiram criar exoesqueletos alimentados por motores e baterias.

Ler notícia: http://info.abril.com.br/noticias/ciencia/2015/04/

Ideia inovadora premiada – Guia inteligente de apoio a cegos

A qualidade reconhecida da formação, o mérito da investigação nas universidades portuguesas fica patente nesta notícia que aqui  partilho consigo.

Investigadores da Universidade de Coimbra desenvolvem Guia Inteligente para orientar pessoas cegas no interior de edifícios públicos, aumentando a autonomia dessas pessoas nas atividades do seu dia-a-dia.

Na prática, trata-se de uma aplicação para Smartphone desenhada para ajudar, de forma rápida, intuitiva e segura, o utilizador a encontrar serviços e produtos desejados no interior de edifícios públicos.

A partir do telemóvel, o sistema “SmartGuia: Shopping Assistant for Blind People” utiliza as tecnologias Bluetooth e Wi-Fi para orientar o cego até ao seu objectivo, respondendo a perguntas e facultando informação clara sobre lugares, produtos e serviços que se encontram no edifício.

Segundo o coordenador do projeto, José Cecílio, “O guia é acionado pelo utilizador e, a partir daí, atualiza constantemente a informação: estabelece percursos e indica distâncias, descreve o ambiente envolvente (por exemplo, a que distância está do elevador ou de escadas), identifica pontos de interesse, etc.»

Apesar de ter sido desenvolvido para guiar pessoas cegas, este sistema, premiado recentemente pelo Instituto Fraunhofer Portugal, pretende alargar a utilização a qualquer cidadão. O objetivo é que «ao entrar no centro comercial, o cliente possa saber quais as lojas que estão com promoção nesse dia, em que produtos e qual a percentagem de desconto. Nesse sentido, vamos implementar um projeto-piloto num centro comercial de Coimbra», segundo a explicação dada pelo mesmo investigador.

Fonte: Site Ciência Hoje

Novas ideias de negócio – Pastel de nata que pode ir ao microondas

ua_mealfood_equipa

Mais uma boa ideia …

Um pastel de nata com maior teor de fibra dietética e menos teor de gordura estará brevemente no mercado.

Dado que, os pastéis de nata que existem, atualmente, no mercado, se forem sujeitos a ultracongelação e reaquecimento em microondas, adquirirem uma textura diferente com a massa folhada a não ficar crocante, a empresa “Mealfood”, sediada em Albergaria-a-Velha, partiu à procura de uma solução para o problema…

Colocado o problema à Universidade de Aveiro, uma equipa do Departamento de Química, coordenada por Manuel Coimbra,  desenvolveu em seis meses um pastel de nata pronto a consumir, quente e crocante, que é obtido após um simples reaquecimento em forno de microondas.

Este pastel de nata será vendido como produto ultracongelado e totalmente confecionado, bastando um minuto de aquecimento.

Fonte: Diário de Aveiro de 17/9/2014

Concurso nacional de inovação e empreendedorismo – 1.º lugar – Combater o cancro através dos ovos da galinha

???????????????????????????????

“No nosso dia-a-dia, estamos habituados a ouvir falar da utilização de ovos para fins culinários mas, no seio da U.Porto, há quem acredite que os ovos podem ser usados em prol dos avanços na saúde. É esse o foco do trabalho desenvolvido pela Expertus, empresa incubada noParque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC)e vencedora da edição 2014 do prémio IDDNET-Technology Network, atribuído no âmbito do concurso nacional de inovação e empreendedorismo – Arrisca C – promovido pela Universidade de Coimbra.”

O projeto  aposta na realização de ensaios in vivo no ovo de galinha que permitem conhecer os mecanismos de desenvolvimento do cancro e a triagem de compostos com potencial terapêutico. Uma ideia que acabou por se distinguir entre os 105 projetos que participaram na competição promovida pela U.Coimbra.

Fonte: Notícias – Universidade do Porto (online)

Criação de petróleo artificial para sair da crise

António Martins Rodrigues, 40 anos, actualmente desempregado, sugere uma ideia completamente inovadora, lançar uma equipa de investigação que estude criação artificial de petróleo.

 

Para saber mais visualize este vídeo

 

Petróleo artificial para sair da crise

 

In Expresso, http://www.movimentomilenio.com/ 21 de Abril de 2011

Mestrado em Bioempreendedorismo

 

A biotecnologia vive basicamente de empreendedores,  pessoas que se lançam em projectos com a missão de desenvolver novos produtos e serviços tirando vantagens dos mais recentes avanços das biociências. Para facilitar a criação de empresas por parte de quem tem conhecimento especializado nesta área, surge agora o Mestrado em Bioempreendedorismo.

 Promovido pela CESPU – Cooperativa de Ensino Superior, Politécnico e Universitário, em Gandra,  os formandos deste mestrado deverão adquirir noções concretas de Macroeconomia, Gestão de Recursos Humanos ou simplesmente Planos de Negócios.

 No final do curso, os participantes devem ficar habilitados a:

  • identificar uma oportunidade de converter um processo biotecnológico numa aplicação empresarial;
  • liderar e participar em equipas responsáveis pela implementação de uma bioempresa;
  • conhecer a legislação aplicável às questões do bioempreendedorismo;
  • conhecer e lidar com os apoios e financiamentos disponíveis ao bioempreendedorismo;
  • negociar, gerir, investir numa estratégia de sucesso que sustente a aplicação empresarial;
  • tornar um projecto empreendedor em biotecnologia, num exemplo de sucesso.

 Para mais informações, consulte a CESPU.

Fonte:Portal QueroMais e CESPU

Livro do dia: Portugal – O Pioneiro da Globalização

Portugal - O pioneiro das descobertas

Título:
Portugal − O Pioneiro da Globalização
A Herança das Descobertas

Autores:
Jorge Nascimento Rodrigues
Tessaleno Devezas

Páginas: 606

Edição:  Jul/2009

Preço:  19,95 EUR

Colecção: Desafios

 

 

O mais ocidental e periférico país europeu viu emergir um intento estratégico que lhe valeu o lugar único de primeira potência global. Nunca os imperadores mongóis ou chineses, nem os mercadores e estrategos das Repúblicas Marítimas italianas lá haviam chegado. Os que se seguiram ‘copiaram’ muito da experiência portuguesa e ‘corrigiram’ os erros estratégicos.
A História não se engana: os Portugueses de Quatrocentos e Quinhentos, ao longo de um processo evolutivo de mais de cem anos, foram os pioneiros na inovação tecnológica e geoestratégica numa época de transição. Valeram-se do improviso organizacional, de uma lógica incremental e de um pensamento aberto. Souberam agarrar uma janela de oportunidade da História que não se repetiria. Este livro demonstra, com base numa investigação científica, a originalidade portuguesa.

Este livro é uma  viagem em 608 páginas sobre a Expansão Portuguesa dos séculos XV e XVI. Uma leitura acerca do que pode e deve ser retido como memória histórica de uma época em que Portugal foi um verdadeiro ‘Estado-estratego’ imbuído de um intento global.
Um regresso à «Matriz das Descobertas» fundadora da diferença portuguesa no Mundo. A mais antiga «Agenda de Lisboa», aqui revisitada.

Este livro dirige-se a cinco tipos de leitores:

  • aos jovens, como complemento à História que aprendem no ensino formal e como mensagem para reflexão;

  • ao amador de História que há em todo o cidadão comum, contaminado pelo espírito de um passado único, hoje esquecido pela historiografia oficial e pelos media;

  • aos profissionais e estudantes de geoestratégia e de relações internacionais, sugerindo uma nova visão sobre a originalidade portuguesa na globalização;

  • aos profissionais e estudantes dos ciclos económicos, introduzindo uma ferramenta de análise aplicável à História económica e à previsão e prospectiva;

  • ao investigador, como sugestão de pistas para pesquisas futuras e polémica saudável.

Segundo a revista Executive Digest:

”Este é o livro que faltava sobre a epopeia dos Descobrimentos portugueses visto à luz da ciência económica e da geopolítica. Dois autores nacionais demonstram que Portugal foi a primeira potência mundial a desencadear o fenómeno irreversível da globalização, um tema hoje tão em voga no mundo académico e empresarial. “

Fonte: Centro Atlântico

Livro do dia – o Futuro Inventa-se

o futuro inventa-se

Título Original: O Futuro Inventa-se

Número de Páginas: 120

 

 

 

Como se inventa o futuro?

Qual é o papel da universidade no futuro do país?
António Câmara, professor universitário, investigador, empresário e um verdadeiro empreendedor, pretende dar resposta  a estas e outras questões com o seu último livro ” O Futuro Inventa-se “.
Com base na sua experiência pessoal, como professor universitário e investigador nos Estados Unidos e em Portugal, compara as duas realidades no que se refere à gestão, inovação, investigação e à passagem da universidade para a empresa.
A mensagem subjacente do fundador e líder da YDreams, um projecto empresarial de raiz universitária,  é que a universidade portuguesa deve assumir o papel de ‘ motor ‘ de criação das indústrias do futuro e de liderança da inovação científica e empresarial.
Segundo este empresário de sucesso:

” É preciso incutir autoconfiança a alunos e professores através de projectos empresariais com sucesso mundial “