“O Galinheiro Conectado” – Workshop sobre a aplicação de inteligência artificial

IMG_2021

A convite da Câmara Municipal de Estarreja, os alunos do 10.º I do Curso Profissional de Gestão participaram no Workshop sobre a aplicação de inteligência artificial “O Galinheiro Conectado”- atividade que decorreu na Biblioteca Municipal no dia 7 de maio pelas 11horas.
Segundo o autor do Projeto, Luís Miguel Girão , artista e representante da UE, o objetivo deste workshop é “ ensinar a todas as pessoas a criar um galinheiro muito especial! Ele é conduzido pelas suas galinhas, que dessa forma limpam e fertilizam o seu campo, deixando-o preparado para as suas plantações! O Galinheiro Conectado é uma aplicação de inteligência artificial no campo da Internet das Coisas. A análise e a previsão de movimentos das suas galinhas dirigem o galinheiro no seu campo de cultivo. Sendo um produto inovador no campo da permacultura, o Galinheiro Conectado encontra-se num meio termo entre a criação livre de galinhas e a produção industrial. “The Connected Hennery inspira-se também na criação literária de Orwell. Revisitando a ideia de que a arte pode influenciar significativamente a vida, o Galinheiro Conectado, apresenta-se como um modelo transitório para uma outra organização socioeconómica de base tecnológica.”
Como convidados especiais neste evento estiveram presentes o Sr. presidente da Câmara Municipal de Estarreja, Dr. Diamantino Sabina, o representante do Grupo Lusiaves – Renato Miguel Prata dos Santos e da SONAE Marlos Silva que, num debate informal, moderado por Luís Miguel Girão refletiram acerca da Internet das Coisas e as cadeias de produção de alimentos.
Foram lançadas igualmente algumas questões pertinentes: Será que a Inteligência Artificial substituirá grande parte da força de trabalho? Ou será que a Inteligência Artificial gerará novos empregos?
Independentemente da opiniões, o que é certo é a Inteligência Artificial está a ganhar fortes impulsos dentro das empresas e com a ajuda das tecnologias, as empresas e os mercados avançam a um ritmo jamais visto na história da humanidade.
Conforme referiu a Srª Vereadora da Cultura e Turismo da Câmara Municipal de Estarreja, Isabel Simões Pinto, atividades deste género só fazem sentido se a Ciência e Tecnologia tiverem como parceiros as empresas, os órgãos de soberania e os Centros de Educação.
Os alunos do 10º I estão de parabéns pela sua postu

ra de interesse e atenção demonstrados, tendo esta atividade contribuído para o seu enriquecimento pessoal e profissional.

Texto: Prof.ra Paula Cerca
Fotos: De alunos… 

 

Anúncios

Pordata – Quadro-resumo de Portugal

Já conhece o Quadro-resumo de Portugal da Pordata?
Veja o quadro completo:

 https://www.pordata.pt/Portu…/Quadro+Resumo/Portugal-231372…

48274922_2386487181380252_6348123721194012672_n (1)

Prémio Fundação Ilídio Pinho “Ciência na Escola” – 16.ª Edição | Inscrições abertas

FIPCE-18-19-site

A ciência na escola ao serviço do desenvolvimento de Portugal.

Está aberto, até ao dia 24 de dezembro de 2018, o Concurso de Ideias para a presentação de propostas de projetos nos cinco escalões a concurso:

1.º Escalão – projetos com a participação de crianças da educação pré-escolar;
2.º Escalão – projetos com a participação de alunos do 1.º Ciclo do Ensino Básico;
3.º Escalão – projetos que envolvam alunos do 2.º Ciclo do Ensino Básico;
4.º Escalão – projetos que envolvam alunos do 3º. Ciclo do Ensino Básico;
5.º Escalão – projetos que envolvam alunos do Ensino Secundário.

Para mais informação consulte o Aviso de Abertura e o Regulamento

 

Solidariedade na Escola Secundária de Estarreja

“Solidariedade, Participação, Cooperação, Complementaridade, Gratuitidade, Responsabilidade – os princípios que moveram uma turma da Escola Secundária de Estarreja, 8.ºB, pais e professores a um ato de voluntariado em conjunto com uma ONG, no concelho de Castanheira de Pera.”

 

A Universidade de Aveiro (UA) integra um novo consórcio no âmbito da MEDICINA REGENERATIVA

Mais uma boa notícia, esta também no âmbito da MEDICINA REGENERATIVA.
A Universidade de Aveiro (UA) integra um novo consórcio para a criação, até 2024, de um Centro de Investigação em Medicina Regenerativa e de Precisão em Portugal, que garantiu um financiamento de 15 milhões de euros da União Europeia.
Fonte: Jornal Diário de Aveiro, 12/02/2018

27655505_1991588244494897_7928268127378409995_n

Inovação ao serviço da SAÚDE – Empresa de Ovar | Imprimir osso à medida

BOAS NOTÍCIAS – A inovação ao serviço da saúde.
Uma empresa biomédica de Ovar chamou vários parceiros para desenvolverem enxertos de osso, malhas e implantes que podem ser desenhados à medida e imprimidos em 3D.

27750837_1991573714496350_3738201931864155921_n

Energia solar de próxima geração – Painéis solares orgânicos

estacionamento_energia_solar_carport_sunew_aes

“Estacionar o carro já é uma dor de cabeça para muitos. Imagine acrescentar a isso a necessidade de carregar esse veículo por um tempo considerável, já que ele é movido a energia elétrica. Pensando nisso, a CSEM Brasil, em parceria com a multinacional de energia AES, desenvolveu uma solução prática e extremamente sustentável: o projeto Carport. A ideia é que o produto seja facilmente integrável às cidades, utilizando energia solar de baixo custo e com a menor pegada de carbono possível.

Estima-se que, em 2025, os automóveis elétricos representem 15% do mercado mundial – dado três vezes maior do que as previsões de crescimento anteriores. O salto seria grande: hoje os carros elétricos são apenas 0,86% do mercado. No entanto, essa tendência vai na onda de uma necessidade: não há outro futuro possível, a não ser o sustentável.”

“Estacionamentos solares já existem hoje (veja aqui), mas com a tecnologia dos painéis tradicionais. Agora, a inovação dos painéis solares orgânicos (OPV – Organic Photovoltaic), desenvolvidos pelo CSEM Brasil e levados ao mercado pela spin-off Sunew, trazem mais praticidade, menor custo e mais possibilidades de design. Como as tecnologias tradicionais possuem um material muito pesado – cerca de 20kg por m² – a estrutura de um estacionamento com painéis tradicionais precisa ser muito mais robusta, aumentando os custos de produção, e instalação e dificultando sua popularização.

Já o OPV pesa apenas 400g/m², além de ser flexível e transparente, abrindo espaço para um design futurista e atrativo. Tudo isso com uma produção que utiliza materiais orgânicos a baixas temperaturas, o que caracteriza os painéis de OPV como a energia solar com menor impacto ambiental existente.”

“Um Carport vai gerar energia com muito mais facilidade de instalação. Nosso target é um estacionamento futurístico, barato e prático – que você poderia comprar, por exemplo, na Leroy Merlin, levar para a casa e instalar onde desejasse”, esclarece Vilaça.

Fonte: Ciclo Vivo