Dia Mundial do Ambiente – Secundária de Estarreja

Em comemoração do dia Mundial do Ambiente, Inês Lousinha professora de Educação Visual (departamento de Artes), numa aula síncrona (videoconferência), com o 9.º E e G, trouxe um convidado especial, André Maciel, que apresentou o seu projeto «Hortas XL» e livro digital «Germina-te» com o objetivo de incentivar os alunos a criar as suas próprias hortas, em casa.

“HORTAS FAMILIARES”, como projeto, coloca em prática um Domínio de Autonomia Curricular, DAC, com contributos para a melhoria das aprendizagens, por meio do desenvolvimento de técnicas básicas de produção, cuidados essenciais com a qualidade dos produtos para a realização de refeições mais saudáveis.

Para além de uma prévia orientação dos professores, Edgar Dias, João Ferreira, (também presentes na videoconferência) e Inês Lousinha, de uma forma descontraída e cativante, os alunos foram surpreendidos por André Maciel, também, para a planificação de uma horta, para as técnicas de preparação do solo e a importância da prática de compostagem.

Uma aula diferente, experiência a repetir, privilegiando a abordagem unificadora de interdisciplinaridade, através da articulação de conteúdos programáticos (física/química, geografia e artes), da terra para a cozinha e da cozinha para a mesa, os alunos vão começar a cultivar, cuidar, colher e preparar produtos sazonais nutritivos, num novo conceito de aprendizagem.

Prof.ª Inês Lousinha

NO TEMPO DE UMA PÁGINA


Em tempos de confinamento social a que obrigou a pandemia de Covid-19, “No tempo de uma página” e com tempo para imaginar, os alunos do 12.º B aceitaram o desafio de construir uma 2.ª Edição de Escrita Criativa (Found Poetry). Deram asas à sua criatividade e atreveram-se a uma escrita diferente.

Prof. Teresa Bagão

Projeto “Neptuno Speaker – No Instituto Politécnico de Leiria

No dia 8 de junho, auditório do Instituto Politécnico de Leiria, mais uma brilhante apresentação do Projeto “Neptuno Speaker – Boia de salvamento aquático” pelos alunos, Agostinho, Inês e Maria.
Inovadora e com um grande investimento… para Shark Tank …
Honrou-nos a presença neste evento o Presidente da Câmara Municipal de Estarreja, Dr. Diamantino Sabina e o Vereador da Cultura, Dr. João Alegria. Sob o desígnio do apoio ao empreendedorismo jovem, este Município tem feito e continua a fazer a diferença, “ousar e construir para ganhar o futuro”.
Acompanharam-nos ao Instituto Politécnico de Leiria, a professora Paula Cerca com oito alunos do 10.º I, Curso Prof. de Gestão.

A imagem pode conter: 3 pessoas, incluindo Agostinho Silva e Maria Almeida, pessoas a sorrir, pessoas em pé e interiores

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e pessoas em pé

A imagem pode conter: 6 pessoas, incluindo Rosário Santos e Paula Cerca, pessoas a sorrir, pessoas em pé, céu e ar livre

 

UNIVERSIDADE DE AVEIRO EM 1.º LUGAR A NÍVEL NACIONAL NO WORLD UNIVERSITY RANKINGS

UA_636928410798476917

“A Universidade de Aveiro (UA) subiu de 4.º para o 1.º lugar, a nível nacional, no World University Rankings, publicado pelo RUR – Round University Ranking, de Moscovo. A academia aveirense conquistou a liderança, neste ranking, a nível nacional, em duas das quatro áreas estabelecidas como critério, nomeadamente no Ensino e na Sustentabilidade Financeira (posição mantida há duas edições consecutivas nesta segunda área). 
Em 2019, foram hierarquizadas 820 instituições de ensino superior de todo o mundo, sete das quais portuguesas, tendo em conta 20 indicadores agrupados em quatro áreas da vida universitária (o ensino, investigação, diversidade internacional e sustentabilidade financeira). 
Os resultados da Universidade de Aveiro não melhoraram apenas a nível nacional. No ranking mundial, este estabelecimento de ensino superior também conseguiu aprimorar a sua posição subindo do lugar 359, conquistado em 2018, para o 219.”

Fonte: http://www.vagosfm.com/noticias

“O Galinheiro Conectado” – Workshop sobre a aplicação de inteligência artificial

IMG_2021

A convite da Câmara Municipal de Estarreja, os alunos do 10.º I do Curso Profissional de Gestão participaram no Workshop sobre a aplicação de inteligência artificial “O Galinheiro Conectado”- atividade que decorreu na Biblioteca Municipal no dia 7 de maio pelas 11horas.
Segundo o autor do Projeto, Luís Miguel Girão , artista e representante da UE, o objetivo deste workshop é “ ensinar a todas as pessoas a criar um galinheiro muito especial! Ele é conduzido pelas suas galinhas, que dessa forma limpam e fertilizam o seu campo, deixando-o preparado para as suas plantações! O Galinheiro Conectado é uma aplicação de inteligência artificial no campo da Internet das Coisas. A análise e a previsão de movimentos das suas galinhas dirigem o galinheiro no seu campo de cultivo. Sendo um produto inovador no campo da permacultura, o Galinheiro Conectado encontra-se num meio termo entre a criação livre de galinhas e a produção industrial. “The Connected Hennery inspira-se também na criação literária de Orwell. Revisitando a ideia de que a arte pode influenciar significativamente a vida, o Galinheiro Conectado, apresenta-se como um modelo transitório para uma outra organização socioeconómica de base tecnológica.”
Como convidados especiais neste evento estiveram presentes o Sr. presidente da Câmara Municipal de Estarreja, Dr. Diamantino Sabina, o representante do Grupo Lusiaves – Renato Miguel Prata dos Santos e da SONAE Marlos Silva que, num debate informal, moderado por Luís Miguel Girão refletiram acerca da Internet das Coisas e as cadeias de produção de alimentos.
Foram lançadas igualmente algumas questões pertinentes: Será que a Inteligência Artificial substituirá grande parte da força de trabalho? Ou será que a Inteligência Artificial gerará novos empregos?
Independentemente da opiniões, o que é certo é a Inteligência Artificial está a ganhar fortes impulsos dentro das empresas e com a ajuda das tecnologias, as empresas e os mercados avançam a um ritmo jamais visto na história da humanidade.
Conforme referiu a Srª Vereadora da Cultura e Turismo da Câmara Municipal de Estarreja, Isabel Simões Pinto, atividades deste género só fazem sentido se a Ciência e Tecnologia tiverem como parceiros as empresas, os órgãos de soberania e os Centros de Educação.
Os alunos do 10º I estão de parabéns pela sua postu

ra de interesse e atenção demonstrados, tendo esta atividade contribuído para o seu enriquecimento pessoal e profissional.

Texto: Prof.ra Paula Cerca
Fotos: De alunos… 

 

Concurso Desafio Empreende/EDU CAIXA – Barcelona | Final 11/05/2019 – Secundária de Estarreja

WhatsApp Image 2019-05-11 at 13.38.32
Uma arrebatadora apresentação/defesa na língua inglesa do projeto NEPTUNO SPEAKER no imponente auditório do Campus de Barcelona, foi, hoje, protagonizada pelos três empreendedores, Agostinho Silva, Inês Cruz e Maria Almeida alunos da Escola Secundária de Estarreja, 12.º ano Curso Profissional Técnico de Gestão. Competência, empenho, entusiasmo e alegria contagiante, são talvez as melhores palavras que descrevem cada um de vós. O caminho pode ter sido difícil, algumas vezes até demais. Mas todos souberam manter a confiança e nunca desistiram ou afastaram o olhar da meta.

Um agradecimento muito sentido à equipa de trabalho que com os alunos trabalharam afincadamente em diversas áreas do domínio técnico-científico. Nuno Branco (coord. projeto), Paulo Almeida, Cristina Rodrigues Ribeiro, Glória Reverendo e Adélia Felgueiras, equipa fantástica, e quero que saibam que foi uma honra trabalhar com um grupo tão extraordinário quanto este. Ao dividirmos o trabalho multiplicamos as possibilidades de triunfo.

Os parceiros de excelência, Câmara Municipal de Estarreja e ESTGA-UA, recebam o meu mais sincero agradecimento e o desejo de que continuem connosco nesta caminhada empreendedora rumo a novos sucessos.

Palavra de grande apreço, de reconhecimento e de agradecimento à Direção do Agrupamento de Escolas de Estarreja, pela colaboração, incentivo e apoio sempre facultado nesta ação empreendedora.

Ainda, nesta onda de agradecimentos, quero salientar o trabalho colaborativo dos Serviços Administrativos da Secundária da Estarreja e das assistentes operacionais, Paula Cristina Faria Tavares,  Maria Ferreira e Maria Aida.

Certamente inesquecível, o jingle realizado pela Rádio Voz da Ria. Marcante e tocante. Um agradecimento especial ao João e à Carla.

Como os últimos são os primeiros, não podia deixar de reconhecer e agradecer à Fundação La Caixa e à organização do Concurso “Desafio Empreende” o trabalho extremamente profissional neste arrojado concurso. Aos mentores pelo carinho, conhecimentos transmitidos e expressivo incentivo que dedicaram à equipa Neptuno Speaker. Expresso apreço e agradecimento ao Enric, Mar de José e Núria Peig, pela disponibilidade demonstrada no apoio e esclarecimento de dúvidas.

Nota: A decisão final do júri será conhecida apenas no final do  mês de maio …

Bem hajam por tudo!

Rosário Santos 

 

Concurso Desafio Empreende/EDU CAIXA – Barcelona | Final – Secundária de Estarreja

Atividades de mentoria no Campus de Barcelona com a nossa equipa Neptuno Speaker a participar ativamente.

59987425_2314959755491076_828705942534094848_o

 

“NOVOS CAMINHOS” Novo blogue – Jorge Ventura

Como blogger e no meu deambular pela blogosfera, dou-vos a conhecer um novo BLOGUE, que inicia, hoje, a sua aventura, prometendo ser um projeto de referência, “NOVOS CAMINHOS” do professor Jorge Ventura. Estejam atentos aos seus artigos de opinião … qual ato verbal do pensamento, numa postura crítica, reflexiva e até filosófica, que vai merecer um acompanhamento de leitura diária.

https://novoscaminhos.home.blog/

BLOGUE Jorge Ventura

Insira um título

 

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ESTARREJA FINALISTA EM CONCURSO INTERNACIONAL

O projeto, NEPTUNO SPEAKER – Boia de salvamento aquático (inteligente), representará a nossa Escola na grande final em Barcelona, “Concurso Desafio Empreende 2019”, dias 8 a 11 de maio. De entre 1232 projetos (submetidos em plataforma: relatórios e vários anexos técnicos), oriundos de diversos países, NEPTUNO SPEAKER está entre as 35 melhores ideias apresentadas a concurso, tendo passado por um processo de seleção baseado na norma da Fundação Europeia para a Ciência, incluída no European Peer Review Guide.

Este projeto foi um desafio aliciante para um grupo de quatro jovens, de grande exigência, praticado numa interação do saber técnico-científico assente numa abordagem exploratória e investigativa, através da metodologia proposta pela “EDU CAIXA” Fundação “la Caixa”, procurando a legitimação de uma tendência de trabalho na ESE, CULTURA MAKER, processo de aprendizagem em STEM (Science, Technology, Engineering and Math). Destaca-se como uma ação fundamental o trabalho desenvolvido em parceria com a ESTGA-UA, a comprovar a afirmação está a equipa de professores/engenheiros, Jorge Melo e Paulo Augusto.

A Câmara Municipal de Estarreja constituiu-se como uma parceira privilegiada do Núcleo de Empreendedorismo do Agrupamento de Escolas de Estarreja, e agradecemos toda a atenção dispensada ao nível da assessoria jurídica no processo de pedido de esclarecimento ao nível de registo de marca e de design no âmbito da execução do projeto. Sob o desígnio do apoio ao empreendedorismo jovem, este Município tem feito a diferença, “ousar e construir para ganhar o futuro”.

Uma boia “inteligente” que vai provocar mudanças no salvamento aquático mundial, trabalhada por um conjunto de 4 alunos do 12.º M, Curso Profissional Técnico de Gestão, Agostinho Silva, Carlos Teixeira (nadador salvador), Inês Cruz e Maria Castillo, sob a orientação de uma equipa de professores, Rosário Santos, Cristina Ribeiro, Paulo Almeida e Nuno Branco, coordenador do projeto.

Com a NEPTUNO SPEAKER “há mar e mar, há ir e voltar”.

Texto: Prof.ra Rosário Santos | Fotos; Dr. Hilário Matos e Maria Almeida

 

57317263_2575134205848881_220661297816010752_n

57045340_2575133852515583_1754743952893804544_o

57034739_2575134405848861_6262241099876663296_o

 

 

Negócio inovador – Break & Coffee Bar, Lda. (PAP)

Hoje, um almoço especial no Hotel Tulip Inn. Um grupo de quatro alunos empreendedores do 12.º M, Curso Técnico de Gestão, Joana Simões, Mariana Dias, Sandra Tavares e Sérgio Pombeiro, responsáveis pela apresentação/defesa de um negócio, Break & Coffee Bar, Lda. (PAP), ousaram ter no seu cardápio, dois produtos inovadores de pastelaria com sabores e texturas à base de café. 
Desafiaram a prof.ra, Chef Liliana Oliveira, que prontamente pegou nas ideias e delineadas as receitas, chegou-se à derradeira fase de “colocar a mão na massa” …
O resultado final só podia ser, DELICIOSOS e ÚNICOS, duas maravilhas da doçaria portuguesa.
E como o segredo é a alma do negócio, só resta apreciar …

Pela ousadia, qualidade e inovação, NEGÓCIO À VISTA!

Texto e fotos | Prof.ra Rosário Santos

” FAZ ALGO DRÁSTICO, REDUZ O PLÁSTICO”

O nosso planeta é único e privilegiado, por isso, merece ser tratado com respeito.

Este é um projeto dos alunos do 12.ºB e do 10.ºC, no âmbito da disciplina de Biologia e Biologia-Geologia, respectivamente.
O plástico é um material derivado do petróleo que tem vindo a ocupar grandes áreas oceânicas, sendo uma das maiores ameaças à vida aquática.
Esta campanha de redução de plástico tem como fim uma sensibilização da comunidade escolar e de toda a população.

Alunos de Estarreja distinguidos pelo Prémio Ciência Ilídio Pinho – Notícia no site da Câmara Municipal de Estarreja

Capturar

 

VII SEMINÁRIO DE EMPREENDEDORISMO JOVEM de ESTARREJA e de VAGOS – 2019

Decorreu, dia 1 de fevereiro, no Centro de Educação e Recreio de Vagos, a final do “Concurso de Ideias Inovadoras de Negócio”, integrado no VII SEMINÁRIO DE EMPREENDEDORISMO JOVEM de ESTARREJA e de VAGOS – 2019, em que participaram várias equipas de jovens das Escolas, Secundária de Estarreja, Secundária de Vagos e do colégio de Calvão, defendendo projetos perante uma plateia repleta de alunos.
A cerimónia de entrega de prémios contou com a presença do Dr. João Alegria, vereador da Cultura da Câmara Municipal de Estarreja, o seu homólogo de Vagos, Dr. Pedro Miguel C. Bento e do Dr. Jorge Ventura, diretor do AEE.

Projetos vencedores:

ESTARREJA
1.º Lugar – “CHILL4LIFE” ((kit eletrónico para berços e camas diversas…) – Inês Maia | 12.º M do Curso Profissional Técnico de Gestão

VAGOS
1.º Lugar – “CASE HIT” (capa ecológica para mala de viagem com múltiplas valências) | Francisca, Nicole e Dieter | 12.º Ano de Línguas e Humanidades

Dois outros grupos em representação da Escola Secundária de Estarreja mereceram rasgados elogios, pela maneira exemplar como os alunos defenderam as suas propostas, contribuindo a objetividade e clareza da apresentação, a tranquilidade demonstrada, a apresentação e a postura corretíssimas. Um exemplo! Parabéns.

Técnico de Gestão, Programação de Sistemas Informáticos – 12.º J
– “E-FIT” (máquinas desportivas geradoras de energia) | Gabriel Valente, Fabiano Torrão e Gabriel Silva

Técnico de Gestão -12.º M
– “NEPTUNO – Castillo e Náutica” (bóia de salvamento telecomandada) | Agostinho Silva e Carlos Teixeira.

O Concurso de Ideias de Negócios Inovadores, Jovem Empreendedor de Estarreja 2019, é desenvolvido em parceria com a Câmara Municipal de Estarreja, Agrupamento de Escolas de Estarreja/Núcleo-Clube Empreendedorismo.

Porque o futuro exige um forte sentido de competências empreendedoras e adaptação à mudança, na ESE trabalha-se constantemente com o sentido de ministrar um ensino de crescente qualidade e de exigência, garantindo o reconhecimento e certificação das aptidões técnicas e profissionais dos nossos jovens.

 

Secundária de Estarreja premiada na 15.ª edição – Fundação Ilídio Pinho

15.ª Edição – Prémio Fundação Ilídio Pinho
Escola Secundária de Estarreja mais uma vez em destaque, três projetos em concurso DOIS PRÉMIOS.

Este slideshow necessita de JavaScript.

3.º prémio – 4.º escalão (3.º ciclo) | DIGITAL LOCKER – “Sistema de Reconhecimento Biométrico” – Coordenadora, professora Filipa Vidal;
Menção Honrosa – 5.º escalão (Ensino Secundário) | “JOYBIKE e TRIREK” – A mobilidade como fator de inclusão e instrumento de humanização – Coordenadora, professora Rosário Santos.

Nesta Mostra Nacional, outro projeto esteve a concurso, o Projeto “INTELLIGENT COOLCAR” (5.º escalão), coordenado pelo professor Samuel Pereira e que recebeu rasgados elogios pela originalidade e utilização que virá a ter na indústria automóvel.

Pelo terceiro ano consecutivo, o Agrupamento de Escolas de Estarreja se destaca pela sua dinâmica e ações promotoras da educação para o empreendedorismo, práticas alicerçadas nas interligações do conhecimento científico e inovação tecnológica. Porque o futuro exige um forte sentido de competências empreendedoras e adaptação à mudança, os grupos de trabalho afetos aos projetos, trabalharam com o sentido de apresentar ideias/produtos inovadores, de qualidade, garantindo o reconhecimento e certificação das aptidões técnicas e profissionais dos nossos jovens.
Em destaque estiveram os seguintes alunos:

PROJETO DIGITAL LOCKER: Pedro Manuel Oliveira Matos e Nuno Francisco Tavares da Silva do 11.º F.
PROJETO JOYBIKE e TRIREK : Inês Valente Maia (12.º M ) e Tânia Manuela Baptista Amador 12.º H referente ao ano letivo 2017/2018;
PROJETO INTELLIGENT COOLCAR: Daniel Pinto da Silva e Nelson José Pinho de Oliveira do 12.º G.

Para o Agrupamento de Escolas de Estarreja, este é mais um reconhecimento público, fruto do trabalho entusiástico de docentes, alunos e direção, numa escola que cada vez mais se afirma na região pela qualidade do seu ensino, produzindo projetos singulares, soluções empreendedoras de base científica e inovação tecnológica. Destaca-se como uma ação fundamental o trabalho desenvolvido em parceria com a ESTGA-UA, a comprovar a afirmação está a equipa de professores/investigador, Mário Rodrigues, Jorge Melo e Paulo Augusto.

Para além das individualidades, Presidente da Fundação Ilídio Pinho, Ministro da Educação e Ciência, Delegada Regional de Educação do Centro, de vários ex-ministros e da entusiástica visita do primeiro-ministro, tivemos ainda a presença marcante do nosso Diretor, Dr. Jorge Ventura.

Nesta ESCOLA, SONHAR não é proibido… e a ambição é a porta do SUCESSO para todos os seus alunos!
_______________________________________
A professora Rosário Santos, enquanto coordenadora do Núcleo de Empreendedorismo, agradece à Câmara Municipal de Estarreja, aos colegas Samuel Pereira, Nuno Branco e João Joana os contributos e colaboração prestada na concretização dos três projetos. 
Agradece reconhecidamente todo o suporte prestado pela ESTGA-UA, DGEsTE/Direção de Serviços da Região do Centro, Direção do Agrupamento de Escolas de Estarreja e Serviços Administrativos da ESE.
Bem hajam!
__________________________ 
Mais fotos em:https://www.fundacaoip.pt/…/15a-edicao-ciencia-na-escola-d…/

Energia solar de próxima geração – Painéis solares orgânicos

estacionamento_energia_solar_carport_sunew_aes

“Estacionar o carro já é uma dor de cabeça para muitos. Imagine acrescentar a isso a necessidade de carregar esse veículo por um tempo considerável, já que ele é movido a energia elétrica. Pensando nisso, a CSEM Brasil, em parceria com a multinacional de energia AES, desenvolveu uma solução prática e extremamente sustentável: o projeto Carport. A ideia é que o produto seja facilmente integrável às cidades, utilizando energia solar de baixo custo e com a menor pegada de carbono possível.

Estima-se que, em 2025, os automóveis elétricos representem 15% do mercado mundial – dado três vezes maior do que as previsões de crescimento anteriores. O salto seria grande: hoje os carros elétricos são apenas 0,86% do mercado. No entanto, essa tendência vai na onda de uma necessidade: não há outro futuro possível, a não ser o sustentável.”

“Estacionamentos solares já existem hoje (veja aqui), mas com a tecnologia dos painéis tradicionais. Agora, a inovação dos painéis solares orgânicos (OPV – Organic Photovoltaic), desenvolvidos pelo CSEM Brasil e levados ao mercado pela spin-off Sunew, trazem mais praticidade, menor custo e mais possibilidades de design. Como as tecnologias tradicionais possuem um material muito pesado – cerca de 20kg por m² – a estrutura de um estacionamento com painéis tradicionais precisa ser muito mais robusta, aumentando os custos de produção, e instalação e dificultando sua popularização.

Já o OPV pesa apenas 400g/m², além de ser flexível e transparente, abrindo espaço para um design futurista e atrativo. Tudo isso com uma produção que utiliza materiais orgânicos a baixas temperaturas, o que caracteriza os painéis de OPV como a energia solar com menor impacto ambiental existente.”

“Um Carport vai gerar energia com muito mais facilidade de instalação. Nosso target é um estacionamento futurístico, barato e prático – que você poderia comprar, por exemplo, na Leroy Merlin, levar para a casa e instalar onde desejasse”, esclarece Vilaça.

Fonte: Ciclo Vivo
 

Moradia que gera a sua própria energia

Uma incrível residência que funciona a partir de fontes renováveis!

Veja o vídeo clicando na imagem.

Imagem1

Cerimónia de entrega de prémios referente ao Concurso, Prémio Fundação Ilídio Pinho – Ciência na Escola, 14.ª Edição – Discursos

Cerimónia de entrega de prémios referente ao Concurso, Prémio Fundação Ilídio Pinho – Ciência na Escola, 14.ª Edição, “A Ciência e a Tecnologia ao serviço de um mundo melhor”.

DISCURSOS: Ministro da Educação; Presidente da Fundação Ilídio Pinho; Presidente da República.

Projeto “Máquina Multifunções – ESPOLIX” | Mostra Nacional Prémio 14.ª Edição Fundação Ilídio Pinho

19238043_1920069311583296_5264918797923212990_o

Na Mostra Nacional, 14.ª Edição Fundação Ilídio Pinho, a Escola Secundária de Estarreja teve mais outro projeto a concurso, o Projeto “Máquina Multifunções – ESPOLIX, coordenado pelo professor, Samuel Pereira e que recebeu rasgados elogios pela originalidade e utilização que virá a ter nas pequenas e médias empresas.

 

 

MENÇÃO HONROSA para ESCOLA SECUNDÁRIA DE ESTARREJA – Prémio Fundação Ilídio Pinho – Ciência na Escola, 14.ª Edição

Escola Secundária de Estarreja volta a receber mais um prémio!

IMG_3262

No dia 30 de junho, no Convento São Francisco, Coimbra, o Projeto “COLTEC – Colete Tecnológico “Wearable Technology” ao serviço da Segurança Rodoviária” conquistou mais um prémio, recebendo uma Menção Honrosa no valor de 3000€ da Fundação Ilídio Pinho – Ciência na Escola, 14.ª Edição, “A Ciência e a Tecnologia ao serviço de um mundo melhor”.

A entrega dos prémios às escolas com projetos distinguidos foi feita em cerimónia pública contando com a presença do Ministro de Educação e Ciência, Dr. Tiago Brandão Rodrigues, do Presidente da Fundação Ilídio Pinho, Eng.ro Ilídio Pinho e do Presidente da República, Dr. Marcelo Rebelo de Sousa.

Tivemos a presença marcante e entusiástica do nosso Diretor, Dr. Jorge Ventura, as visitas muito especiais e que nos sensibilizaram, Reitor da Universidade de Aveiro, Dr.Manuel Assunção, Secretário Executivo da CIRA, Dr. José Eduardo de Matos, Vereador da Cultura e da Educação da Câmara Municipal de Estarreja, Dr. João Alegria, Vereadora da Cultura e da Educação da Câmara de Albergaria-a-Velha, Dr.ª Catarina Rosa Mendes, da ESTGA-UA, o Prof. Dr.Mario Rodrigues, Eng. Paulo e Jorge Melo e muitas outras individualidades da Fundação Ilídio Pinho, governo e x-ministros.

Este projeto foi um desafio aliciante, de grande exigência, praticado numa interação do saber técnico-científico assente num problema multidimensional “elevada percentagem de acidentes rodoviários entre ciclistas e peões”, que requereu uma observação abrangente das determinantes, das consequências e das soluções, bem como exigiu medições e comparações de variáveis em estudo. O colete integra nas costas um ecrã de leds (permitindo remoção/lavagem) para a passagem de sinais rodoviários e texto (Peregrino; Trabalhos; Treino; Perigo). As nossas alunas, Andreia FilipaBeatriz RodriguesGisela Aguiar e Soraia Santos, sonharam e ousaram pôr em prática uma ideia inovadora, no âmbito da “Wearable Tecnology”, planeando e concretizando um protótipo, com os seus parceiros privilegiados, ESTGA-UA e a empresa Aveicellular, Lda. uma solução com boa relação custo-benefício, projetada para permitir reduzir a sinistralidade rodoviária.

“…sempre que um homem sonha, o mundo pula e avança!” 
(António Gedeão)

DSCN5925

 

 

DSCN6053

 

Jovem holandês que inventou sistema para tirar plásticos do oceano vai lançar o seu produto

Boyan-Slat-may-2017.png.653x0_q80_crop-smart (1).png

Em 2013, o  holandês de apenas 19 anos que havia desenvolvido um sistema inovador para limpar os lixos plásticos do oceano,  prevê o lançamento de seu equipamento no mercado em 2018.

Boyan Slat era apenas um estudante quando realizou uma viagem de mergulho na Grécia. Na época, ele ficou surpreendido com a quantidade de resíduos encontrados no mundo subaquático e uma vez de volta à terra decidiu que precisava fazer algo para ajudar a resolver o problema.

Segundo o desenho apresentado por Slat inicialmente, a máquina tem a aparência de uma arraia e é equipada com pás gigantes que ajudam a retirar todo o resíduo. Depois de centralizar todo o material, ele é direcionado às plataformas que filtram o lixo e armazenam o plástico para a reciclagem.

Para viabilizar seu projeto ele conseguiu arrecadar 320 milhões de dólares. A estimativa do jovem é que o sistema apanhe cerca de 50% da “Grande Porção de Lixo do Pacífico” (uma ilha de lixo localizada no oceano Pacífico) em apenas cinco anos. Anteriormente, o cálculo era de que o equipamento levaria mais de dez anos para limpar/retirar 42%.

A promessa de maior velocidade para retirar o lixo deve-se a uma inovação de design aplicada nos últimos anos. Ao invés de todas as bombas do equipamento irem até as profundezas do oceano, elas ficam suspensas na água, mas anexadas com âncoras. Tais âncoras podem flutuar mais facilmente seguindo o fluxo da água, pois a mesma força que moverá o plástico também moverá o sistema de limpeza. Ou seja, as âncoras vão atrás do plástico como imãs.

Cientistas estimam que apenas na ilha de lixo do Pacífico haja trilhões de peças plásticas flutuando. A preocupação de Slat é recolher todo esse lixo antes que cada pecinha se transforme em microplásticos impossíveis de serem capturados. “Isso é o que mais me assusta. Devemos desarmar esta bomba relógio logo”, afirma.

De acordo com as pesquisas de sua equipa, por enquanto “apenas” três por cento dos plásticos ali são microplásticos – a maioria ainda é grande o suficiente para serem retiradas com o sistema. Seguindo as medições de seu grupo e programas computadorizados, o holandês está confiante de poder capturar toneladas de plástico anualmente até que todo o mar esteja limpo.

ocean-cleanup-project.jpg.838x0_q80

Sidra eco-inovadora produzida por estudantes da Universidade de Aveiro

joua_i_6093_top
“É ecológica, é simples e barata de produzir e, diz quem já bebeu, que em nada fica atrás das sidras de maçã tradicionais. Pelo contrário. A primeira sidra eco-inovadora até já tem uma empresa interessada em colocá-la no mercado. A Cidermace – assim se chama a bebida desenvolvida por um grupo de estudantes do Departamento de Química (DQ) da Universidade de Aveiro (UA) – tem nos ingredientes o aproveitamento das matérias primas descartadas e destinadas ao lixo pelas indústrias de sumos concentrados e um processo produtivo que simplifica os vários passos da receita tradicional.
 

“A principal matéria prima deste produto eco-inovador, uma característica que o diferencia de todos os outros existentes no mercado, é o bagaço de maçã, um subproduto da indústria de concentrado de sumo de maçã que nos foi fornecido pela Indumape”, desvenda a equipa. A este ingrediente, “complementa-se a utilização do concentrado de sumo de maçã, fornecido pela mesma empresa, e leveduras cedidas pela Microcervejeira Vadia” que já demonstrou interesse em adaptar à sua produção a sidra desenvolvida.

joua_i_6092_full

João Santos, estudante do Mestrado em Biotecnologia, e Eduardo Coimbra e Margarida Afonso, do Mestrado Integrado em Engenharia Química, são os estudantes que estão por de trás do desenvolvimento desta sidra eco-inovadora. O grupo teve como mentores o estudante de doutoramento Pedro Fernandes e os investigadores Elisabete Coelho e Manuel A. Coimbra. A bebida foi desenvolvida nos laboratórios da Unidade de Investigação de Química Orgânica, Produtos Naturais e Agroalimentares (QOPNA) do DQ.

Ingredientes reciclados e produção simplificada

Com a utilização de ingredientes destinados ao lixo, a cidra da UA junta o útil ao agradável. De facto, aponta a equipa, o bagaço de maçã é um subproduto da indústria de sumos concentrados, cuja eliminação traz muitas implicações ambientais e económicas para as indústrias”.

No entanto, os estudantes verificaram que existia potencialidade criativa no bagaço de maçã, nomeadamente na “valorização dos compostos de aroma e açúcares que fazem parte da sua composição química” e que, no final, “definem a bebida produzida não só em termos ecológicos, como também sensoriais”. A equipa conseguiu assim dar utilidade a este subproduto, tornando-o numa matéria-prima para a produção de sidra.

A par desta vantagem para empresas e ambiente, há outra mais valia importante a ter em conta, já que a utilização do bagaço de maçã para a produção de sidra pode diferenciar positivamente este produto. No caso do processo mais convencional, explicam os estudantes, “elimina os vários passos de extração do sumo da maçã e, consequentemente, reduz os custos de produção”.

Em relação às sidras que já usam concentrado de maçã, o bagaço de maçã permite que seja “apenas requerido um passo de extração adicional, adaptável a um processo semelhante usado pela indústria cervejeira, a brassagem”. É mesmo esse processo o que permite valorizar os compostos de aroma presentes no bagaço de maçã e que elimina a necessidade de adição de aromas, ao contrário do que acontece com muitos produtos disponíveis comercialmente obtidos a partir do concentrado de maçã.

Bebida refrescante com toque de maçã

Uma vez na boca, descreve a equipa, a ausência do doce é a primeira observação que se tem quando se bebe esta sidra, o que também a diferencia dos produtos existentes no mercado”. A esta complementa-se “o ligeiro toque a maçã que culmina num sabor e aroma refrescantes”.

As sinergias dos estudantes com as empresas Indumape e Microcervejeira Vadia foi possível graças à IngenUA, uma plataforma criada na UA para apoiar o espírito empreendedor de estudantes e investigadores.

O Cidermace é um dos projetos presentes na final nacional do Ecotrophelia, um concurso de âmbito internacional promovido pela PortugalFoods e Federação das Indústrias Portuguesas Agro Alimentares (FIPA), para “premiar a inovação do meio académico no setor agroalimentar”. O vencedor, que será conhecido a 6 de junho, irá representar Portugal na Ecotrophelia Europa 2017, que decorre de 21 a 22 de novembro, em Londres.

Fonte: http://uaonline.ua.pt/pub/detail.asp?c=50630

IDEIAS INOVADORAS: Couro vegetal produzido com resíduos de vinho

17493199_1482974415066944_8248030493854566515_o (2)

“Produzir uma opção de couro ecológico e ao mesmo tempo reaproveitar um subproduto do vinho. É esta a proposta de uma empresa italiana que busca tornar comercializável o que até então é somente resíduo.

Batizado de Wineleather, o produto é composto de fibras e óleos contidos no bagaço da uva: peles, sementes e caules. Todos esses componentes podem ser obtidos durante a produção do vinho, ou seja, é uma maneira de aproveitar algo que já seria descartado. Considerando que a Itália detém aproximadamente 18% da produção mundial, a ideia tem tudo para ser um sucesso.

O couro vegetal foi desenvolvido pelo arquiteto Gianpiero Tessitore de Milão (Itália) e fundador da empresa Vegea. Desde 2014, ele vem estudando as propriedades físicas e mecânicas de várias fibras vegetais junto a centros de pesquisa especializados. Sua iniciativa inclusive foi uma das vencedoras do prêmio Global Change Award da H & M.

No site da Vegea, o arquiteto afirma que, anualmente, são produzidos 26 bilhões de litros de vinho no mundo. Isso pode resultar em quase sete bilhões de quilos de bagaço que podem ser transformados em matéria-prima. Imagine o quanto isso pode revolucionar a moda italiana, especialmente em Milão que é uma das capitais que mais lança tendência para o mundo.

Em entrevista ao jornal económico italiano Il Sole 24 Ore, Tessitore afirmou que o processo não utiliza água, ácido ou metais pesados, além é claro de ser livre de qualquer sofrimento animal.”

Fonte CICLOVIVO

CONCURSO DE IDEIAS INOVADORAS DE NEGÓCIO 2017 – Estarreja

16195438_1776723275981396_732365084310498669_n

CONCURSO DE IDEIAS INOVADORAS DE NEGÓCIO 2017
– V Seminário de Empreendedorismo Jovem de Estarreja –
Diário de Aveiro | 28 JAN

O primeiro lugar foi conquistado com o projeto “COLTEC o Colete Tecnológico – Wearable Technology ao serviço da segurança rodoviária” defendido pelas alunas Andreia Mané, Beatriz Rodrigues e Soraia Santos do 12.º Ano do Curso Profissional Técnico de Gestão, da Escola Secundária de Estarreja (Sede de Agrupamento).

III BOOTCAMP – Estarreja

Diário de Aveiro – 27 de janeiro de 2017.
16179769_1776166826037041_5891655926918631013_o.jpg

Empreendedorismo na Escola Secundária de Estarreja (Sede de Agrupamento) – 2016/2017

captrrrrurar

O Programa de Empreendedorismo na Escola é uma iniciativa, promovida pela Câmara Municipal de Estarreja em parceria com o Agrupamento de Escolas de Estarreja, através do seu Núcleo de Empreendedorismo com o objetivo estratégico de promover o empreendedorismo nas escolas do município. A Educação para o Empreendedorismo é transversal a todas as disciplinas, assumindo-se um compromisso no sentido de estimular nos nossos alunos as competências transversais, criativas e inovadoras.

ACADENIA – PARRA ALUNOS DO 10.º E 11.º ANOS

Data limite para inscrição: 12/12/2016

Link p/inscrição: http://bit.ly/ACADEMIAESTARREJA

Local/data: Laboratório de Empreendedorismo Jovem (Ciclo Criativo) onde funciona a Universidade Sénior, durante os dias 21 e 22 de dezembro.

Temas: Dinâmicas de Grupo; Objetivos Desenvolvimento Sustentável; Proposta de Valor; O Pitch; StoryBoard.

Nota: Possibilidade dos alunos poderem participar em atividade gratuitas no Município de Vagos a 19 e 20 dezembro, com a seguinte metodologia: Dinâmicas de Grupo; Objetivos Desenvolvimento Sustentável; Proposta de Valor; O Pitch; StoryBoard. (A CME garante transporte para o Município de Vagos)

BOOTCAMP – PARA ALUNOS DO 12.º ANO (C/ POSSIBILIDADE DE HAVER 1 ALUNO DO 11.º  ANO NOS GRUPOS DE 3 ELEMENTOS).

Link p/inscrição: http://bit.ly/BOOTCAMPESTARREJA

Datas do Bootcamp: 24 a 26 de  janeiro de 2017 distribuídas da seguinte forma:

  • Hotel Tulip Inn  durante os dias 24 e 25 de janeiro (dormida e refeições, …) com a seguinte metodologia de trabalho: Business Model Canvas, Pitch, Proposta de Valor, etc.

Nota: Os projetos (ideias) devem enquadrar-se num ou mais dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável definidos pela ONU.

  • Laboratório de Empreendedorismo Jovem – Ciclo Criativo no dia 26 de janeiro com dinâmicas de Grupo e Workshops para o desenvolvimento de Soft Skills.

CONCURSO DE IDEIAS PARA OS PARTICIPANTES NO BOOTCAMP.

Data/local: Manhã do dia 27 janeiro 2017 no Cineteatro de Estarreja com entrega de prémios e certificados de participação.