Outdoors de dupla função – Soluções criativas para as nossas cidades

Três soluções criativas, com dupla finalidade, simples e originais que podem resolver alguns problemas das nossas cidades.
São outdoors que, com a adição de uma curva, podem servir como rampa ao lado de uma escada, proteção contra a chuva e até mesmo banco de praça.
Projeto “People for Smarter Cities” lançado e divulgado pela IBM.

12246985_1535041826816210_2171338867510631894_n

12341581_1535041820149544_4295687116606028550_n

12294619_1535041816816211_9190480873827218041_n

Microsoft – Empresa mais atrativa do mundo para trabalhar

Capturar.J111PG

A Microsoft acaba de ser distinguida com o Global Randstad Award 2015, sendo a multinacional reconhecida como a empresa mais atrativa do mundo para trabalhar. Esta já é 15ª edição daquela que é considerada a maior pesquisa independente de employer branding do mundo, realizada em 23 países e identificando os empregadores mais atraentes entre milhares de empresas.

No estudo realizado pela Randstad, 67,8% dos entrevistados indicaram que gostariam de trabalhar para a Microsoft, seguida da Sony e Samsung. O setor de Tecnologias de Informação é considerado o mais popular, com 56,3%, para os candidatos a potenciais empregos.

Segundo Jacques van der Broek, diretor executivo da Randstad, “pela primeira vez em 15 anos de história do Global Randstad Award, o vencedor do prémio ficou em primeiro lugar em todas as escolhas de melhor empregador e que contam para esta decisão. Isso é bastante notável, considerando a concorrência feroz dos empregadores em encontrar e reter talentos, principalmente no caso dos profissionais de Tecnologias de Informação”.

O Global Randstad Award é um estudo independente realizado pela empresa de estudos de mercado ICMA para a Randstad e mete a perceção de cerca de 225 mil pessoas acerca das empresas empregadoras. Realizado em 23 países, o estudo entrevista 7 mil profissionais e candidatos a uma oportunidade de emprego, entre os 18 e 65 anos, convidando-os a identificar entre as 150 maiores empresas do país para as quais gostariam de trabalhar.

Fonte: Imagens de Marca

Concurso de empreendedorismo – 3ª. Edição Concurso Glint Business Ideas & Projects

A empresa Glintt, que atua no mercado das Tecnologias de Informação, lança a edição 2013 do concurso Glintt Business Ideas & Projects (G-BIP) para promover o empreendedorismo e facilitar o lançamento de novas tecnologias. Os desafios na área de saúde, de energia, mar ou meios de pagamento destinam-se a pessoas com ideias inovadoras e com projetos que possam conduzir ao surgimento de um novo produto ou serviço no mercado.

Um dos  critérios essencial para este concurso é a originalidade, contudo, o mais importante é a necessidade que o futuro produto possa vir a ter/criar no mercado. Será escolhido em cada uma das categorias um projeto vencedor e, dessas, será escolhida a melhor ideia. O vencedor recebe um prémio equivalente a 20 mil euros que garante o investimento em infra estruturas físicas, em materiais e equipamentos necessários para concretizar o projeto.

Ao projeto vencedor será ainda assegurado o acesso a mentores, nomeadamente engenheiros e consultores com competências técnicas, que definirão as melhores estratégias de mercado para o produto final ter um sucesso no mercado.

Os interessados devem entregar as candidaturas até 26 de abril, no site oficial do concurso da empresa. A divulgação dos vencedores vai ser feita em junho, numa cerimónia pública.

(aceda ao site clicando na imagem)

image

http://jpn.c2com.up.pt/2013/03/18/concurso_de_empreendedorismo

Ranking das empresas mais éticas do mundo

Desta extensa lista constam três empresas portuguesas: EDP, SONAE e PORTUGAL TELECOM.

 

Saiba mais clicando na imagem

Ranking da empresas éticas mundo_2012

Dinheiro Vivo – Novo jornal digital de Economia

DINHEIRO VIVO é o novo JORNAL DIGITAL de Economia com  informação diversificada e detalhada de factos económicos mais relevantes do mundo e o que cada um deles representa no nosso dia-a-dia. Uma ferramenta ágil que terá forte presença em site, redes sociais, aplicações para tablets e smartphones.

A informação é dividida em canais como:

EMPRESAS – Tudo sobre as grandes empresas nacionais e estrangeiras com uma completíssima base de dados empresarial com o perfil de mais de 20 mil empresas europeias.

ECONOMIA – Um canal com a mais completa informação sobre macroeconomia ao nível de análises de variáveis globais como: Produção, Rendimento, Investimento, Poupança, Desemprego, Nível geral de preços, etc.

FAZ – O sítio dos fazedores com histórias na primeira pessoa de projectos de empreendedorismo.

BUZZ  – Marketing, Publicidade, Design e Consumo, áreas que fazem a diferença.

GURU – Uma equipa de top responde a questões do quotidiano económico ( Actas de Condomínio,  Carreiras, IRS, etc. ).

ESTADO – Um canal dedicado à maior área da nossa economia: a Função Pública. A vida dentro dos ministérios, informação detalhada sobre a Administração local e central do Estado.

TAKE AWAY – Sugestões diárias, dos melhores conteúdos económicos na blogosfera. Estudos relevantes, artigos inspiradores, novos pontos de vista.

OPINIÃO – Os factos, a análise e a opinião, sempre em cima do acontecimento. Todas com assinatura de qualidade, e com três editoriais por dia.

REDES SOCIAIS –  Dinheiro-vivo com presença no Facebook, Twitter e Mobile.

EXCLUSIVO HBR  – O leitor tem acesso ao conteúdo exclusivo da respeitadíssima Harvard Business Review.

PONTO FINAL – Cada notícia conta com um Ponto Final: uma síntese com 140 caracteres.

( Clique na imagem para aceder ao Jornal Digital )

No início de Setembro, o Dinheiro Vivo terá a sua versão semanal em papel, aos sábados com o Jornal de Notícias e o Diário de Notícias. Totalmente a cores, 40 páginas semanais com a mais completa informação económica com cobertura nacional. Dinheiro Vivo também marcará presença na rádio através de um programa semanal na TSF.

Fonte: Jornal de Notícias de 17/06/2011

A Europa e as Empresas face ao novo paradigma …

Empresários europeus discutem o futuro da Europa a 30 de Setembro e 1 de Outubro no âmbito do 21º Congresso da OPCE organizado pela AERLIS

Com o tema “A Europa e as Empresas face ao novo paradigma Económico Mundial”, o evento contará com o patrocínio de Sua Excelência o Presidente da República, Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva, de Sua Excelência o Presidente da Comissão Europeia, Dr. José Manuel Durão Barroso e a presença de Sua Excelência o Vice-Presidente do Banco Central Europeu, Dr. Vitor Constâncio.

No Congresso os empresários irão ter a oportunidade de discutir os novos rumos políticos e económicos da Europa com personalidades de nível internacional.

Para garantir a sua presença faça o seu registo em

http://www.opcelisboncongress.com/

PlanIT Valley em Paredes – Centro Mundial de Inovação

A produtora 3D, LT Estúdios, é a primeira PME portuguesa a participar no desenvolvimento do projecto PlanIT Valley. A empresa foi escolhida para desenvolver o filme promocional “A Brand New Start for Intelligent Cities” e as imagens virtuais do futuro PlanIT Valley.

Clique na imagem para ver o filme

A área de 1700 hectares que deverá acolher empresas, comércio, hotéis, habitação, escritórios, indústria e espaços de entretenimento

A área de 1700 hectares que deverá acolher empresas, comércio, hotéis, habitação, escritórios, indústria e espaços de entretenimento

A Cisco Systems e a Living PlanIT vão assinar no início da próxima semana uma parceria estratégica que prevê a instalação de um centro mundial de inovação na área dos sensores para redes informáticas no PlanIT Valley, que está a nascer no concelho de Paredes.

Esta aliança constitui um dos primeiros resultados concretos da estratégia de atracção de investimento de grandes multinacionais tecnológicas na cidade inteligente que deverá ser construída até 2013.

A Living PlanIT, empresa vocacionada para a criação de ambientes urbanos inteligentes e sustentáveis, e a multinacional americana Cisco comprometem-se, a partir de Paredes, a “colaborar na investigação, desenvolvimento e produção de metodologias e tecnologias inovadoras” e a “levá-las até ao mercado” mundial. Com especial destaque para as tecnologias criadas pela Cisco, no âmbito da sua iniciativa “comunidades conectadas e inteligentes” que tem por objectivo disponibilizar no mercado soluções inovadoras para edifícios, segurança, transportes, serviços utilities, administração pública, educação, saúde e desporto.

Paredes está próximo dos mercados-alvo, EUA e Europa, tendo sido considerada pela Cisco uma das razões que justificam este investimento, € 2 mil milhões. Acredita-se que o PlanIT Valley será “um centro respeitado a nível global na área da inovação e investigação sustentável”.

O número de postos de trabalho a criar poderá ascender a 1500, dependendo do êxito na captação de empresas e do número de parceiros aderentes.

A Cisco, poderá contar também com as empresas McLaren e a Buro Happold que brevemente deverão aderir. E empresas como a IBM, Bosch, Intel e Microsoft também têm sido referidas como potenciais parceiros. Recentemente juntaram-se ao projecto dois ex-quadros da Microsoft, Chris Dengler e Robert Cloridge, com o objectivo de acelerar o desenvolvimento do sistema operativo Living PlanIT Urban projectado por Steve Lewis, presidente da Living PlanIT e também um ex-quadro da Mirosoft.

Este projecto é considerado um caso de estudo no curso de gestão (MBA) da Harvard Business School (EUA) por ter potencial para ser replicado noutros pontos do globo.

In caderno de economia do Expresso de 29/06/2010

Uma ideia inovadora de NEGÓCIO

Mais uma boa ideia empreendedora!

O empresário inglês James Nash inventou uma nova maneira de vender vinho, que garantiu o sucesso do seu negócio que foi criado recentemente, chamado Wine Innovations. Nash desenvolveu uma simples embalagem em que o vinho é vendido numa  taça descartável lacrada, com uma dose suficiente para apenas uma pessoa. O M&S Le Froglet é vendido de forma muito semelhante a iogurtes. A embalagem, inclusive, é reciclável.

É bom realçar que  a ideia deste  empresário foi considerada  sem interesse comercial. Persistente, o empreendedor continuou e, com apoio de alguns empreendimentos, como a rede inglesa Mark and Spenser, lançou o seu produto no mercado, que tem tido muito boa recepção do público inglês.

Ser Empreendedor é ter CORAGEM para assumir riscos  e saber CONTORNAR DIFICULDADES!

Livro do dia – Gestão sem Segredos ( colecção )

Biblioteca Gestão sem Segredos de Gil Friend, James O’Rourke, Stephen P. Robbins, Robert E. Gunther, Michael Solomon

Ano de edição ou reimpressão: 2010

Editor: Edições Centro Atlântico

Colecção: Desafios

 

Os cinco livros da Biblioteca Gestão sem Segredos revelam pensamentos, centenas de técnicas, e estratégias testadas, concisas, fáceis de aplicar e que resultam – simplesmente, os melhores pensamentos sobre o assunto. A Verdade e nada mais que a Verdade.

 A Biblioteca Gestão sem Segredos inclui os seguintes livros:

  • O Segredo das Empresas Sustentáveis – A vantagem das estratégias “verdes”;
  • Os Segredos da Mente dos Consumidores – Saiba como eles decidem fazer compras;
  • O Segredo das Boas Decisões – Faça sempre a escolha acertada;
  • O Segredo das Apresentações de Sucesso – Focalize-se no que pode correr bem e conquiste-os;
  • O Segredo na Gestão de Pessoas – Cuidado com as soluções milagrosas.

Fonte: WOOK

Mestrado em Bioempreendedorismo

 

A biotecnologia vive basicamente de empreendedores,  pessoas que se lançam em projectos com a missão de desenvolver novos produtos e serviços tirando vantagens dos mais recentes avanços das biociências. Para facilitar a criação de empresas por parte de quem tem conhecimento especializado nesta área, surge agora o Mestrado em Bioempreendedorismo.

 Promovido pela CESPU – Cooperativa de Ensino Superior, Politécnico e Universitário, em Gandra,  os formandos deste mestrado deverão adquirir noções concretas de Macroeconomia, Gestão de Recursos Humanos ou simplesmente Planos de Negócios.

 No final do curso, os participantes devem ficar habilitados a:

  • identificar uma oportunidade de converter um processo biotecnológico numa aplicação empresarial;
  • liderar e participar em equipas responsáveis pela implementação de uma bioempresa;
  • conhecer a legislação aplicável às questões do bioempreendedorismo;
  • conhecer e lidar com os apoios e financiamentos disponíveis ao bioempreendedorismo;
  • negociar, gerir, investir numa estratégia de sucesso que sustente a aplicação empresarial;
  • tornar um projecto empreendedor em biotecnologia, num exemplo de sucesso.

 Para mais informações, consulte a CESPU.

Fonte:Portal QueroMais e CESPU

O Empreendedorismo em Portugal

Demografia das Empresas

Os dados estatísticos divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística, permitem caracterizar o dinamismo da economia portuguesa através de indicadores sobre nascimentos, mortes e sobrevivência de empresas e ainda de indicadores relativos as empresas de elevado crescimento em Portugal. Algumas comparações internacionais permitem enquadrar a actividade empreendedora em Portugal no contexto europeu.

 Os dados estatísticos divulgados pelo INE baseiam-se no cálculo de indicadores definidos pela OCDE (EIP- Programa dos Indicadores do Empreendedorismo), em conjunto com o Eurostat. A estrutura proposta por estas entidades permite comparações a nível internacional entre os vários países e assenta num modelo de análise tripartido: determinantes (factores determinantes da performance empreendedora); performance empreendedora (acções que conduzem à consecução de um objectivo); efeitos (medição do valor criado pelo empreendedorismo).

Câmara Municipal de Estarreja e Univ. Aveiro – Parceria…

A Universidade de Aveiro e a Câmara Municipal de Estarreja assinaram  no dia 21 de Novembro um protocolo de cooperação que estabelece o desenvolvimento de uma parceria dirigida à criação de uma plataforma de serviços de incubação em Estarreja.  A Incubadora em Rede é um projecto recente e  inovador no contexto nacional, que resulta da parceria dos municípios da NUT III – Baixo Vouga e da Universidade de Aveiro (UA).

Estes Municípios, entre os quais o de Estarreja, e a UA, através da GrupUNAVE, enquanto parceira estratégica do desenvolvimento regional, pretendem avançar no sentido da constituição da Plataforma de Apoio e Valorização do Empreendedorismo e Inovação da Região de Aveiro, que permita criar e maximizar condições de suporte logístico, operacional, financeiro e técnico para a criação e expansão de novas empresas.

Esta Plataforma é constituída por uma rede de parceiros e visa promover a criação de empresas com elevado potencial, capazes de criar emprego especializado, nos vários municípios aderentes, promovendo a atracção e fixação de talentos e dinamizando o investimento empresarial e a valorização da região.

Neste protocolo, assinado no último sábado, estabeleceu-se um acordo no sentido de desenvolver uma parceria dirigida à criação de uma plataforma de serviços de incubação baseada no know-how e nas competências detidas pela GrupUNAVE, de forma a que a instalação destes serviços no Concelho de Estarreja contribua para a alavancagem e consolidação da actividade empresarial e para a inovação do tecido empresarial local.

Fonte: Diário de Aveiro – 28 de Novembro

As empresas portuguesas são em maioria, micro sociedades

Um estudo elaborado pela ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários, em parceria com o Ministério da Justiça e tendo por base dados do IRN – Instituto dos Registos e do Notariado, conclui que:

  1. O tecido empresarial português é esmagadoramente constituído por micro empresas;
  2. Empregam em média três trabalhadores.

 

Este estudo sobre “O Perfil Dinâmico das Empresas Portuguesas” conclui, desde logo, que o tecido empresarial português é constituído esmagadoramente por micro sociedades, as quais empregam em média três trabalhadores. Existem actualmente 355.458 empresas (n.º das que declararam rendimentos em 2008), sendo que 236.872 são micro empresas, 39.628 pequenas empresas, 6.305 médias empresas e só 831 atingem a dimensão de grandes empresas.

Para além da sua reduzida escala, as nossas empresas encontram-se fortemente endividadas. Dispõem de capitais próprios muito reduzidos, pelo que a sua actividade está amplamente dependente de capitais alheios, em boa parte provenientes do sistema financeiro. Por outro lado, verifica-se a constante desvalorização do capital social das empresas, que assim perdem liquidez e vêem os seus problemas de tesouraria agravarem-se.

Estas empresas apresentam uma grande fragilidade dos capitais próprios, que 68.872 do total das empresas portuguesas não só não tem qualquer valor de capitais próprios como apresenta um saldo negativo de 9,6 mil milhões de euros.

Por outro lado, 153.647 das empresas tem um capital social de apenas 5000 euros; e 215.386 dessas empresas têm um capital social inferior a 25 mil euros.