Educação em Empreendedorismo nas escolas europeias

Foi dado a conhecer um Relatório da Comissão Europeia que conclui que a Educação em Empreendedorismo tem vindo a ganhar espaço na maioria dos países Europeus.

  • No ensino secundário, metade dos países integram o empreendedorismo em disciplinas obrigatórias, tais como economia e ciências sociais.
  • Dois países (Lituânia, Roménia) ensinam empreendedorismo através de  disciplina obrigatória.
  • Oito países (Dinamarca, Estónia, Lituânia, Países Baixos, Suécia, Noruega, País de Gales e parte flamenga da Bélgica) lançaram estratégias específicas para promover a educação para o empreendedorismo:
  • A formação de professores  nesta área só está disponível na Comunidade flamenga da Bélgica, Bulgária e Holanda.
  • Um terço dos países europeus fornecem diretrizes centrais e material didático para o ensino do empreendedorismo.

Leia aqui o artigo publicado no site Balkans.com ( Business News).

Anúncios

Relatório de Conjuntura Económica

CIP – Confederação Empresarial de Portugal divulga Relatório de Conjuntura Económica de Abril 2011.

Aceda ao relatório clicando na imagem

Dia Mundial sem compras – 27 de Novembro

O DIA MUNDIAL SEM COMPRAS, oficialmente  chamado de “Buy Nothing Day”,  é  o movimento mundial pelo Consumo e visa chamar a atenção para o excesso provocado pelo consumo irracional. A ideia surgiu em 1992 pela mão do artista canadiano, Ted Dave, e é um alerta aos consumidores para os excessos provocados pelo consumo irracional que se traduz em consequências para as famílias e também para o meio ambiente.,

Segundo o relatório Estado do Mundo – 2010, hoje, existe um padrão mundial de produção e consumo insustentável. Para se ter uma ideia, a humanidade já consome 30% a mais de recursos naturais do que a Terra é capaz de repor.

Pior ainda, é  apenas 16% da população mundial (o que representa cerca de 1 bilhão de pessoas), apropriar-se de  78% desses recursos. O restante , 22%  é dividido por 84% da população (5,8 bilhões de pessoas).

Está na hora, há que mudar, hábitos e valores, fazendo uso de uma ferramenta poderosa a EDUCAÇÃO. Aumentar a consciencialização sobre sustentabilidade é inevitável. Devemos, todos juntos, mobilizar esforços promovendo a mudança construindo uma sociedade mais justa fundamentada em prioridades humanas e ambientais.

Não deixe de consultar  o relatório sobre o  Estado do Mundo – 2010

– Do consumismo à sustentabilidade – 

( Clique na imagem para aceder ao documento )

Este relatório é um documento produzido anualmente pelo Worldwatch Institute (WWI) – organização com sede em Washington (EUA) – o “Estado do Mundo”  “oferece”  anualmente um balanço com números actualizados e reflexões sobre as questões ambientais. Na edição de 2010, o Instituto Akatu fez a tradução do relatório para o português ( do Brasil ).

Relatório sobre a Situação da População Mundial 2010 – “Do conflito e crise à renovação: gerações da mudança”

O relatório do UNFPA – “Do conflito e crise à renovação: gerações da mudança” – vincula paz, segurança e desenvolvimento com os direitos e empoderamento das mulheres. Este documento teve como base a resolução 1325 do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

As mulheres têm uma grande capacidade em superar cenários de conflito armado ou desastres naturais e são uma ajuda importante na fase de renovar e reconstruir as sociedades.

Estas são algumas das principais conclusões do relatório sobre a Situação da População Mundial 2010, do Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA), divulgado em todo o mundo.

Em declarações à Agência Lusa, Tânia Patriota, a representante do UNFPA para a apresentação do relatório em Portugal sublinhou que “as mulheres quanto têm os direitos e as oportunidades, numa sociedade que as respeita, tornam-se mais resistentes ao desastre e ao conflito”.

Nesse sentido, o relatório pretende transmitir três grandes mensagens:

  • A importância da resistência das mulheres em superar as crises,
  • A importância de se reconstruir as sociedades com a ajuda das mulheres
  • Equidade entre homens e mulheres é uma das bases para uma sociedade que seja protegida ou menos vulnerável à crise.

Segundo Tânia Patriota, o documento mostra “a importância do papel da mulher durante e depois dos conflitos mas também como evitar que os conflitos causem um sofrimento muito profundo às mulheres, como se tem visto na maioria dos países onde as mulheres têm sido as vítimas mais atingidas”.

Convém referir que este Relatório foi elaborado com a ajuda de testemunhos que a UNFPA recolheu no último ano e meio em países palco de conflitos e catástrofes naturais como a Bósnia-Herzegóvina, Haiti, Jordânia, Libéria, território palestiniano ocupado, Timor-leste e Uganda.

Para a próxima década, alguns desafios foram definidos como cruciais:

  • Tornar a reestruturação planetária socialmente sustentável;
  • Acabar com a impunidade dos crimes contra a mulher;
  • Fortalecer o compromisso das nações para conter esse tipo de violência;
  • Promover a valorização e a participação feminina no poder político.

Consulte o documento na íntegra.