ONU – Programa de Voluntariado 2015

Captwwwurar

“A Organização das Nações Unidas (ONU) está à procura de voluntários que sejam fluentes na língua portuguesa para o seu programa de voluntariado. Espanhol, inglês ou francês são outros dos idiomas pedidos.

Em entrevista à rádio da ONU, a assistente de recrutamento internacional do Programa de Voluntários das Nações Unidas referiu que é difícil encontrar profissionais que falem português e, por isso, há várias oportunidades em aberto.

A ONU procura, preferencialmente, pessoas qualificadas em medicina, ciências, engenharias ou mesmo profissionais especializados em apoio logístico ou administrativo para missões de paz. Os interessados devem ter uma idade igual ou superior a 25 anos e experiência de, pelo menos, dois anos na área para a qual se estão a candidatar.

A ONU oferece aos voluntários recrutados uma bolsa de deslocação no início do programa e uma bolsa mensal de estadia (Volunteer Living Allowance) que cobre as despesas diárias, sendo ainda dada uma ajuda de custo para reinserção no final do voluntariado. As viagens entre o país de origem e o país da missão são também asseguradas.

Os interessados poderão inscrever-se no Programa de Voluntariado da ONU, em www.unv.org. “

Anúncios

Ano Europeu das Actividades de Voluntariado – 2011

O Conselho da União Europeia institui 2011 como o Ano Europeu das Actividades de Voluntariado que promovam uma Cidadania Activa (AEV-2011) através da Decisão n.º 2010/17/CE, de 27 de Novembro de 2009.

Principais objectivos do AEV:

  • Reduzir os obstáculos ao voluntariado na UE;
  • Dar meios às organizações de voluntários e melhorar a qualidade do voluntariado;
  • Recompensar e reconhecer o trabalho voluntário;
  • Sensibilizar as pessoas para o valor e a importância do voluntariado.

Informe-se sobre esta iniciativa em Portugal: Resolução do Conselho de Ministros n.º 62/2010.

Ao nível europeu, vai realizar-se um “tour” do voluntariado, que irá passar pelas capitais dos 27. Lisboa vai ser a segunda cidade a receber o evento, que pretende divulgar as acções de voluntariado na Europa. Esteja atento a este acontecimento de grande alcance cívico.

Consulte aqui a Plataforma Portuguesa – ONGD, excelente iniciativa por parte daqueles que  querem ver um pais  bem informado sobre voluntariado e não só. 


Esta Plataforma pretende ser um elo de ligação entre as ONGD, a sociedade civil, os órgãos de soberania e outras instituições, como o Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento (IPAD) e a confederação Europeia das ONGD de Emergência e Desenvolvimento (CONCORD) com vista a potenciar as suas acções num mundo cada vez mais globalizado e carenciado de solidariedade. A Plataforma tem como objectivos:

  •  Promover modelos de desenvolvimento sustentado e integrado no estrito respeito pelos Direitos Humanos;
  •  Acompanhar e influenciar a concepção, a execução e a avaliação das políticas de Desenvolvimento e de Cooperação a nível nacional e internacional;
  • Propor, incentivar e defender medidas económicas, comerciais e financeiras que respeitem os interesses das populações dos países do Sul e do Norte;
  • Sensibilizar a opinião pública, os decisores e os governos para a urgência de promover um desenvolvimento equitativo e participativo, aos níveis local, nacional, regional e mundial; Facilitar a reflexão e o debate das ONGD sobre áreas temáticas, geográficas e técnicas no âmbito do Desenvolvimento e da Cooperação, bem como desenvolver acções de formação;
  • Contribuir para o desenvolvimento institucional e para o reforço da capacidade de intervenção, assim como para o reconhecimento do direito de participação, do sector não-governamental e da sociedade civil dos países do Norte e do Sul;
  • Desenvolver todos os esforços no sentido de aumentar o grau de representatividade do movimento das ONGD, como parte activa da sociedade civil;
  • Representar as ONGD portuguesas, nomeadamente perante os Órgãos de Soberania nacionais, e o CONCORD;
  • Apoiar a promoção das culturas dos países do Sul e do Norte e incentivar o seu intercâmbio.

Fonte:Portal das plataformas nacionais de ONG

SER VOLUNTÁRIO é FAZER A DIFERENÇA

Neste Dia Internacional do Voluntariado é bom recordar e ter sempre presente que há milhares de cidadãos anónimos que, dia após dia, com um gesto simples ou nobre, levam a alegria e esperança a minorias ou a desfavorecidos do mundo, contributos para a construção de uma sociedade mais fraterna e solidária.

Um bom exemplo do que acabo de afirmar é a distinção dada esta semana pela ONU a um português, Rui Oliveira,  pelo trabalho desenvolvido como voluntário, que iniciou depois de reformado.

Tudo começou «há cerca de um ano», depois de de uma vida inteira a trabalhar em informática, Rui sentiu-se «alarmado» com a ideia de parar. Foi então que um amigo lhe falou do voluntariado pela Internet sob a égide das Nações Unidas, um serviço para o qual acabou por se inscrever.

O voluntário dedica agora «cinco a seis horas» dos seus dias na manutenção e resolução de problemas da página Internet de uma organização não governamental, a VPWA, com base no Gana. Um trabalho que as Nações Unidas distinguiram esta semana com o prémio «UNV Volunteering Award 2010», atribuído anualmente a dez pessoas num universo de cerca de um milhão de voluntários.

 Por causa do seu trabalho «numa multinacional» passou tempo em vários países,  Angola, Botswana, Namíbia, onde se foi apercebendo das muitas carências sentidas pelas populações. «Aqui as pessoas queixam-se de ganhar trezentos euros por mês, mas lá há pessoas que têm que viver com um euro por dia».

Para o ano, pensa levar o voluntariado ainda mais longe, viajando até ao Gana para ajudar outra organização não governamental, a «New Life Foundation». «Eu e mais algumas pessoas vamos viajar à nossa conta. Vou fazer cursos de formação e introdução à informática, é um trabalho interessante», afirmou.

Cada um de nós, pode colaborar fazendo aquilo que sabe. O desejo de contribuir e a disposição de ajudar o seu semelhante, oferecendo-lhe respeito e Amor, é uma atitude Humana, além de ser um exercício de cidadania.

O importante é fazermos a nossa parte, porque só com o nosso exemplo é que as coisas realmente vão mudar. Tudo depende de nós.

Torne-se voluntário e faça a diferença!

( clique na imagem e aceda ao site da ONU – inscrições )

Com o objectivo de promover o VOLUNTARIADO enquanto expressão de cidadania activa e de intervenção cívica, sobretudo atendendo à actual conjuntura socioeconómica, a CGD e a PT consideraram fundamental investir na renovação  do site da Bolsa do Voluntariado, tornando-o mais funcional e atractivo, no sentido de captar mais voluntários capazes de apoiar as necessidades da população carenciada.

Aceda aqui ao novo site da Bolsa do Voluntariado, que permite agilizar a gestão do voluntariado português, e a sua distribuição de acordo com as necessidades de cada momento das instituições inscritas na Bolsa.

( clique na imagem e aceda ao site Bolsa de Voluntariado )

A Defesa dos DIREITOS HUMANOS e o Voluntariado

Neste dia, Dia Internacional do Voluntariado nunca é demais  realçar que o conjunto dos Direitos Humanos Fundamentais visam garantir ao ser humano, entre outros, o respeito ao seu DIREITO À VIDA, à LIBERDADE, à IIGUALDADE e à DIGNIDADE, bem como ao PLENO DESENVOLVIMENTO DA SUA PERSONALIDADE. Hoje, tais direitos são assegurados, também, pelo TRABALHO VOLUNTÁRIO de inúmeros cidadãos do mundo inteiro.

Para a Organização das Nações Unidas: “O voluntário é o jovem ou o adulto que, devido ao seu interesse pessoal e ao seu espírito cívico, dedica parte do seu tempo, sem remuneração alguma, a diversas formas de actividades, organizadas ou não, de bem estar social ou outros campos.” 

E, segundo a Associação Internacional de esforços Voluntários -International Association for Volunteer Efforts – IAVE: “Trata-se de um serviço comprometido com a sociedade e alicerçado na liberdade de escolha. O voluntário promove um mundo melhor e torna-se um valor para todas as sociedades”. 

O voluntariado só faz sentido quando a principal motivação para o exercício do trabalho voluntário e a satisfação por parte de quem o executa, passar por praticar um acto de cidadania e de amor ao próximo.

Mas convém ter presente, e mais ainda, quando os valores éticos de hoje em dia estarem em “crise”, que a acção voluntária tem qualidade ética apenas quando é uma opção livre de um ”sujeito no interior de uma tripla aspiração: a sua auto-estima, a solidariedade com o próximo e o compromisso de uma sociedade justa.” 

Não só neste dia o voluntariado merece ser apoiado e divulgado…

Seja também um voluntário e junte-se à bolsa de voluntários e de instituições… Não deixe de consultar este Portal,

 Associação de Defesa dos Direitos Humanos

O  VOLUNTARIADO  será sempre um contrato de cidadania firmado na defesa dos DIREITOS  FUNDAMENTAIS  DO  SER HUMANO.

 

Dia Internacional do Voluntariado – 2009

A ONU (Organização das Nações Unidas) fixou o dia 5 de Dezembro como o «Dia Internacional do Voluntariado», considerando o serviço voluntário uma importante contribuição para as actividades socioeconómicas em todas as partes do Mundo.

Vivemos num tempo em que são, cada vez mais, extraordinários os “avanços tecnológicos e científicos que poderiam proporcionar uma maior qualidade de vida, mas que, paradoxalmente, vai relegando o desenvolvimento dos valores humanos. A actual crise económica e financeira mundial é disso prova irrefutável. As desigualdades na distribuição das riquezas e dos recursos é cada vez mais evidente, produzindo escandalosas carências a nível social, ambiental, cultural, entre outras.”

O dia de hoje marca mais uma etapa no caminho para os objectivos do Milénio para o Desenvolvimento, a alcançar até 2015:

1. Reduzir para metade a pobreza e a fome;
2. Alcançar o ensino primário universal;
3. Promover a igualdade entre os sexos;
4. Reduzir a mortalidade das crianças;
5. Melhorar a saúde materna;
6. Combater a SIDA, malária e outras doenças;
7. Garantir a sustentabilidade ambiental;
8. Criar uma parceria mundial para o desenvolvimento.

Por todo o mundo, há milhares de pessoas que, voluntariamente, dedicam uma parte do seu tempo, trabalho e dedicação a favor de outros, em prol de uma causa. O empenhamento destes voluntários é essencial para a construção de um mundo melhor.

O Parlamento Europeu decidiu que 2010 será o Ano de Combate à Pobreza e à Exclusão Social.