A magia das palavras com Jorge Ventura

CadddddpturarAs palavras retiradas do livro da vida de ALGUÉM,  que “distraído, na aritmética da vida” distancia-se, “num afastamento contínuo, do que importa, do que alicerça a individualidade, a vontade, a razão, de ser, de sentir, de ganhar e de perder, corolários óbvios do que significa viver”.

 Da ortodoxia da 1.ª pessoa à ausência de métrica

Chego, sem convite, sem me anunciar

De modo, ora brusco, ora devagar
Surpreendo, perturbo, chego a acriançar
Ninguém, não importa o género, consegue ignorar
Chego, violentamente, mas sem magoar
Promovo mudanças, condiciono tudo, chego a abusar
Confesso, sou a responsável, não posso negar
Acusam-me, acusam-me até, de quase matar
Invocam o meu nome, não posso evitar
Quando me maltratam, fico a pensar
Cometem um erro, não posso alertar
Se me evocarem, posso lacerar
Terrível rotina, ouço comentar
Esgotei o meu tempo, dizem, a soluçar
Não, não acredito, não posso acreditar
Um dia regresso, e quero ficar
Paixão – Jorge Ventura