Sessões (in) formativas:“Gerir e Poupar” na ESE

No passado dia 28 de fevereiro decorreram no Auditório da ESE, três sessões (in)formativas promovidas pelo Núcleo Deco Jovem da escola e dinamizadas pela Dra. Marta Nave da Deco. clip_image002

Esta atividade prevista na PAA da escola teve como objetivos essenciais:

  • Contribuir para a Educação Financeira dos mais novos, sensibilizando-os para as consequências dos seus atos individuais de consumo;
  • Promover ações nas para (in)formar e conduzir os mais novos a uma gestão mais eficiente e responsável dos seus recursos financeiros e, bem assim, os da sua família;
  • Conhecer o valor do dinheiro, saber geri-lo e administrá-lo com inteligência, de modo a satisfazer as suas necessidades, reconhecer a importância de poupar para o futuro.

As turmas participantes – 10º M,10º L, 10º J , 10º N,11º H, 11º L, 12º I e 12º L- envolveram um total de 134 alunos e 7 professores acompanhantes: Adélia Felgueiras, Donzília Almeida, Fátima Carvalho, Luísa Garraio, Marília Teixeira, Paulo Neves e Rosário Santos.

28022012029

A partir de uma simples apresentação em Powerpoint e com recurso a alguns pequenos vídeos apelativos, as sessões foram bastante dinâmicas, suscitando a participação dos alunos.

Os subtemas abordados foram:

  1. O dinheiro (noção e funções básicas);
  2. Gerir o dinheiro (como elaborar o orçamento pessoal);
  3. Como ganhar dinheiro (saber fazer “coisas”, venda de bens usados; tempo livre);
  4. Poupar e investir (dicas como reduzir as despesas; importância da poupança; como e formas de investir);
  5. O crédito (utilidade e riscos do crédito; taxa de esforço; formas de crédito; diferença entre cartões de débito e crédito; noção de TAEG; alertas ao crédito imediato);
  6. Olho vivo ( vídeo – resumo – recomendações/dicas sobre os temas tratados ao longo da sessão).

No final de cada sessão, foi apresentada a turma pioneira, 12º I – Curso Profissional de Gestão, que no ano anterior lançou e apresentou o núcleo à comunidade educativa, através da realização de alguns dos trabalhos muito criativos sobre as temáticas:  consumo e literacia financeira.

As professoras responsáveis pelo Núcleo Deco jovem na ESE, Luísa Garraio e Marília Teixeira, agradecem a todos os participantes, em especial à oradora Dr.ª Marta Nave da DECO, aos alunos pela  sua participação ordeira  e interessada e aos professores que se disponibilizaram para os acompanhar.

Pretende-se com estas iniciativas uma mudança de atitudes.

 

28022012018

“ O importante é pensar, perguntar, comparar, analisar, criticar, refletir e, no que depender de ti, MUDAR”.

Anúncios

Aprenda a gerir o seu dinheiro

Dicas e conselhos úteis, para gerir de forma eficaz o seu dinheiro, evitando acumular dívidas.

cifrão2

1. Fazer o orçamento familiar

Fazer o seu orçamento familiar é o primeiro passo na gestão das suas finanças pessoais. O orçamento familiar é a única forma de disciplinar os seus hábitos financeiros, alocar as suas disponibilidades financeiras da forma mais eficiente possível e de reflectir periodicamente sobre o seu património – sem viver obcecado com o dinheiro.

2. Definir objectivos financeiros

Agora que já tem um orçamento familiar, vai dar talvez o passo mais importante (e difícil) de todos: definir objectivos para as suas finanças pessoais.

3. Pague-se a si mesmo primeiro

Poupar algum dinheiro pode parecer impossível para muitas pessoas, cujos rendimentos são mais modestos, ou se ainda estão a começar as suas carreiras. De facto, se tem de pagar a renda, os empréstimos bancários e muitas outras despesas pessoais, pode chegar ao fim do mês sem dinheiro. É este precisamente o erro que muitas pessoas cometem: poupar o que sobra ao fim do mês.

4. Dicas para poupar sem ter de ficar obcecado com dinheiro

Não há dúvida que poupar dinheiro para um futuro cada vez mais incerto é crucial nos dias de hoje. Enquanto a motivação de algumas pessoas é a reforma segura ou o pagamento integral do seu crédito à habitação, outras procuram independência e liberdade para fazerem o que quiserem. Em qualquer caso, os hábitos de poupança são sempre saudáveis e, como já referimos, quanto mais cedo começar, melhor.

5. Bancos, Inflação e Juros

Ainda que a nossa confiança nos bancos, esteja um pouco posta em causa, actualmente, temos que admitir que não conseguimos viver sem o nosso sistema financeiro. Somos seres materialistas e vivemos com esta “dependência” dos bancos de uma forma relativamente pacífica há muitos anos.

Como devemos lidar com os bancos e como é que eles cuidam do nosso dinheiro, tendo em conta os perigos da inflação e dos juros?

6. Conceitos básicos sobre investimento em acções, obrigações e fundos

Para começar a investir, tem de conhecer primeiro alguns princípios básicos que se manterão sólidos ao longo da sua vida enquanto investidor. Conheça aqui os mais importantes.

7. Controlar o crédito

Um dos pontos mais importantes da saúde das suas finanças pessoais, consiste em lidar correctamente com o crédito. Idealmente devíamos viver sem qualquer tipo de dívidas financeiras e sermos capazes de acumular sistematicamente um pouco de riqueza todos os meses.

Se isso não for possível, saiba exactamente como e quando se endividar.

8. Comprar casa

A compra de casa é, para a maioria das pessoas, a decisão financeira mais importante das suas vidas. Já vão longe os tempos em que o imobiliário valorizava sempre a taxas simpáticas, independentemente da localização do imóvel, da qualidade e reputação do construtor, entre muitos outros factores.

Hoje, com a fiscalidade sobre os imóveis a apertar, o mercado de arrendamento a emergir e a oferta de casas a aproximar-se do número de famílias, todos os cuidados são poucos quando decide comprar ou mudar de casa.

9. Comprar carro

Aqui tem outra decisão com grande impacto no seu bolso. Dependendo das suas prioridades, pode mesmo gastar mais dinheiro com a compra de carros do que com a compra de casas. Além disso, é uma decisão muito emocional.

10. Seguros

O mal necessário que todos suportamos. Os seguros podem fazer toda a diferença quando se trata de cobrir determinados riscos inesperados. Dos obrigatórios aos mais exóticos, a variedade de oferta e a dispersão de níveis de serviço podem ser realmente complicadas de gerir.

11. Planear a reforma

Ainda que faça os descontos obrigatórios para a Segurança Social ao longo de uma carreira contributiva de décadas de trabalho, o envelhecimento da população vem lembrar as gerações mais jovens que têm de planear as suas próprias reformas – e quanto mais cedo melhor.

Fonte: Portal da Gestão

IRS: o que ainda pode fazer para poupar e ganhar benefícios

irs

Com o ano quase a chegar ao fim, ainda é possível  poupar mais alguns euros no IRS. Tem quatro dias para reunir os papéis, ver o que pode deduzir e o que ainda pode fazer antes de 2010 para pagar menos, relativamente ao IRS de 2009.

Organize o seu  dossiê do IRS. Junte todas as facturas de despesas de educação, habitação e informática. Pegue na calculadora, concentre-se nas deduções e nos benefícios fiscais. Pode poupar uns milhares de euros. Agora pode gastar mais, mas no próximo Verão,  aquando do reembolso, vai saber-lhe bem, receber mais.

Nos itens das despesas de educação, habitação e informática, pode poupar mais de 1.500 euros.

Educação: o ABC da poupança

Na educação, pode deduzir 30% do valor total, com limite máximo de 701,37 euros. Mas não se limite às facturas de livros, lápis e cadernos. Não se esqueça que as despesas com formação, suas ou dos seus filhos, também tem direito a apoio do Estado. Contabilize propinas, despesas com transportes entre casa e escola, alojamento (se o seu filho estuda longe de casa e teve de arrendar um quarto, por exemplo) e alimentação, como as refeições nos refeitórios escolares.

As despesas, com as mensalidades das creches e, de actividades extra-curriculares (como a música, línguas, teatro, desporto, etc.), também contam, desde que os estabelecimentos de ensino em causa pertençam ao Sistema Nacional de Educação. Se tem três ou mais filhos, o limite a deduzir aumenta 131,51 euros por cada um.

Pode optimizar a dedução deste tipo de despesas, para obter a dedução máxima (os tais 701,37 euros), sendo necessário que as despesas totais ascendam a 2.337,89 euros.  Se ainda não atingiu este limite e há algum material que é necessário, pode comprar antes do ano acabar. É uma forma de poupar, beneficiando da dedução máxima.

Casa e computador: amigos do seu bolso

O item das despesas com a habitação é dos que mais o pode ajudar a poupar. Pode deduzir 30% dos juros e amortizações até 586 euros. As despesas com juros e amortizações do crédito à habitação (o banco deve enviar-lhe uma carta até ao fim de Janeiro) podem ser uma boa ajuda, desde que a casa que comprou se destine a habitação própria permanente. Se, em vez de comprar, optou por arrendar, basta somar as mensalidades em todos os recibos do ano.

 A tecnologia, para além de facilitar o trabalho, também facilita as contas. Pode deduzir até 50% dos gastos, até 250 euros. Se comprou um computador, impressora ou outro material (software ou hardware) e é estudante ou tem dependentes estudantes, pode deduzir essa despesa. O material tem de ter sido adquirido novo e a factura tem de mencionar que é para uso próprio. Só beneficiam totalmente desta dedução, os sujeitos passivos cujo o agregado familiar, não esteja sujeito á taxa de imposto máxima (42 por cento). Ainda vai a tempo de comprar o computador que os seus filhos pediram e que pode estar em promoção.

Poupança saudável

É importante não esquecer das despesas de saúde, que não têm limite de dedução, desde que sujeitas à taxa de IVA  a 5% ou estejam isentas. Do valor total, qualquer que ele seja, pode  deduzir 30%. Depois, pode ainda somar outras despesas de saúde, com IVA  à taxa normal (20%), desde que acompanhadas por receita médica.  Aqui, pode deduzir 30% do valor, até 64 euros.

Quanto mais gastar, mais pode deduzir. Se anda a adiar aquela ida ao dentista ou aqueles exames que já devia ter feito há muito tempo, aproveite agora. Este também é um bom exemplo das situações que ainda pode usar até ao fim do ano para poupar mais no IRS.

Se teve necessidade de  recorrer a crédito para pagar despesas de saúde, os juros também podem ser apresentados para dedução. Se usa óculos ou lentes de contacto, as despesas do ano também contam. Se está a pensar trocar de óculos ou comprar lentes de contacto novas daqui a pouco tempo, antecipe a compra. Se a fizer antes do fim do ano, é mais uma despesa a deduzir. Não se esqueça solicitar a respectiva receita médica.

Para saber mais consultar:

Portal das Finanças;

Código do IRS – 2009, editado pela Vida Económica

codigo-irs-2009

 

Actualizado

Inclui:

Decreto-Lei n.º 442-A/88, de 30 de Novembro;

 • Código do IRS, com as alterações do Orçamento do Estado para 2009 – Lei n.º 64-A/2008, de 31 de Dezembro;

 Índice sistemático

 

 

  In: Agência Financeira em 22 de Dezembro de 2009

Livro do dia – “Poupar é ganhar”

  Livro poupar-e-ganhar                                         

Livro: “Poupar é ganhar !”

   225 DICAS de Poupança Doméstica

 

Formato 15,0×21,0cm

  

 152 páginas
  

 Capa mole
   

 1ª edição – Novembro 2009

 Vítima de lay-off na Qimonda, Miguel Patrício, sabe do que fala quando nos propõe 225 dicas domésticas para lidar com as enormes dificuldades com que as pessoas se batem no dia-a-dia. Afinal de contas, ele é um pai de família que, com estes pequenos truques, enfrenta todas as dificuldades próprias das épocas de recessão. Trata-se, por isso, de um livro eminentemente prático, um verdadeiro manual de sobrevivência, escrito por alguém que vive a crise por dentro e que tem que fazer uso de todos os meios para encontrar formas de conseguir chegar ao final de cada mês.”

Pode adquirir o livro  em:

Primebooks

FNAC