Gripe A – Máquina que “mata” o vírus…

A opção por estratégias de inovação tornam possível a definição do negócio oportuno. Foi  ontem  apresentado, em Lisboa, um purificador de ar para inactivar o vírus da gripe A em espaços fechados.

O ar é aspirado para o interior do equipamento, sujeito ao efeito da água electrolizada – a água da torneira com que se abastece o aparelho contém iões de cloreto e, quando electrolisada, gera dois tipos de oxigénio activo: ácido hipocloroso e radicais OH. Os nomes são complexos mas têm uma missão simples: destruir a proteína que reveste o vírus da gripe (esporos), evitando que ele contamine células do hospedeiro. Mantém-se no ar, mas torna-se inactivo. O processo é concluído em cinco minutos em espaços fechados até 40 metros quadrados. O fabricante reconhece que o “’virus washer” ainda não foi apresentado às autoridades nacionais de saúde e as opiniões dos especialistas dividem-se.

Ao Expresso, o virologista do Instituto Português de Oncologia de Lisboa, Mário Cunha explica que “os vírus da gripe têm um ‘casaco e um sobretudo’ de proteínas que lhe permitem provocar a infecção. A água electrolizada destrói esse ‘sobretudo’, impedindo o vírus de fixar-se nas células humanas e, assim, infectá-las”.

Contudo, “este método só consegue destruir os vírus em suspensão no ar”, acrescenta. Ou seja, não ‘mata’ os agentes da gripe A que estejam em superfícies como mesas ou maçanetas de portas. “Para esses casos, aplicam-se as medidas de desinfecção, como a lavagem”, acrescenta.

 Nos EUA e no Reino Unido foram feitos ensaios que mostram que o “virus washer”  é ainda eficaz contra outros tipos de vírus, bactérias e alérgenos, por exemplo. No Japão já existem equipamentos de ar condicionado com o sistema “’virus washer”.  

Este equipamento da marca Sanyo, chegará a Portugal a 15 de Dezembro na versão doméstica e na versão industrial (com capacidade de purificar salas até 100 metros quadrados com grande concentrações de pessoas – exps. Escolas, Hospitais, etc.).

Fonte: Expresso.pt

Anúncios

Gripe A (H1N1) em jogo

A Gripe A (H1N1), não deve ser assunto para brincadeiras, mas surgiu um jogo ( em inglês ) que leva esta temática a sério. O objectivo é gerir a propagação do vírus, tomar medidas para o prevenir e erradicá-lo.

gripe A

http://www.thegreatflu.com/

Gripe A – A importância de lavar as mãos

A limpeza e higiene constituem o primeiro passo para um mecanismo de defesa adequado.

lavar mãos

Em tempos de gripe A, a lavagem das mãos ganhou destaque ainda maior. Segundo a Organização Mundial da Saúde, no caso da influenza AH1N1, lavar as mãos pode ser uma medida de prevenção mais eficaz do que usar máscaras cirúrgicas. “Ao espirrar, normalmente as pessoas levam a mão à boca e nariz. O vírus influenza permanece vivo nas mãos por até 15 minutos e nas superfícies por até 48 horas”. Nesse período todas as pessoas e objectos ou superfícies que forem tocadas serão contaminados.

 

A maioria das doenças poderiam ser evitadas com a simples lavagem correcta das mãos.

O influenza não é o único vírus que tem uma vida longa fora do corpo humano. O rotavírus, que provoca vómito, diarreia e febre, especialmente em crianças menores de cinco anos, pode permanecer vivo por até duas semanas em superfícies e objectos como brinquedos, por exemplo. A lavagem das mãos depois da troca de fraldas é essencial para evitar a contaminação pelo rotavírus. O vírus sincicial respiratório (VSR), que pode provocar pneumonia, sobrevive dez vezes mais tempo nas superfícies do que nas mãos, por exemplo. Já o vírus da hepatite B fica vivo por até sete dias no ambiente.

Fonte: SIS.SAÚDE

 

Gripe A (H1N1) no Ambiente de Trabalho – Pessoas em Risco

Gripe 1

O ambiente de trabalho é uma potencial  incubadora de doenças e uma ameaça à saúde das empresas. O  impacto financeiro que uma doença pode causar num negócio é assustador, pesquisas mostram que pelo menos 15% dos empregados faltam ao trabalho a cada ano que passa,  apenas por causa de gripes. O pânico que uma doença contagiosa pode causar numa organização é deveras preocupante, levando as pessoas a ficar em casa para evitar contágio.

Preparar e difundir  medidas de prevenção antes de uma pandemia ocorrer, pode significar a diferença entre a continuação de um negócio ou o seu encerramento. Conhecer as manifestações  deste tipo de gripe, bem como as suas formas de transmissão, constitui a melhor forma de, sem alarmismos, adoptar as medidas de prevenção mais adequadas.

Aconselho a leitura da informação emitida pela Direcção-Geral da Saúde.