14.ª Edição – Prémio Fundação Ilídio Pinho 2016/2017

1-1024x576-copiaMais uma vez o Agrupamento de Escolas de Estarreja se distingue pela sua dinâmica e qualidade das suas aprendizagens, porque nesta ESCOLA SONHAR não é proibido… porque a ambição é a porta do SUCESSO para todos os seus alunos.
Três projetos foram considerados de mérito, no âmbito da 14.ª Edição do Prémio Fundação Ilídio Pinho – Ciência na Escola 2016/2017 e que passaram à fase de desenvolvimento:

  •  “Ruído, por que não te quero?”- Professora responsável Catarina Rodrigues (2.º escalão);
  • “Máquina Multifunções – ESPOLIX” – Professor responsável Samuel Pereira (4.º escalão);
  • “COLTEC o Colete Tecnológico – Wearable Technology ao serviço da segurança rodoviária” – Professora responsável Rosário Santos (5.º escalão).

A entrega dos prémios de participação pelo Júri Regional da 1.ª fase teve lugar no dia 18 de janeiro, na Escola Artística do Conservatório de Música de Coimbra, e contou com a presença do Diretor do Agrupamento, professor Jorge Ventura.
A Mesa de Honra contou com a presença, da Delegada Regional da Educação do Centro, Dr.ª Cristina Oliveira, do Coordenador Nacional do Prémio “Ciência na Escola”, Dr. António Proença, o Responsável do Prémio “Ciência na Escola”, Prof. Joaquim Azevedo, o Presidente da Fundação Ilídio Pinho, Eng.º Ilídio Pinho e Ministro da Educação Dr. Tiago Brandão Rodrigues.

 

Anúncios

Criação de petróleo artificial para sair da crise

António Martins Rodrigues, 40 anos, actualmente desempregado, sugere uma ideia completamente inovadora, lançar uma equipa de investigação que estude criação artificial de petróleo.

 

Para saber mais visualize este vídeo

 

Petróleo artificial para sair da crise

 

In Expresso, http://www.movimentomilenio.com/ 21 de Abril de 2011

Mestrado em Bioempreendedorismo

 

A biotecnologia vive basicamente de empreendedores,  pessoas que se lançam em projectos com a missão de desenvolver novos produtos e serviços tirando vantagens dos mais recentes avanços das biociências. Para facilitar a criação de empresas por parte de quem tem conhecimento especializado nesta área, surge agora o Mestrado em Bioempreendedorismo.

 Promovido pela CESPU – Cooperativa de Ensino Superior, Politécnico e Universitário, em Gandra,  os formandos deste mestrado deverão adquirir noções concretas de Macroeconomia, Gestão de Recursos Humanos ou simplesmente Planos de Negócios.

 No final do curso, os participantes devem ficar habilitados a:

  • identificar uma oportunidade de converter um processo biotecnológico numa aplicação empresarial;
  • liderar e participar em equipas responsáveis pela implementação de uma bioempresa;
  • conhecer a legislação aplicável às questões do bioempreendedorismo;
  • conhecer e lidar com os apoios e financiamentos disponíveis ao bioempreendedorismo;
  • negociar, gerir, investir numa estratégia de sucesso que sustente a aplicação empresarial;
  • tornar um projecto empreendedor em biotecnologia, num exemplo de sucesso.

 Para mais informações, consulte a CESPU.

Fonte:Portal QueroMais e CESPU