A ESCOLA SECUNDÁRIA DE ESTARREJA é finalista, Prémio Fundação Ilídio Pinho Ciência na Escola, 13.ª Edição

 

13413720_1641451806175211_5703400314751046027_nNo âmbito da 13.ª edição do Concurso Ciência na Escola da Fundação Ilídio Pinho e dos Ministérios da Educação e Economia, subordinada, este ano, ao tema “A ciência e a tecnologia ao serviço de um mundo melhor”, o projeto “KIT AMBIENTAL – EKOTREE”  representará a nossa Escola na MOSTRA NACIONAL, Lisboa.
Confira aqui os selecionados:
http://www.dgeste.mec.pt/…/resultados/FIP_Resultados_100.pdf

13413102_1641658639487861_2101484846021073103_n

13450899_1641450919508633_3905311026461681190_n

Feira Vocacional e Profissional da Região de Aveiro

Feira Aveiro.png

O Agrupamento de Escolas de Estarreja em destaque na Feira Vocacional e Profissional da Região de Aveiro (27 e 28 de maio de 2016 no Parque de Feiras da cidade de Aveiro).

Grande interesse demonstrado pela comitiva da Câmara Municipal de Aveiro (Dr.ª Raquel Castro Madureira e Dr. Miguel Capão Filipe) pelo stand do Agrupamento de Escolas de Estarreja. Máquina denominada de “Engenho de publicidade dinâmica”,  idealizada e construída pelos alunos do C. Prof. Técnico de Produção em Metalomecânica, causou ampla sensação!

A iluminação criativa de escadas, protótipo executado pelos alunos do C. Prof. de Eletrotecnia, exposto no stand do Agrupamento. Bem interessante, suscitou grande interesse.

Continuar a ler

Concurso – Poetas procuram-se

Poetas Procuram-se !
Capturar

Poesiafaclube 

Procuramos os melhores poemas e poetas portugueses para a nossa Antologia.Inscrições até ao dia 12 de Junho de 2016.

Para concorrer:
1) Faça um gosto à nossa página.
2) Faça um gosto e uma partilha a este post.
3) Envie-os um email para info@poesiafaclube.com com o seu nome,email, morada,idade, profissão.Envie-nos em anexo ao email: 3 poemas da sua autoria, uma fotografia sua e uma pequena biografia.

_________________________________

Para Concorrer envie-os um email para info@poesiafaclube.com com o seu nome,email, morada,idade, profissão.
Envie-nos em anexo ao email: 3 poemas da sua autoria, uma fotografia sua e uma pequena biografia

  Mais informações:

Semana do Empreendedorismo de Estarreja

«Inspira-te» foi a denominação escolhida para a Semana do Empreendedorismo de Estarreja, que teve a sua primeira edição entre 25 a 30 de abril no antigo Colégio de Estarreja. Agora denominado Ciclo Criativo, o espaço acolhe a Incubadora de Empresas e o Gabinete de Inserção Profissional de Estarreja.

Ciclo Criativo pretende constituir-se como um recurso dinâmico ao serviço da comunidade, através de novos espaços como o Laboratório de Empreendedorismo Jovem | Sala Dow Portugal, o Lounge ou o espaço de Coworking.

Fonte: http://www.iera.pt/agenda/inspira-te-2016-semana-do-empreendedorismo-de-estarreja/

 

Talheres comestíveis para reduzir quantidade de plástico

talheres_a

“Os cidadãos indianos atiram para o lixo cerca de 120 mil milhões de talheres de plástico por ano, um número escandaloso para o ambiente e que levou Narayana Peesapaty a desenvolver um conjunto de talheres a partir de painço, arroz e trigo – ou seja, são comestíveis. Caso os talheres não sejam ingeridos, eles são biodegradáveis e em pouco tempo desaparecem da face da terra.

Através da marca Bakeys, Peesapaty já vendeu 1,5 milhões de talheres comestíveis, tendo lançado uma campanha no site de financiamento colectivo Kickstarter para expandir a marca para outros locais do Planeta. A campanha foi um sucesso e angariou seis vezes mais do que o valor inicial pedido – €18.000 –, numa altura em que ainda faltam 18 dias para terminar o financiamento.

Os utensílios da Bakeys podem durar até 20 minutos quando em contacto com líquidos quentes, como sopa, e têm sabores: gengibre-canela, gengibre-alho, cominhos, pimenta-preta, menta-gengibre, aipo e cenoura-beterraba.

A marca fabrica também talheres sem sabores para clientes comerciais, sendo que, nas prateleiras dos supermercados ou nos armazéns, os talheres têm um ciclo de vida de dois anos. Até agora, a Bakeys só produziu colheres, no entanto, elas são livres de organismos geneticamente modificados (OGM) e 100% vegan.

Com o dinheiro angariado pelo Kickstarter, avança o Inhabitat, Peesapaty vai expandir as operações e aumentar a produção. A empresa está a ultimar o lançamento de uma fábrica que poderá criar 800.000 talheres comestíveis por dia e começar a desenvolver outros utensílios – facas e garfos.

Com um investimento de apenas €9, no Kickstarter, a Bakeys vai entregar 100 colheres comestíveis. Uma invenção que pode – verdadeiramente – revolucionar a forma como olhamos para os talheres de plástico ou bambu. A curto ou médio prazo, nos países em desenvolvimento mas também no primeiro mundo.”

Fonte:Green Savers

Projeto INOVARRAIOLOS (Arraiolos de Nova Geração) da Escola Secundária de Estarreja – 1.º lugar na final regional da zona Centro do concurso INOVA 2015

Captujjjjjjjrar

O projeto INOVARRAIOLOS Lda. vencedor do I BOOTCAMP de Estarreja, ganhou hoje em Coimbra (auditório da DGEstE), o 1.º lugar na final regional do concurso INOVA 2015 – Jovens Criativos, Empreendedores para o Século XXI. na categoria de NEGÓCIO. As promotoras do projeto irão representar a Escola Secundária de Estarreja (Sede de Agrupamento) e a região Centro na grande final em Lisboa no dia 5 de junho. Parabéns às alunas Sara Oliveira e Isabel Silva do 12.º H do Curso Profissional Técnico de Gestão.

Ideias inovadoras – Reciclagem de garrafas de plástico

ARTISTA TRANSFORMA GARRAFAS DE PLÁSTICO EM ESCULTURAS DE ANIMAIS E PLANTAS

Veronika Richterová é uma artista plástica checa, empreendedora, que cria esculturas de plantas e animais a partir de garrafas de plástico. As esculturas são tão coloridas e bonitas que à primeira vista é difícil acreditar que são feitas do mesmo plástico que milhares de pessoas atiram para o lixo.

As esculturas, que já atingem centenas, dão uma nova vida a garrafas de plástico que a artista recolhe um pouco por todo o mundo. A colecção, chamada PET-ART, engloba vários tipos de fauna e flora, desde cactos a pinguins.

No início, Veronika Richterová não contemplava os seus trabalhos em nenhum tipo de agenda ambiental, como escreve o Inhabitat. Richterová começou a trabalhar com garrafas em 2004 depois de descobrir que estes objectos podiam ser facilmente manipulados e deformados com calor, sem saber que mais tarde o trabalho com plástico se tornaria numa “obsessão por muitos anos”, como indica. Mais de uma década volvida, a artista coleccionou mais de 3.000 garrafas de plástico de 76 países diferentes que transformou em bonitas esculturas.

foto_1

yyyy