IMIGRAÇÃO GLOBAL

TER OU NÃO TER, EIS A QUESTÃO|

Se toda a riqueza é o produto do trabalho, porque é que a riqueza do mundo está nas mãos de alguns indivíduos e não na classe trabalhadora?

Confira a resposta visionando o pequeno vídeo.

SEMANA ECO – Escola Secundária de Estarreja

Caprrrrturar

O auditório da Escola Secundária de Estarreja encheu esta quinta-feira para receber o colóquio “2015 Ano Europeu do Desenvolvimento – Pequenos passos grandes ideias”, evento organizado pelos alunos da turma do 11.º H (C. Profissional de Gestão), no âmbito da disciplina, Área de Integração.

A iniciativa visou uma reflexão sobre os desafios para mudar as formas de pensar e agir em torno da questão ambiental.

Contou com a intervenção do Eng.ro Pedro Gonçalves da DOW Portugal e as apresentações de dois projetos de cariz inovador desenvolvidos por alunos que participaram no 1.º Bootcamp de Estarreja.
– “Produção de biocombustível (bioetanol) a partir da destilação de milho em grão” – Inês Marques Brandão (12.º A) e Gilberto Miguel da Silva Pereira Valente (12.º C).
– “Isqueiro termoelétrico acionado por sistema inovador amigo do ambiente” – Mónica Rodrigues (11.º H) e Juliana Silva (11.º H).

11038875_1419999828320411_5233394571920008294_n

11222419_1419999918320402_488443856084110362_n

11231147_1420000071653720_439272927678487160_n

“Educação e Desenvolvimento na Época da Globalização” – Colóquio na Escola Secundária de Estarreja

Promovido pela Escola Secundária de Estarreja, decorreu hoje, no seu auditório um colóquio com o título, “Educação e Desenvolvimento na Época da Globalização”. Perante uma plateia verdadeiramente interessada de alunos e professores, o brilhante palestrante, Dr. António Nogueira Leite, vice chairman da Caixa Geral de Depósitos, centrou o interesse da sua comunicação na educação, considerada como um processo múltiplo e variado, o maior recurso que uma sociedade dispõe, para poder enfrentar as tensões económicas e dar respostas adequadas às novas exigências de competitividade que marcam o mercado globalizado.

 

Negócio inovador – Grupo Auchan lança negócio de venda automóveis pela Internet

A cadeia francesa do ramo da distribuição Auchan lançou-se no negócio da venda de automóveis. A maior novidade é o negócio ser concretizado através da Internet, concretamente através do domínio auto.auchan.fr.

Auchan.fr

O serviço vai ser prestado em colaboração com a Auto-IES, um distribuidor de automóveis que resgata stocks a concessionários franceses e estrangeiros com descontos próximos dos 40%. A Auto-IES confere ao negócio a sua experiência e destreza no domínio, enquanto a Auchan concede visibilidade através das numerosas lojas espalhadas por França.
Esta multinacional do retalho espera vender entre 5 a 10 mil viaturas por ano com este serviço comercial.
Que se seguirá, aviões, barcos ou casas?
                                                                                                                          Fonte:
Hipersuper

Jogo de Gestão – Saiba qual a sua vocação

Encontra-se online um JOGO DE GESTÃO, lançado pela L´Oréal, que pretende ajudar a nova geração de estudantes a encontrar o caminho profissional mais adequado. O jogo convida os alunos a desempenharem o papel de um estagiário, experimentando várias profissões. Este jogo pretende proporcionar aos futuros profissionais diversos conteúdos   pedagógicos nas mais diversas áreas, como Marketing, Finanças, Comercial, etc.

Esta iniciativa inovadora vai de encontro a um dos principais objectivos da L´Oréal: recrutar e atrair os mais diversos perfis de carreiras entre os jovens de todo o mundo.

Para entrar no jogo deve registar-se. Nesta viagem virtual inovadora, fique a saber QUAL A SUA VOCAÇÃO!

Fonte: Semanário Sol de 12 de Fevereiro

Livro do dia: Portugal – O Pioneiro da Globalização

Portugal - O pioneiro das descobertas

Título:
Portugal − O Pioneiro da Globalização
A Herança das Descobertas

Autores:
Jorge Nascimento Rodrigues
Tessaleno Devezas

Páginas: 606

Edição:  Jul/2009

Preço:  19,95 EUR

Colecção: Desafios

 

 

O mais ocidental e periférico país europeu viu emergir um intento estratégico que lhe valeu o lugar único de primeira potência global. Nunca os imperadores mongóis ou chineses, nem os mercadores e estrategos das Repúblicas Marítimas italianas lá haviam chegado. Os que se seguiram ‘copiaram’ muito da experiência portuguesa e ‘corrigiram’ os erros estratégicos.
A História não se engana: os Portugueses de Quatrocentos e Quinhentos, ao longo de um processo evolutivo de mais de cem anos, foram os pioneiros na inovação tecnológica e geoestratégica numa época de transição. Valeram-se do improviso organizacional, de uma lógica incremental e de um pensamento aberto. Souberam agarrar uma janela de oportunidade da História que não se repetiria. Este livro demonstra, com base numa investigação científica, a originalidade portuguesa.

Este livro é uma  viagem em 608 páginas sobre a Expansão Portuguesa dos séculos XV e XVI. Uma leitura acerca do que pode e deve ser retido como memória histórica de uma época em que Portugal foi um verdadeiro ‘Estado-estratego’ imbuído de um intento global.
Um regresso à «Matriz das Descobertas» fundadora da diferença portuguesa no Mundo. A mais antiga «Agenda de Lisboa», aqui revisitada.

Este livro dirige-se a cinco tipos de leitores:

  • aos jovens, como complemento à História que aprendem no ensino formal e como mensagem para reflexão;

  • ao amador de História que há em todo o cidadão comum, contaminado pelo espírito de um passado único, hoje esquecido pela historiografia oficial e pelos media;

  • aos profissionais e estudantes de geoestratégia e de relações internacionais, sugerindo uma nova visão sobre a originalidade portuguesa na globalização;

  • aos profissionais e estudantes dos ciclos económicos, introduzindo uma ferramenta de análise aplicável à História económica e à previsão e prospectiva;

  • ao investigador, como sugestão de pistas para pesquisas futuras e polémica saudável.

Segundo a revista Executive Digest:

”Este é o livro que faltava sobre a epopeia dos Descobrimentos portugueses visto à luz da ciência económica e da geopolítica. Dois autores nacionais demonstram que Portugal foi a primeira potência mundial a desencadear o fenómeno irreversível da globalização, um tema hoje tão em voga no mundo académico e empresarial. “

Fonte: Centro Atlântico