ECONOMIA CIRCULAR – Sessão Informativa | SEMA

Imagem1

No dia 28 de novembro, no Centro de Negócios do Eco Parque Empresarial de Estarreja, duas turmas do 12.º Ano da Escola Secundária de Estarreja, Técnico de Gestão e Técnico de Produção em Metalomecânica, participaram numa Sessão Informativa sobre uma nova forma de se pensar a utilização dos recursos naturais, “Economia Circular”, nas áreas da Química e da Metalomecânica, cujo evento foi uma iniciativa da SEMA, Associação Empresarial Sever do Vouga, Estarreja, Murtosa e Albergaria-a-Velha.

Com base numa profunda experiência profissional, alicerçada por formação académica em diversas áreas do Ambiente e Recursos Naturais, o Prof. Dr. Carlos Borrego, primeiro orador e numa abordagem cativante, reforça a importância da transição de uma economia linear para uma economia circular, ao ser prossecutor de abordagens inovadoras, que se traduzem na necessidade de serem desenvolvidas novas eficiências e reciclabilidade dos resíduos. A economia mundial tem sido construída, desde os primórdios da industrialização, com base num modelo linear de consumo de recursos que segue um padrão “extrair-produzir- consumir- deitar fora”, que se encontra nos dias de hoje sob ameaça devido à forma e velocidade insustentável como são usados os recursos naturais, cada vez mais escassos.

Senão, vejamos os dados divulgados:                                  

– “Na UE, cada pessoa consome atualmente 16 toneladas de materiais por ano, das quais 6 toneladas são desperdiçadas, acabando metade nos aterros. – Em 2014, só em Portugal cada habitante produziu 425 kg de lixo (mais 2,5% do que em 2013). – Na Europa, 31% dos alimentos são desperdiçados ao longo da cadeia de valor. – Um carro europeu está estacionado em média 92%.  – Um escritório é usado apenas 35% a 50% do tempo, mesmo durante o horário de trabalho. – Nas indústrias do aço, plástico e papel perdem-se entre 30 a 75% do valor dos materiais no 1.º ciclo produtivo. – A União Europeia importa 6 vezes mais materiais e recursos naturais do que exporta. Em média, a Europa usa os materiais apenas uma vez.  Se continuarmos a utilizar os recursos ao ritmo atual, em 2050 teremos necessidade, em termos agregados, do equivalente a mais de dois planetas para nos mantermos.”

Uma realidade preocupante que não deixou ninguém indiferente!

Segundo o mesmo orador, não basta reciclar! A economia circular vai muito além da reciclagem, algo muito mais ambicioso como PREVENIR, REUTILIZAR, RESTAURAR, REGENERAR, promovendo a mobilização geral rumo a um novo estilo de vida, que respeite os limites impostos pelo planeta Terra.  Os resíduos deixam de ser um fim em si mesmos e tornam-se reutilizáveis. Em 2020 os resíduos terão que ser geridos como um recurso. O final de vida de um produto poderá ditar o início de outro. São estes os princípios que norteiam a economia circular.

Como avaliação da atividade, destaca-se o facto de ter sido do agrado de todos os alunos e professores participantes, pela atualidade e importância da informação/formação de uma consciência esclarecida, atenta e orientada para a prossecução dos objetivos do desenvolvimento sustentável e da ECONOMIA CIRCULAR.

FOTO 1

 

Continuar a ler

Anúncios

Visita de estudo – Banco de Portugal (filial do Porto) e empresa ALTRONIX (PME de Excelência)

No passado dia 6 de novembro, os alunos do 12.º H, Curso Profissional de Técnico de Gestão deslocaram-se em visita de estudo ao Banco de Portugal, filial Porto e empresa ALTRONIX sediada na Trofa, no âmbito dos objetivos do curso e, especificamente, das disciplinas de Gestão e Cálculo Financeiro e Estatística Aplicada.
Das melhores visitas … Bons ensinamentos:

  • Banco de Portugal – Basta TOCAR, OBSERVAR e INCLINAR para distinguir as notas verdadeiras das contrafeitas sem ser preciso recorrer a equipamento especial, através de elementos de segurança (Papel fiduciário – Marcas de água – Filete de segurança – Registo frente / verso – Impressão em relevo – Banda holográfica – Banda holográfica com retrato – Número esmeralda – Janela com retrato – Banda iridescente – Número de série – Microtextos – Tintas fluorescentes); Dada a sofisticação de algumas notas contrafeitas a utilização de equipamento ultravioleta para deteção de fibras fluorescentes na série 1 e série2; O que fazer com notas mutiladas ou danificadas e o que fazer se recebermos uma nota suspeita, foram entre muitas outras, informações preciosas, dicas técnicas extremamente úteis…
  • Empresa ALTRONIX (“PME de Excelência” pelo 7.º ano consecutivo e 4.º ano consecutivo como uma das “Melhores Empresas para Trabalhar” ) dedica-se ao fabrico, distribuição e suporte de soluções profissionais na área da Identificação de pessoas, Codificação de produtos e Mobilidade empresarial – Pudemos apreciar uma empresa que aplica as mais recentes tecnologias e práticas empresariais, as soluções fornecidas permitem automatizar e otimizar processos logísticos nas mais diversas áreas de negócio, reduzindo custos operacionais, rentabilizando tempo e aumentando a produtividade dos seus clientes.

Técnica que produz energia elétrica a partir de plantas

Pesquisadores-extraem-energia-elétrica-de-plantas

“Em parceria com a Universidade de Cambridge, a designer suíça Fabienne Felder criou um aparelho sonoro que utiliza plantas como fonte de energia. A técnica, batizada de Células Fotomicrobianas Combustíveis, transforma os elétrons produzidos durante a fotossíntese em eletricidade. É uma espécie de placa fotovoltaica natural!

A Musgo FM, resultado do trabalho, é composta por uma mesa construída com materiais recicláveis e dez plantas conectadas a um aparelho que tem a capacidade de produzir 4,6 mW de energia por metro quadrado. Para funcionar um minuto e vinte segundos é preciso captar apenas 0,1% dos elétrons produzidos.

O objetivo, agora, é aumentar a capacidade de captura dos elétrons. Para os pesquisadores, a tecnologia será viável comercialmente entre cinco e dez anos. Está aí mais um motivo para encher sua casa de plantas!”

Fonte: The Greenest Post

Blogue da biblioteca da Escola Secundária de Estarreja

4

O blogue da biblioteca da Escola Secundária de Estarreja, CAMÕES & COMPANHIA, na hiperligação http://bibliotecaes3.blogspot.pt/ .

Esta plataforma renasce pela mão do professor bibliotecário Carlos Peixoto (outubro de 2017) e pretende ser um espaço de aproximação da comunidade escolar com a sua biblioteca. Um meio rápido e dinâmico de comunicação baseado na partilha de informações, de notícias, de novidades, de atividades culturais, na atualização de conhecimentos e na discussão/expressão de opinião.

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ESTARREJA em destaque no jornal “O Concelho de Estarreja” – 2.ª parte dos textos narrativos dos alunos

Trabalhos que garantem uma aprendizagem significativa para os alunos do Agrupamento de Escolas de Estarreja.

20170828_090239-1 (1)

Agrupamento de Escolas de Estarreja – Turma 4.ºA da Escola Básica do Mato vence Concurso Nacional

A turma A da Escola Básica do Mato, do Agrupamento de Escolas de Estarreja, foi a grande vencedora, na categoria d) 3.º e 4.º ano do Ensino Básico (em língua inglesa), formato vídeo, da 8.ª edição do Concurso “Conta-nos uma História”, uma iniciativa do Ministério da Educação.

No dia em que se comemorou o Dia da Criança, a Direção-Geral da Educação (DGE) divulgou a lista das histórias vencedoras realizadas no âmbito do concurso “Conta-nos uma história!” – 8.ª edição e produzidas por alunos da Educação Pré-Escolar e do 1.º ciclo do Ensino Básico.

O vídeo vencedor da categoria “Once upon a time…”, apresenta uma adaptação da tradicional história “Little Red Riding Hood”, com a introdução de alguns momentos musicais, que lhe conferem um tom mais contemporâneo.

IMG_20170628_130613_HDR

Este projeto foi da responsabilidade da professora de Inglês, Professora Andreia Monteiro, com a coadjuvação do professor titular de turma, Professor Rui Valente, tendo sido desenvolvido no âmbito do Plano Curricular de Turma, ao longo do segundo período, numa hora letiva destinada à lecionação da área de Expressões.

Nesta edição foram submetidas 421 histórias, nas modalidades áudio e vídeo, avaliadas por um júri presidido pela Professora Doutora Ana Amélia Carvalho da Universidade de Coimbra, e constituído por elementos da Direção-Geral da Educação (DGE), do Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares (RBE), do Plano Nacional de Leitura (PNL), Associação Portuguesa de Professores de Inglês (APPI) e da Microsoft.

A cerimónia de entrega de prémios foi no passado dia 28 de junho no Auditório Venepor, na Maia e contou com a presença do Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

 

Cerimónia de entrega de prémios referente ao Concurso, Prémio Fundação Ilídio Pinho – Ciência na Escola, 14.ª Edição – Discursos

Cerimónia de entrega de prémios referente ao Concurso, Prémio Fundação Ilídio Pinho – Ciência na Escola, 14.ª Edição, “A Ciência e a Tecnologia ao serviço de um mundo melhor”.

DISCURSOS: Ministro da Educação; Presidente da Fundação Ilídio Pinho; Presidente da República.