Prémio Nobel da Economia 2012

O Prémio Nobel da Economia 2012 foi atribuído aos norte-americanos Alvin Roth e Lloyd Shapley. Os dois desenvolveram projetos de investigação de causas e efeitos na macroeconomia e o trabalho sobre funcionamento dos mercados. Roth é professor de Economia da Universidade de Harvard e Lloyd Shapley é professor-emérito da Universidade da Califórnia.

As pesquisas dos norte-americanos centram-se sobre uma aplicação prática da teoria, com Alvin Roth a ampliar os estudos de Shapley, mostrando como unir diferentes agentes económicos.

O trabalho dos dois professores tornou possível a novos médicos serem colocados em hospitais, assim como estudantes nas escolas e, ainda, que pacientes pudessem encontrar dadores de orgãos compatíveis.

O comité destaca o “exemplo incrível de engenharia económica”, que “coroa os esforços para encontrar soluções práticas para um problema do mundo real”, analisando os problemas de desenho e os possíveis “redesenhos” dos mercados económicos através de cálculos matemáticos.

“A combinação da teoria básica de Shapley e das investigações empíricas, experiências e desenhos práticos de Roth geraram um campo florescente de investigação e melhoraram a atuação de muitos mercados”, destaca.

Podem ser encontradas à venda na Amazon as suas obras “Two-Sided Matching: A Study in Game-Theoretic Modelling and Analysis (Econometric Society Monographs)” (1992), “Game Theoretics Models of Bargaining” (2005), “Laboratory Experimentation in Economics: Six Points of View” (2005), “The Handbook of Experimental Economics” (1997), “The Shapley Value: Essays in Honor of Lloyd S. Shapley” (2005) e “Axiomatic Models of Bargaining (Lecture notes in economics and mathematical systems” (1979).

Anúncios

Nobel da Economia 2010

  

Os economistas norte-americanos Peter A Diamond e Dale T. Mortensen e o britânico-cipriota Christopher A. Pissarides foram distinguidos, hoje, com o Prémio Nobel da Economia.

A Academia sueca justificou esta tripla atribuição «pela sua análise dos mercados» na área da pesquisa.

Durante a cerimónia, Christopher A. Pissarides explicou por telefone que quis estudar os processo que influenciam a decisão de procura de um novo emprego depois de se perder o anterior, e o papel que as políticas desempenham neste processo.

 Pissarides disse que a sua teoria, que começou a desenvolver no final dos anos 70 e inícios de 80, continua muito relevante hoje em dia, com o grande crescimento do desemprego devido à crise, porque ela tenta explicar como os desempregados podem regressar ao mercado de trabalho sem um grande tempo de inactividade.

O prémio, de 1,078 milhões de euros, será entregue a 10 de Dezembro, dia em que se celebra o aniversário da morte de Alfred Nobel.

 ____________________________ 

Peter A. Diamond nasceu em 1940, em Nova Iorque. É professor no Massachusetts Institute of Technology (MIT), em Cambridge, nos Estados Unidos.

Dale T. Mortensen, nasceu em 1939 em Enterprise, em Oregon, nos Estados Unidos. Actualmente, é professor na Universidade de Northwestern, em Illinois.

Christopher A. Pissarides nasceu em 1948, em Nicosia, no Chipre. É professor na London School of Economics and Political Science, em Londres, no Reino Unido.

Prémio Nobel da Economia

nobel Ec 2009

O prémio Nobel da Economia foi hoje atribuído a dois economistas americanos, entre os quais está a primeira mulher a receber o galardão. Elinor Ostrom e Oliver Williamson receberam o Nobel pelos seus trabalhos no âmbito da “governação económica”, anunciou hoje o Comité Nobel.

Segundo o Comité Nobel, Elinor Ostrom (à esquerda na foto), da Universidade de Indiana, “demonstrou como as propriedades podem ser eficazmente geridas por associações de utentes”. Elinor Ostrom “desafiou a ideia convencional de que a propriedade comum é mal gerida e devia ser regulada por autoridades centrais ou privatizada”. A laureada estudou economias geridas por utentes, como reservas de peixe ou pastagens.

Oliver Williamson (à direita na foto), da Universidade de Berkeley, na Califórnia, “mostrou que os mercados e as organizações hierárquicas, à imagem das empresas, têm estruturas de gestão alternativas que diferem na forma de resolver conflitos de interesses”.

Notícia retirada do DN Economia – Última hora