FALTA POUCO | O vídeo do momento | Agrupamento de Escolas de Estarreja

Para assinalar o Dia Internacional da Criança com Cancro (15 fevereiro), os alunos do Programa Integrado de Educação e Formação (PIEF) do Agrupamento de Escolas de Estarreja, foram desafiados a “criarem” um rap e videoclip para dedicarem às crianças e adolescentes que estão a experienciar uma doença oncológica.
Esta atividade desencadeou nos alunos uma grande motivação, sentindo que através deste rap poderiam transmitir força e otimismo a estas crianças e adolescentes.
Para que esta mensagem chegue ao maior número de crianças e adolescentes possível, proponho que ouçam o rap “Falta Pouco” e partilhem com todos os vossos contactos.

Os Técnicos de Intervenção Local:
Catarina Rocha
Carlos Sousa

Anúncios

Concurso INOVA 2015 (cont.)

ffff

Aqui fica a  apresentação do negócio INOVARRAIOLOS Lda. – Arraiolos de Nova Geração que mereceu o prémio de melhor PROJETO A NÍVEL NACIONAL.

Kakebo – Livro japonês de Contas da Poupança Doméstica

kkkkk

Kakebo, livro de contas da poupança doméstica, tipo agenda, é a solução inovadora que os japoneses utilizam todos os dias para controlar as suas economias pessoais e retirar o máximo proveito do dinheiro.

Através de tabelas de despesas (mensais e semanais) e de mapas de entradas e saídas de dinheiro, muito atratativas, este  livro pretende auxiliar o seu utilizador a organizar as suas contas domésticas de forma a saber sempre quanto gastou e em quê.

No fim do plano de 12 meses quem o utilizar terá aprendido a poupar e a gastar melhor o seu dinheiro — para obter uma vida melhor! Os objetivos serão definidos pelo utilizador e o Kakebo ajuda a alcançá-los.

Pedro Andersson, do programa Contas e Poupança da SIC, explica tudo nesta reportagem. Não perca!

(clique na imagem)

Kakebo

Concurso “ESE Talento em Movimento” – Final (cont.)

Aprecie os bons momentos do concurso visionando o vídeo… entrevista ao  vencedor, Miguel Seara, vereador da Cultura da CME e Diretor da ESE. 

 

Concurso “ESE Talento em Movimento” – Final (cont.)

A afirmação e o sucesso de um concurso passa pela escolha do júri. Este não foi exceção, composto por quatro profissionais e especialistas de relevo nas áreas a concurso.

PAULO NEVES

É natural de Viseu, é professor da ESE. Estudou acordeão e violino desde os 5 anos. Mais tarde, fez o curso de guitarra clássica no Conservatório Regional de Música de Viseu. Ensinou música a centenas de crianças e adolescentes e continua ligado à educação musical. Integrou um grupo musical de baile, uma orquestra de música ligeira, integrou a tocata do rancho folclórico de Torredeita. É sócio fundador da Zunzum – Associação Cultural. Atualmente, toca num grupo de fados e é ensaiador de um grupo de cavaquinhos. Realizou diversas formações em teatro, tendo participado em várias peças, incluindo teatro de rua.

 SUZANA ROSAS

 Tem licenciatura em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista (Sociologia e Antropologia) e pós-graduação em Antropologia Social e Cultural pela Universidade de Coimbra. É professora de ballet clássico. Trabalhou como bailarina e como professora desta arte em várias escola e companhias de dança profissionais no Brasil, durante 12 anos. Foi também como bailarina que trabalhou na Companhia de Dança e Aveiro  e, nesta cidade, é atualmente docente de ballet clássico.

 ALZIRA da ROSA

 É professora de Português na ESE. Tem pós-graduação em Literatura Portuguesa, pela Universidade de Coimbra. Tem formação de pintura, que frequentou na Fundação Gulbenkian. Dedica-se à escrita – e ao ensino! – de poesia, que integra no seu quotidiano. Desenvolve, de forma autodidata, técnicas de pintura e de desenho.

 PEDRO FIGUEIRA

Natural de Aveiro, foi nesta cidade que efetuou os seus estudos musicais, no Conservatório de Música de Aveiro de Calouste Gulbenkian e posteriormente na Universidade de Aveiro, onde se licenciou em Ensino de Música, variante de Técnica vocal/ Canto, na classe do Professor Doutor António Gabriel Salgado. Prosseguiu os seus estudos vocais em Londres, com Laura Sarti, com quem continua a estudar. Atualmente, é membro do ensemble Coro Casa da Música, no Porto, onde se apresenta a solo e em coro com os diversos agrupamentos da Casa da Música e com os maestros Paul Hillier, Laurance Cummings, Christoph König, Peter Rundel, entre outros. Frequentou o Function of Singing Voice 2008, organizado pela Universidade de UpSala (na Suécia), onde trabalhou na área do canto não clássico, contactando aí com figuras de renome internacional. Frequentou workshops/seminários em Londres sobre “musical theater voice”, “twang”, “belting”.

 

Jovem de sucesso – Gabriel Antão um músico de excepção…

É com redobrada satisfação, e um privilégio falar de um jovem brilhante e talentoso na área que escolheu, a MÚSICA. Sinto-me orgulhosa por ter sido professora do Gabriel Antão. Embora pudesse ter sido um brilhante economista enveredou por outra via. Vários talentos lhe são conhecidos, mas foi a música que falou mais alto. Um ser humano excepcional, guiado pela sensibilidade e pelos seus próprios valores. Jovem extremamente culto e inteligente que ocupa, actualmente, largos espaços no cenário musical mundial.

Um músico de excepção! Um exemplo! Um empreendedor da cultura…

Gabriel Antão, de 21 anos é natural de Estarreja e teve os primeiros contactos com o trombone na Banda Visconde de Salreu. No entanto a vontade de aprender mais, levou-o a ingressar no Conservatório de Aveiro na classe do professor Luis Castro, e mais tarde na Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo do Porto, com o professor Severo Martinez, tendo terminado ambos os cursos com classificação máxima nas aptidões instrumentais.

 Contrariamente ao que é feito pela maioria dos jovens que querem seguir música, frequentar uma Escola de Música, o Gabriel seguiu o Ensino Secundário, numa escola pública, frequentando o Curso Tecnológico de Administração na Escola Secundária de Estarreja, que terminou com a média de 18 valores.

 Ainda que, já tivesse decidido fazer da música a sua vida desde os seus 14 anos, sempre se preocupou com o seu futuro, daí que, se tenha matriculado no Curso de Economia, outra das suas paixões, na Universidade do Porto. No entanto, como já se encontrava a estudar no segundo ano do curso superior de trombone na ESMAE (Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo do Porto), tornou-se incompatível conciliar os dois cursos superiores. As exigências e as solicitações musicais eram muitas. Em Junho de 2009, termina o curso na ESMAE, com uma média de 18 valores, ingressando na Universität der Künste em Berlim, na classe do professor Stefan Schulz, como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian.

 Tem colaborado como chefe de naipe na Rundfunk Sinfonieorchester Berlin, na Orquestra Gulbenkian e na Orquesta Ciudad de Granada. Colaborou também com a Deutsches Sinfonieorchester Berlin, a Orquestra Nacional do Porto, entre muitas outras. Como solista tocou com a Das Sinfonieorchester Berlin, a Sinfonieta da ESMAE e a Banda Sinfónica do Conservatório de Aveiro. Participou em encontros da Mahler Jugend Orchester e da Dutch Summer Academy. Ganhou o “Prémio Helena Sá e Costa”, o “Prémio dos Rotários do Porto”, o segundo prémio no concurso “Prémio Jovens Músicos” e o primeiro prémio no concurso “Terras de La Salette”.

 

O Gabriel Antão  é  bem o exemplo do jovem moderno, determinado, independente e profissional, que continua, sempre, a correr atrás dos seus sonhos!

O meu grande apreço a todos aqueles, que como o Gabriel, ousam e procuram incessantemente o sucesso, sucesso que se constrói com muito trabalho, dedicação e competência. Todavia, não se constrói futuro sem procurarmos a  solidez dos ensinamentos ministrados pela  ESCOLA.

 Parabéns! Que continues a brilhar!

_________________________________________

Gabriel Antão no Facebook

Poupar está na ordem do dia

A poupança e a necessidade de aumentar esta rubrica, que a crise veio impôr, foi o tema em debate na Comissão Executiva. Este interessante debate   foi conduzido pela jornalista Alda Martins e contou com a presença dos seguintes convidados: Francisco Banha, Empresário e Gestor de Empresas,  João Tomé Calado, professor do ISEG, Raul Marques, presidente da APAF, e Rui Leão Martinho, bastonário da Ordem dos Economistas.