EXPORTAÇÕES o grande pilar da retoma Portuguesa

A Comissão Executiva (em parceria com a Ordem dos Economistas e Instituto Superior de Economia e Gestão),  analisa as EXPORTAÇÕES como sendo o grande pilar da retoma Portuguesa.

Um dos objectivos assumidos pelo Governo aponta para que o sector das exportações, actualmente com peso aproximado de 30 por cento no Produto Interno Bruto (PIB), alcance 40 por cento do mesmo, em 2020. Como todas as crises geram oportunidades e com o mercado interno fragilizado, as empresas portuguesas procuram novos mercados potenciando a tão falada e pretendida retoma portuguesa.

Este programa teve os seguintes comentadores: Prof. Miguel Varela,  professor no ISG; Leonel Costa, Presidente da Associação da Indústria e Moldes; Francisco Banha, Empresário e Gestor de Empresas.

Avalie aqui os novos sinais!

 

 

 

 

Anúncios

Alunos transformam ideias em empresas

A ideia pura e simples de criar uma empresa é já a porta aberta para o mundo empresarial. Deixo aqui dois bons exemplos de ideias de negócio que vão poder entrar no novo  mundo dos desafios, agora reais, desenvolvendo e orquestrando processos numa nova vida  empresarial.

No âmbito do programa Graduate Programme (programa do ensino Universitário) da JAP,  alunos universitários desenvolveram ideias de negócio criativas e inovadoras com o intuito de criarem empresas de sucesso:

  • A “TDT – Tecnologias Digitais Tácteis”;
  • “GreenFeet”.

Saiba mais sobre estas empresas consultando aqui algumas  notícias do JN Negócios.

SONAE faz recrutamento pela Internet

A Sonae é provavelmente o maior empregador privado português. Está a recrutar e  contratar através da Internet.

O website ProgramaContactoSonae tem tudo o que é necessário para os candidatos a empregos na Sonae.

Clique na imagem para aceder à página. 

SONAE_programa CONTACTO

Em primeiro lugar deve proceder ao registo no website. Depois, é fornecer os dados pessoais, navegar pelas várias empresas da Sonae, seleccionar as ofertas e entregar candidatura. Pode ser uma oportunidade para vir a integrar os quadros de um grande grupo empresarial português.

Outras empresas portuguesas começam a recorrer à Internet para fazer recrutamento de pessoal. Algumas usam o Facebook para anunciar ofertas de emprego.

Portal – Erasmus para Jovens Empreendedores

Programa da UE que permite a jovens empreendedores, que já possuem empresas ou vão criar,  trabalhar por um período de 6 meses,  em colaboração com empreendedores experientes de qualquer país da União Europeia.

Consulte toda a informação sobre o programa, quem pode participar e candidaturas.

(clique na imagem)Portal Erasmus pa Jovens Empreendedores

Prémio Produto Inovação COTEC- Unicer

A COTEC e a Unicer lançaram, no dia 24 de Fevereiro, no Porto, a 3.ª edição do “Prémio Produto Inovação COTEC- Unicer”.

inovação e criatividadeAs candidaturas ao “Prémio Produto Inovação COTEC – Unicer” a decorrerem até dia 9 de Abril.

A COTEC e Unicer procuram produtos inovadores desenvolvidos em Portugal.

Ao promover este prémio a COTEC e Unicer procuram, em conjunto, dar a conhecer bons exemplos de bens ou serviços inovadores. Casos de sucesso que se distinguem no panorama nacional e que por si só podem influenciar positivamente outras empresas.

O Prémio distingue produtos inovadores que sejam resultantes de uma actividade consistente e continuada de inovação empresarial . O objectivo é distinguir produtos inovadores – sejam eles bens ou serviços – dirigidos a mercados globais, que tenham sido desenvolvidos por empresas nacionais ou estrangeiras a operar em Portugal.

Os produtos têm de resultar de uma actividade consistente e continuada de inovação empresarial e não devem estar a ser comercializados há mais de cinco anos.

As candidaturas ao Prémio Produto Inovação podem ser submetidas à COTEC através do endereço electrónico produtoinovacao@cotec.pt. Estas serão apreciadas por um júri presidido pelo Presidente da Direcção da COTEC, Carlos Moreira da Silva, tendo como Vice-Presidente o Presidente Executivo da Unicer, António Pires de Lima e um conjunto de individualidades em representação de conhecidas instituições do Sistema Nacional de Inovação.

O regulamento do “Prémio Produto Inovação COTEC- Unicer” está disponível em www.cotecportugal.pt.

Nos termos do Regulamento do Prémio, a avaliação das candidaturas pelos membros do Júri contemplará, de uma forma agregada, os seguintes critérios específicos:

· Grau de inovação

· Potencial em mercados globais

· Resultado de um esforço consistente e continuado de IDI

· Vantagens competitivas decorrentes das características inerentes a cada       produto

· Inserção do desenvolvimento do produto na estratégia global de inovação da empresa

· Protecção do conhecimento subjacente ao desenvolvimento e comercialização  do produto

· Cumprimento da legislação vigente nos mercados alvo

· Viabilidade económica e

· Sustentabilidade ambiental.

Para a COTEC, “O Prémio Produto Inovação representa um incentivo à inovação empresarial no nosso País. No difícil período que atravessamos, é crucial que os nossos empresários mantenham o investimento em inovação para que os seus produtos (bens ou serviços) se afirmem internacionalmente e as empresas consigam aumentar a sua competitividade”.

Para a Unicer, “O tecido empresarial português tem de estar consciente e encontrar mecanismos não só de combate à crise, perante a actual conjuntura económica, mas também que permita o distanciamento da concorrência, o que só será possível através da inovação e da criatividade. Criar conceitos, produtos e serviços inovadores e diferenciadores, é um claro benefício para todos. Por isso, este prémio é um estímulo para que as empresas continuem a investir, tornando-se cada vez mais competitivas e destacando-se no mercado nacional e internacional.”

O vencedor da terceira edição ao “Prémio Produto Inovação COTEC- Unicer” recebe uma peça de arte no valor de dez mil euros.

Para mais informações contactar:

Na COTEC, Miguel Duarte, mduarte@grupogci.net Contacto: 21 358 80 25 / 93 541 95 73

Na Unicer, Raquel Pelica (LPM Comunicação) Contacto: 21 850 81 10 / 96 157 17 26

Fonte: COTEC

Marcas portuguesas entre as 500 mais valiosas do mundo

marcas 

Um estudo promovido pela Brand Finance, destaca várias marcas portuguesas entre as 500 mais valiosas do mundo. Nesta lista, cujos seis primeiros lugares cabem a empresas norte-americanas, estão colocadas empresas lusas como EDP e PT, evidenciam-se vários bancos nacionais.

A CGD, o BCP, o BES, o BPI e o Banif são as cinco marcas portuguesas de bancos mais valiosas do mundo, no entanto já nenhum banco português figura nos 100 mais valiosos.

A primeira posição entre as marcas nacionais pertence à Caixa Geral de Depósitos (CGD), cujo valor de marca cresceu de 958 milhões de euros no ano passado para 1,09 mil milhões de euros em 2010.

Porém, a CGD caiu da anterior 79.ª posição para a actual 101.ª do estudo «As 500 marcas de bancos mais valiosas do mundo», pelo que Portugal deixou de ter um representante no ‘top’ 100 global.

O Banco Comercial Português (BCP) ocupa o segundo lugar da tabela portuguesa, com o valor da marca a crescer para 626 milhões de euros em 2010, face aos 511 milhões de euros do ano passado, seguindo-se-lhe o Banco Espírito Santo (BES), que viu o valor da sua marca crescer de 220 milhões de euros em 2009 para os actuais 535 milhões de euros, mais que duplicando em apenas 12 meses.

Relativamente, às restantes marcas empresariais, destacam-se a EDP, na 192ª posição, com um valor de 4,4 mil milhões de dólares, e a PT, em 373º lugar, com 2,5 mil milhões de dólares, valor que é quase o dobro do registado em 2009 (1,35 mil milhões de dólares), segundo o mesmo estudo.

A brasileira Vivo, que apesar de não ser uma empresa portuguesa, tem uma relação muito estreita com a PT, também surge nesta lista, ocupando a 425ª posição.

A lista é liderada pela Walmart, cujo valor de marca é de 41,36 mil milhões de dólares, seguida pela Google, que passou da 5ª posição no ano passado para o 2º lugar este ano. Em terceiro lugar surge a Coca-Cola, com um valor de marca de 34,8 mil milhões de dólares.

Fonte: Jornal de negócios online

Erasmus para Jovens Empreendedores

O programa Erasmus para Jovens Empreendedores destina-se a incentivar, por um lado, o empreendedorismo e a competitividade, e por outro, a internacionalização e o crescimento das novas e «velhas» PME’s da UE. O programa contribui para a transferência de saber-fazer e para o desenvolvimento de competências necessárias à gestão das PME’s.

Está a pensar criar a sua própria empresa ou é já um empresário bem sucedido? Nesse caso, a iniciativa «Erasmus para Jovens Empreendedores» pode ser para si!

Erasmus para Jovens Empreendedores» permite a novos empreendedores trabalhar, por um período máximo de 6 meses, junto de um empreendedor experiente, inseridos na sua PME, noutro país da UE.

Quem pode participar?

Podem participar tanto os novos empreendedores como os empreendedores experientes. Entende-se por «novos empreendedores» os que planeiam efectivamente criar a sua própria empresa ou que já iniciaram a sua actividade nos últimos três anos. Os empreendedores experientes devem ser proprietários ou gerir uma PME na EU, há mais de três anos.

Porque precisamos do Erasmus para Jovens Empreendedores?

O empreendedorismo é essencial para o crescimento económico e a criação de emprego. Muitos fundadores de PME’s carecem de experiência na área da gestão de empresas e não possuem as competências básicas necessárias. Esta situação, associada ao facto de a grande maioria de PME’s operar num único país, entrava o crescimento. O Erasmus para Jovens Empreendedores ajudará os novos empreendedores a adquirir as competências de que necessitam e a alargar a sua actividade a nível europeu.

 Como funciona o Erasmus para Jovens Empreendedores?

Os novos empreendedores deslocam-se a outro país da UE para trabalharem durante algum tempo junto de um empreendedor experiente, inseridos na sua PME. A correspondência entre novos empreendedores e empresários de acolhimento é determinada com o auxílio de organizações intermediárias.

O que proporciona o Erasmus para Jovens Empreendedores?

O Erasmus para Jovens Empreendedores permite a novos empreendedores trabalhar, por um período máximo de 6 meses, junto de um empreendedor experiente, inseridos na sua PME, noutro país da UE. Através do empreendedor de acolhimento, os novos empreendedores adquirem conhecimentos importantes para o lançamento e a gestão das suas PME’s nas seguintes áreas:

•          Factores-chave do sucesso,
•          Planeamento eficaz,
•          Gestão financeira e operacional,
•          Desenvolvimento de produtos e serviços inovadores,
•          Práticas de sucesso na área de vendas e comercialização
.

Além disso, podem alargar os seus conhecimentos nos seguintes domínios:

•          Direito comercial europeu e mercado único europeu,
•          Harmonização europeia,
•          Apoio europeu às PME’s.

Para mais informações sobre o programa ou para se inscrever, como novo empreendedor ou como empreendedor experiente, poderá fazer a sua candidatura no site www.erasmus-entrepreneurs.eu ou contactar a ADRIMAG, organização intermediária do programa, através de e-mail para susana@adrimag.com.pt 

Fonte: ADRIMAG – www.adrimag.com.pt

Nota: A ADRIMAG é uma das 102 organizações Intermediárias, em 21 países, que foi seleccionada pela Comissão Europeia, para gerir o  Programa “Erasmus para Jovens Empreendedores”.