Empregabilidade jovem – IMPULSO JOVEM

Em resposta ao agravamento da situação do desemprego jovem em Portugal e ao desafio proposto pelo Presidente da Comissão Europeia aos oito Estados membros que apresentam maiores dificuldades de integração da população jovem no mercado de trabalho, o Governo português promove o Plano Estratégico «Impulso Jovem» assente em três pilares, apoiado por diversas medidas:

– Estágios profissionais «Passaporte Emprego», destinado a incorporar jovens desempregados em entidades com ou sem fins lucrativos, em particular as do setor de bens transacionáveis nas regiões de convergência (Norte, Centro e Alentejo), e a facilitar a transição para o mercado de trabalho nos setores de aposta estratégica através de um mecanismo de estímulo à contratação, incluindo um prémio de integração dependente da contratação sem termo

– Apoio à contratação e ao empreendedorismo e do Programa «Portugal Empreendedor», abrangendo um conjunto de medidas articuladas que desenvolvem projetos de empreendedorismo levados a cabo por jovens ou por empresas que recrutem jovens desempregados há mais de quatro meses e com qualificações superiores.

  •  Adoção do Programa «COOP Jovem»como projeto de empreendedorismo jovem, apoiando a criação de cooperativas, através do financiamento direto por cada cooperante que tenha idade compreendida entre os 18 e os 30 anos e o 9º ano de escolaridade
  • Desenvolvimento do programa nacional de microcrédito, destinado a facilitar o acesso ao crédito – através da tipologia MICROINVEST – e a prestar apoio técnico na criação e na formação do empreendedor durante os primeiros anos de vida do negócio, dando prioridade aos casos em que o beneficiário ou contratado tenha idade compreendida entre os 16 e os 34 anos e seja um desempregado inscrito num centro de emprego há, pelo menos, quatro meses

– Apoio ao investimento – O financiamento do Plano «Impulso Jovem» obedece às linhas estratégicas definidas pela Comissão Interministerial de Orientação Estratégica dos Fundos Comunitários e Extracomunitários, assegurando-se que uma parte dos apoios previstos são direcionados para as regiões de convergência (Norte, Centro e Alentejo), de forma a contribuir para a redução das assimetrias regionais e para a coesão territorial, social e nacional.

Fonte: CIEJD

Anúncios

Apoios ao empreendedorismo…

Despacho n.º 10554/2010, de 24 de Junho 

No âmbito das medidas de promoção da empregabilidade, foi publicado este despacho  que define o regime de acesso aos apoios concedidos no âmbito da tipologia de intervenção n.º 5.4 «Apoio à inserção de desempregados», do eixo n.º 5 «Apoio ao empreendedorismo e à transição para a vida activa», do Programa Operacional Potencial Humano.
Destinado a desempregados que se encontrem abrangidos pelo subsídio de desemprego, pelo subsídio social de desemprego ou pelo rendimento mínimo de inserção, estes apoios visam:

  • promover a empregabilidade junto daqueles, através da melhoria das suas competências socioprofissionais;
  • evitar o risco de isolamento, marginalização e desmotivação dos desempregados, levando, para isso, a cabo o seu contacto com trabalhadores e actividades profissionais;
  • apoiar actividades indispensáveis ao normal funcionamento da sociedade, nomeadamente aquelas que satisfaçam necessidades locais ou regionais.

De referir que este regulamento é apenas aplicável às regiões Norte, Centro e Alentejo.

Fonte:E-Newsletter Novas Oportunidades nº 17

Apoios do QREN para Inovação e empreendedorismo qualificado

O grande  propósito  do  programa de incentivos  às  empresas, que se encontra actualmente a  decorrer, é   o de promover  a inovação  do tecido  empresarial  português, estimulando  o empreendedorismo   qualificado.

As candidaturas  a este apoio do Quadro de referência Estratégico nacional (QREN) decorrem até 1 de Fevereiro.

cifrão

 O objectivo  dos incentivos “Inovação – Empreendedorismo Qualificado” é apoiar a criação  de novas empresas, bem  como empresas  com menos  de três  anos  de actividade,  classificadas  como pequenas e médias empresas (PME).

As  empresas  novas  ou  recentes   devem   ter  Recursos    Humanos  qualificados  ou desenvolver  actividades  em sectores  que registem   fortes   dinâmicas   de   crescimento.

No âmbito  destes   programas  de incentivos, está prevista uma dotação  orçamental  específica  para apoiar projectos complementares, inseridos nas Estratégias de Eficiência  colectiva (EEC), reconhecidas  como  pólos de competitividade e Tecnologia e outros Clusters.

As áreas  elegíveis  e definidas  como  pólos de competitividade são: Saúde, Moda, Tecnologia da Energia, Tecnologia Agro – Industrial, Tecnologias de informação, Comunicação e Electrónica e Tecnologias de Produção. O financiamento  está  dependente dos seguintes critérios: Produção de novos bens ou serviços, a adopção de novos processos e ainda a criação de novas empresas promotoras do empreendedorismo qualificado.

Todas as regiões definidas pelo INE, como NUTS II de Portugal continental são abrangidas por estes incentivos.

Para informações adicionais e formulários, consulte: www.incentivos.qren.pt.

ou clique em

QREN

Fonte: Quero Mais

Nova porta aberta ao Empreendedorismo – Aveiro

“A Universidade de Aveiro, o IAPMEI e mais 12 instituições, entre elas a Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, assinaram um protocolo para a constituição da plataforma FINICIA – Eixo 2, um projecto que incentiva  o empreendedorismo com o financiamento para a criação de novas empresas.[…]

O Eixo 2 é uma nova acessibilidade para a criação de empresas, direccionada à promoção de empresas da base zero, daí a participação de uma rede tão alargada de parceiros, nomeadamente ligados ao Ensino Superior, como é o caso da academia aveirense, que já faz parte da plataforma Finicia Aveiro/Viseu.

Realça-se o facto de a UA já integrar a rede de associados da Inovagaia, um Centro de Incubação da Base Tecnológica, de Vila Nova de Gaia, que tem como missão acolher projectos de investigação e desenvolvimento, bem como a criação de novas empresas de base tecnológica.” […]

In Diário de Aveiro, 18 de Janeiro de 2010

PROGRAMA FINICIA – EIXO 2

O Programa FINICIA tem como objectivo promover a concretização de projectos inovadores e facilitar o acesso ao financiamento pelas empresas de menor dimensão, proporcionando-lhes recursos essenciais ao desenvolvimento da actividade nas fases iniciais do seu ciclo de vida.

Através de uma rede de centenas de entidades, o Programa desenvolve desde actividades de sensibilização para o empreendedorismo e divulgação das condições de apoio à transformação de ideias de negócio em projectos empresariais, e a empresas em fase de arranque, até ao apoio à execução de planos para ideias de negócio com carácter inovador.

Para se submeter uma candidatura a um plano de negócios, os interessados podem fazê-lo através da Bolsa de Ideias e de Meios online, ou através de um dos parceiros que integre uma das Plataformas FINICIA, nomeadamente a Universidade de Aveiro.

Consulte:

Empreendedorismo – Conferência Nacional

O primeiro grande evento de empreendedorismo de 2010 vai reunir um conjunto de figuras com reconhecido mérito e know-how nas áreas académica, financeira, política, empresarial, associativa e de incubação de empresas. O ministro da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento, Vieira da Silva, estará presente na iniciativa.

13 de Janeiro, pelas 09h15,  na Sede Nacional da ANJE, Porto. 

  “Sob o mote «Portugal Empreendedor», a longa jornada de reflexão ambiciona constituir um ambiente propício ao debate e à troca de experiências que potenciem o desenvolvimento empresarial português e coloquem a capacidade de iniciativa e de inovação do topo da actualidade.  

O evento arranca com o painel «Apoios ao Empreendedorismo», a cargo do gestor do Programa Compete, Nelson de Souza. Segue-se a apresentação de casos empresariais de sucesso, histórias representativas da quarta geração de empreendedores que integra agora as equipas directivas da ANJE. As atenções voltam depois a centrar-se nos incentivos à criação de novos negócios, a propósito das «Redes de Apoio ao Empreendedorismo». A reflexão prossegue à tarde em torno daqueles que são considerados temas estratégicos para o desenvolvimento do tecido empresarial nacional: a incubação e a internacionalização.”

Fonte: Quero Mais

“Business Angels” investem em projectos com elevado potencial

 Segundo o Jornal vida económica, um grupo de 41 “business angels”, associados do INVICTA Angels – Associação de Business Angels do Porto, constituiu sociedades destinadas a investir em novos projectos de negócio com elevado potencial de crescimento.

Co-financiamento

A iniciativa enquadra-se na linha de financiamento de Co-Investimento de Business Angels, lançada pelo programa COMPETE. As novas entidades criadas agrupam a disponibilidade de investimento dos associados do Invicta Angels, com uma parceria com a Caixa Capital e com o QREN. Feitas as contas, trata-se de um valor global superior a seis milhões de euros para investimento na região norte.

Segundo um comunicado da associação, poderão ser apoiadas cerca de 50 novas empresas na região Norte.

Entre os sectores estratégicos de investimento encontram-se:

as agro-indústrias;

– as eco-actividades;

– as ciências da vida;

– a biotecnologia;

– as nanotecnologias;

– a saúde;

– a energia;

– o ambiente;

– as indústrias criativas;

– as tecnologias de informação, comunicação e electrónica.

Fonte: Vida Económica

Criação de NEGÓCIOS – Apoio aos empreendedores

Se tiver uma ideia em mente que  queira ver convertida  num negócio inovador, mas não tem meios para a concretizar pode encontrar no Programa FINICIA um bom aliado. Muitas são as empresas que já nasceram à conta do apoio fornecido por este projecto.

Finicia“O Programa FINICIA facilita o acesso ao financiamento à criação de empresas e às empresas de menor dimensão, que tradicionalmente apresentam maiores dificuldades na sua ligação ao mercado financeiro.

Através de uma rede de duas centenas de entidades, o Programa desenvolve:

  • Actividades de sensibilização para o empreendedorismo e divulgação das condições de apoio à transformação de ideias de negócio em projectos empresariais, e a empresas em fase de arranque;
  • Apoio à execução de planos de negócio  para ideias de negócio com carácter inovador;
  • Para projectos semi-estruturados com carácter inovador, o IAPMEI disponibiliza recursos para a execução de Planos de Negócio. Para submeter uma candidatura a um Plano de Negócios, pode fazê-lo através da BIM – Bolsa de Ideias e de Meios online ou através de um parceiro que integre uma das Plataformas FINICIA.”

Fonte: Site IAPMEI/FINICIA