Livro do dia – Gestão sem Segredos ( colecção )

Biblioteca Gestão sem Segredos de Gil Friend, James O’Rourke, Stephen P. Robbins, Robert E. Gunther, Michael Solomon

Ano de edição ou reimpressão: 2010

Editor: Edições Centro Atlântico

Colecção: Desafios

 

Os cinco livros da Biblioteca Gestão sem Segredos revelam pensamentos, centenas de técnicas, e estratégias testadas, concisas, fáceis de aplicar e que resultam – simplesmente, os melhores pensamentos sobre o assunto. A Verdade e nada mais que a Verdade.

 A Biblioteca Gestão sem Segredos inclui os seguintes livros:

  • O Segredo das Empresas Sustentáveis – A vantagem das estratégias “verdes”;
  • Os Segredos da Mente dos Consumidores – Saiba como eles decidem fazer compras;
  • O Segredo das Boas Decisões – Faça sempre a escolha acertada;
  • O Segredo das Apresentações de Sucesso – Focalize-se no que pode correr bem e conquiste-os;
  • O Segredo na Gestão de Pessoas – Cuidado com as soluções milagrosas.

Fonte: WOOK

Anúncios

Prémio Produto Inovação COTEC- Unicer

A COTEC e a Unicer lançaram, no dia 24 de Fevereiro, no Porto, a 3.ª edição do “Prémio Produto Inovação COTEC- Unicer”.

inovação e criatividadeAs candidaturas ao “Prémio Produto Inovação COTEC – Unicer” a decorrerem até dia 9 de Abril.

A COTEC e Unicer procuram produtos inovadores desenvolvidos em Portugal.

Ao promover este prémio a COTEC e Unicer procuram, em conjunto, dar a conhecer bons exemplos de bens ou serviços inovadores. Casos de sucesso que se distinguem no panorama nacional e que por si só podem influenciar positivamente outras empresas.

O Prémio distingue produtos inovadores que sejam resultantes de uma actividade consistente e continuada de inovação empresarial . O objectivo é distinguir produtos inovadores – sejam eles bens ou serviços – dirigidos a mercados globais, que tenham sido desenvolvidos por empresas nacionais ou estrangeiras a operar em Portugal.

Os produtos têm de resultar de uma actividade consistente e continuada de inovação empresarial e não devem estar a ser comercializados há mais de cinco anos.

As candidaturas ao Prémio Produto Inovação podem ser submetidas à COTEC através do endereço electrónico produtoinovacao@cotec.pt. Estas serão apreciadas por um júri presidido pelo Presidente da Direcção da COTEC, Carlos Moreira da Silva, tendo como Vice-Presidente o Presidente Executivo da Unicer, António Pires de Lima e um conjunto de individualidades em representação de conhecidas instituições do Sistema Nacional de Inovação.

O regulamento do “Prémio Produto Inovação COTEC- Unicer” está disponível em www.cotecportugal.pt.

Nos termos do Regulamento do Prémio, a avaliação das candidaturas pelos membros do Júri contemplará, de uma forma agregada, os seguintes critérios específicos:

· Grau de inovação

· Potencial em mercados globais

· Resultado de um esforço consistente e continuado de IDI

· Vantagens competitivas decorrentes das características inerentes a cada       produto

· Inserção do desenvolvimento do produto na estratégia global de inovação da empresa

· Protecção do conhecimento subjacente ao desenvolvimento e comercialização  do produto

· Cumprimento da legislação vigente nos mercados alvo

· Viabilidade económica e

· Sustentabilidade ambiental.

Para a COTEC, “O Prémio Produto Inovação representa um incentivo à inovação empresarial no nosso País. No difícil período que atravessamos, é crucial que os nossos empresários mantenham o investimento em inovação para que os seus produtos (bens ou serviços) se afirmem internacionalmente e as empresas consigam aumentar a sua competitividade”.

Para a Unicer, “O tecido empresarial português tem de estar consciente e encontrar mecanismos não só de combate à crise, perante a actual conjuntura económica, mas também que permita o distanciamento da concorrência, o que só será possível através da inovação e da criatividade. Criar conceitos, produtos e serviços inovadores e diferenciadores, é um claro benefício para todos. Por isso, este prémio é um estímulo para que as empresas continuem a investir, tornando-se cada vez mais competitivas e destacando-se no mercado nacional e internacional.”

O vencedor da terceira edição ao “Prémio Produto Inovação COTEC- Unicer” recebe uma peça de arte no valor de dez mil euros.

Para mais informações contactar:

Na COTEC, Miguel Duarte, mduarte@grupogci.net Contacto: 21 358 80 25 / 93 541 95 73

Na Unicer, Raquel Pelica (LPM Comunicação) Contacto: 21 850 81 10 / 96 157 17 26

Fonte: COTEC

Marcas portuguesas entre as 500 mais valiosas do mundo

marcas 

Um estudo promovido pela Brand Finance, destaca várias marcas portuguesas entre as 500 mais valiosas do mundo. Nesta lista, cujos seis primeiros lugares cabem a empresas norte-americanas, estão colocadas empresas lusas como EDP e PT, evidenciam-se vários bancos nacionais.

A CGD, o BCP, o BES, o BPI e o Banif são as cinco marcas portuguesas de bancos mais valiosas do mundo, no entanto já nenhum banco português figura nos 100 mais valiosos.

A primeira posição entre as marcas nacionais pertence à Caixa Geral de Depósitos (CGD), cujo valor de marca cresceu de 958 milhões de euros no ano passado para 1,09 mil milhões de euros em 2010.

Porém, a CGD caiu da anterior 79.ª posição para a actual 101.ª do estudo «As 500 marcas de bancos mais valiosas do mundo», pelo que Portugal deixou de ter um representante no ‘top’ 100 global.

O Banco Comercial Português (BCP) ocupa o segundo lugar da tabela portuguesa, com o valor da marca a crescer para 626 milhões de euros em 2010, face aos 511 milhões de euros do ano passado, seguindo-se-lhe o Banco Espírito Santo (BES), que viu o valor da sua marca crescer de 220 milhões de euros em 2009 para os actuais 535 milhões de euros, mais que duplicando em apenas 12 meses.

Relativamente, às restantes marcas empresariais, destacam-se a EDP, na 192ª posição, com um valor de 4,4 mil milhões de dólares, e a PT, em 373º lugar, com 2,5 mil milhões de dólares, valor que é quase o dobro do registado em 2009 (1,35 mil milhões de dólares), segundo o mesmo estudo.

A brasileira Vivo, que apesar de não ser uma empresa portuguesa, tem uma relação muito estreita com a PT, também surge nesta lista, ocupando a 425ª posição.

A lista é liderada pela Walmart, cujo valor de marca é de 41,36 mil milhões de dólares, seguida pela Google, que passou da 5ª posição no ano passado para o 2º lugar este ano. Em terceiro lugar surge a Coca-Cola, com um valor de marca de 34,8 mil milhões de dólares.

Fonte: Jornal de negócios online

Livro do dia – Inovação empresarial no séc. XXI

Inovação empresarial no ´sec XXI

Título: Inovação Empresarial no Século. XXI

Autor: Praveen Gupta

Nª. páginas: 480

PVP: € 22

Edição: Novembro de 2008

Editor e distribuição: Vida Económica

Para encomendar 

Encomendas para: encomendas@vidaeconomica.pt

Livraria on line: www.vidaeconomica.pt/livraria

O objectivo deste livro é oferecer uma abordagem abrangente dos processos relacionados com a inovação e um novo enquadramento da inovação – um enquadramento que é sustentável na geração da Internet e na era do conhecimento.

O livro permite dar resposta a algumas questões sobre inovação. De forma a institucionalizar a inovação, os co-autores referem vários aspectos sobre a inovação, desde a sua história às estratégias de implementação. Quando se compreende o processo de inovação, e as pessoas percebem as capacidades e viabilidades da inovação, podemos olhar para o futuro mais próximo, sonhar e acelerar mais ainda a inovação. Todavia, é necessária uma abordagem multidisciplinar para poder desenvolver esse processo.

Esta obra pode ser dividida em três partes.

  • Parte I: Desenvolver a Inovação analisa os aspectos históricos da inovação em desenvolvimento, ferramentas e técnicas actuais ou convencionais, e necessidades futuras. O objectivo da Parte I é trazer conhecimento à inovação enquanto uma arte actualizada.
  • Parte II: Compreender a Inovação apresenta o novo entendimento da inovação e do processo da inovação na era do conhecimento. A Parte II desenvolve o conhecimento da inovação, que apresenta como uma ciência.
  • Parte III: Institucionalizar a Inovação centra-se na implementação de diversos aspectos da inovação de forma a gerar valor. O objectivo da Parte III é aprender métodos para adaptar a inovação a diversas organizações.

“Business Angels” investem em projectos com elevado potencial

 Segundo o Jornal vida económica, um grupo de 41 “business angels”, associados do INVICTA Angels – Associação de Business Angels do Porto, constituiu sociedades destinadas a investir em novos projectos de negócio com elevado potencial de crescimento.

Co-financiamento

A iniciativa enquadra-se na linha de financiamento de Co-Investimento de Business Angels, lançada pelo programa COMPETE. As novas entidades criadas agrupam a disponibilidade de investimento dos associados do Invicta Angels, com uma parceria com a Caixa Capital e com o QREN. Feitas as contas, trata-se de um valor global superior a seis milhões de euros para investimento na região norte.

Segundo um comunicado da associação, poderão ser apoiadas cerca de 50 novas empresas na região Norte.

Entre os sectores estratégicos de investimento encontram-se:

as agro-indústrias;

– as eco-actividades;

– as ciências da vida;

– a biotecnologia;

– as nanotecnologias;

– a saúde;

– a energia;

– o ambiente;

– as indústrias criativas;

– as tecnologias de informação, comunicação e electrónica.

Fonte: Vida Económica

Livro do dia – Como gerir o stress profissional

A actual conjuntura empresarial  sujeita profissionais dos mais variados escalões a elevados níveis de stress. Situações mais graves, como os suicídios na France Telecom, contrastam com problemas mais silenciosos, que afectam a produtividade, a motivação e até a qualidade de vida e a saúde de quem trabalha sob pressão.
Aqui está  uma ferramenta que pode dar uma ajuda.
Manual de Gestão de Stress para Empresas 
Manual de Gestão de Stress para Empresas

  de Conceição Espada

  Edição/reimpressão: 2009

  Editor: Bnomics

 Este livro  reúne ferramentas e metodologias úteis para quem procura livrar-se da ansiedade que permanentemente se associa à sua vida profissional e até pessoal.

 

 O equilíbrio entre essas duas componentes da vida de cada um constitui, uma das temáticas centrais do livro, que acaba por incitar à mudança comportamental, indicando o caminho para a gestão do stress.

Especialista nesta área, e com reconhecida experiência e conhecimento em matéria de técnicas de relaxamento e meditação, Conceição Espada inclui também neste manual alguns exercícios e testes.

O stress responsável por inúmeras maleitas, é já considerado por muitos,  a doença do século,  sendo, por conseguinte, o motivo mais frequente para baixas médicas, de acordo com a International Labour Organization.

Um estudo realizado em Espanha, pelo Observatório de Riscos Psicossociais da UGT concluiu que 75% dos trabalhadores sofre stress profissional.

Empreendedorismo Intergeracional

Programa “Empreendedorismo Intergeracional”

Este programa é promovido pela Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE), em parceria com o Fórum de Administradores de Empresas (FAE) e com o apoio da Egon Zehnder Internacional e da Jason Associates.
A conferência de apresentação deste projecto inovador, tem lugar no próximo dia 26 de Novembro, pelas 17h00, na sede nacional da ANJE, no Porto, tendo como mote: “Juntar a experiência que sobra à experiência que falta”.

 empreendedorismo-homens

O principal objectivo do programa “Empreendedorismo Intergeracional” é aproximar as gerações mais experientes e as gerações mais jovens, de modo a apoiar os empresários nascentes na constituição e no desenvolvimento dos seus negócios. No mundo dos negócios, o know-how de um empresário sénior é um dos mais importantes apoios para o novo empreendedor.
O “Empreendedorismo Intergeracional” visa interligar duas gerações. Por um lado, a dos executivos séniores que se encontram mais desocupados profissionalmente e que ambicionam ainda aplicar o seu know how, networking e poder de intervenção em beneficio da evolução do tecido empresarial. Por outro, a geração dos jovens empresários, necessitam dessa experiência e desse talento para vingar num mercado cada vez mais competitivo. A inovação jovem pode, deste modo, adquirir a força estratégica e diferenciadora e ser consolidada com a ajuda dos founding fathers do empresariado nacional.
Com este  projecto pretende-se por em prática actividades que visam evidenciar o valor acrescentado, para organizações, empresas e para o próprio mercado de trabalho, resultante da colaboração entre o empreendedorismo e inovação das gerações mais jovens e a experiência e talento das gerações séniores. O papel da ANJE e da FAE para este matching será fundamental, prevendo-se a angariação de talentos através das redes de contactos destas associações, mas também recorrendo a uma rede social a criar na Internet.
Através da mediação de executivos em fim de carreira, a estratégia de actuação do programa passará, então, por:
apoiar os jovens empresários na organização interna das suas empresas;
na preparação de dossiês e planos de negócios para negociação de   financiamentos;
– na optimização comercial dos seus projectos e, de um modo geral;
– na resolução de problemas comuns a todas as organizações.

Fonte: Quero Mais