VISITA DE ESTUDO – Banco de Portugal – Parte I

No dia 11 de fevereiro, os alunos do Curso Profissional de Gestão, 12.º M da Escola Secundária de Estarreja, realizaram uma visita de estudo à Filial do Banco de Portugal no Porto, tendo como finalidade conhecer as funções deste banco e participar numa ação de formação sobre a Nota de Euro, no âmbito dos objetivos do curso e, especificamente, das disciplinas de Gestão e Cálculo Financeiro e Estatística Aplicada.
Professoras e alunos foram recebidos pontualmente, com bastante simpatia e cordialidade. Excelentes ensinamentos, pois importa garantir a criação de um verdadeiro sistema de proteção à nota e moeda e de prevenção da criminalidade.
Basta TOCAR, OBSERVAR e INCLINAR para distinguir as notas verdadeiras das contrafeitas sem ser preciso recorrer a equipamento especial, através de elementos de segurança (Papel fiduciário – Marcas de água – Filete de segurança – Registo frente / verso – Impressão em relevo – Banda holográfica – Banda holográfica com retrato – Número esmeralda – Janela com retrato – Banda iridescente – Número de série – Microtextos – Tintas fluorescentes); Dada a sofisticação de algumas notas contrafeitas a utilização de equipamento ultravioleta para deteção de fibras fluorescentes na série 1 e série2; O que fazer com notas mutiladas ou danificadas e o que fazer se recebermos uma nota suspeita, foram entre muitas outras, informações preciosas, dicas técnicas extremamente úteis.
De seguida, os alunos visitaram a secção de saneamento existente no Banco onde se procede à seleção das notas consideradas boas para circulação e à destruição das que se encontram em mau estado.

IRS 2015 – Tirar dúvidas de preenchimento

A DECO em parceria com o INFORMADOR FISCAL, oferece (sem custos) um site onde podemos tirar dúvidas e obter ajuda no preenchimento da declaração anual do IRS.

(Clique na imagem e aceda à página)

IRS

 

Kakebo – Livro japonês de Contas da Poupança Doméstica

kkkkk

Kakebo, livro de contas da poupança doméstica, tipo agenda, é a solução inovadora que os japoneses utilizam todos os dias para controlar as suas economias pessoais e retirar o máximo proveito do dinheiro.

Através de tabelas de despesas (mensais e semanais) e de mapas de entradas e saídas de dinheiro, muito atratativas, este  livro pretende auxiliar o seu utilizador a organizar as suas contas domésticas de forma a saber sempre quanto gastou e em quê.

No fim do plano de 12 meses quem o utilizar terá aprendido a poupar e a gastar melhor o seu dinheiro — para obter uma vida melhor! Os objetivos serão definidos pelo utilizador e o Kakebo ajuda a alcançá-los.

Pedro Andersson, do programa Contas e Poupança da SIC, explica tudo nesta reportagem. Não perca!

(clique na imagem)

Kakebo

“Gerir e Poupar” – Novo portal da DECO

Preparar as novas gerações para fazer uso inteligente e responsável do dinheiro e dos recursos disponíveis, pois “Com o dinheiro não se brinca”, levou a DECO e a Santa Casa da Misericórdia a lançarem um novo portal, “GERIR E POUPAR“, onde se ensina as crianças e os mais crescidos,  as regras básicas para gerir o precioso dinheiro.

É importante que cada cidadão possa contribuir positivamente para o crescimento socialmente responsável da economia e dos índices de qualidade de vida.

(clique na imagem e aceda ao portal)

gerir e poupar

Literacia financeira – “Todos Contam” novo portal

Ontem, dia nove, foi lançado pelo Conselho Nacional de Supervisores Financeiros um novo portal sobre  literacia financeira. Esta nova plataforma pretende ser uma “sede aberta de conhecimento” a todos os cidadãos. Uma única plataforma que reúne um vasto leque de informação sobre produtos de poupança e investimento – características, riscos e produtos adequados a cada etapa da vida – planeamento do orçamento familiar, cuidados a ter na contratação de crédito, mas também dicas sobre a prevenção da fraude, um guia para criar uma empresa, vários simuladores e até jogos e vídeos direccionados para os mais jovens

 

Com este novo site de LITERACIA FINANCEIRA,  pode aprender a fazer:

Continuar a ler

Dinheiro Vivo – Novo jornal digital de Economia

DINHEIRO VIVO é o novo JORNAL DIGITAL de Economia com  informação diversificada e detalhada de factos económicos mais relevantes do mundo e o que cada um deles representa no nosso dia-a-dia. Uma ferramenta ágil que terá forte presença em site, redes sociais, aplicações para tablets e smartphones.

A informação é dividida em canais como:

EMPRESAS – Tudo sobre as grandes empresas nacionais e estrangeiras com uma completíssima base de dados empresarial com o perfil de mais de 20 mil empresas europeias.

ECONOMIA – Um canal com a mais completa informação sobre macroeconomia ao nível de análises de variáveis globais como: Produção, Rendimento, Investimento, Poupança, Desemprego, Nível geral de preços, etc.

FAZ – O sítio dos fazedores com histórias na primeira pessoa de projectos de empreendedorismo.

BUZZ  – Marketing, Publicidade, Design e Consumo, áreas que fazem a diferença.

GURU – Uma equipa de top responde a questões do quotidiano económico ( Actas de Condomínio,  Carreiras, IRS, etc. ).

ESTADO – Um canal dedicado à maior área da nossa economia: a Função Pública. A vida dentro dos ministérios, informação detalhada sobre a Administração local e central do Estado.

TAKE AWAY – Sugestões diárias, dos melhores conteúdos económicos na blogosfera. Estudos relevantes, artigos inspiradores, novos pontos de vista.

OPINIÃO – Os factos, a análise e a opinião, sempre em cima do acontecimento. Todas com assinatura de qualidade, e com três editoriais por dia.

REDES SOCIAIS –  Dinheiro-vivo com presença no Facebook, Twitter e Mobile.

EXCLUSIVO HBR  – O leitor tem acesso ao conteúdo exclusivo da respeitadíssima Harvard Business Review.

PONTO FINAL – Cada notícia conta com um Ponto Final: uma síntese com 140 caracteres.

( Clique na imagem para aceder ao Jornal Digital )

No início de Setembro, o Dinheiro Vivo terá a sua versão semanal em papel, aos sábados com o Jornal de Notícias e o Diário de Notícias. Totalmente a cores, 40 páginas semanais com a mais completa informação económica com cobertura nacional. Dinheiro Vivo também marcará presença na rádio através de um programa semanal na TSF.

Fonte: Jornal de Notícias de 17/06/2011

Concurso de Ideias – Jovem empreendedor de Estarreja 2011

Se tens uma ideia inovadora e diferente este é o teu momento!

Desenvolve uma ideia de negócio inovadora e habilita-te a seres

            O JOVEM EMPREENDEDOR DE ESTARREJA

 O Concurso de Ideias Jovem Empreendedor Estarreja 2011 tem como objectivo a selecção de ideias inovadoras, nos vários sectores de actividade e que assentem principalmente na Inovação, Tecnologia e Responsabilidade Ambiental, em torno das quais se possa perspectivar a criação de novos projectos que num futuro possam ser desenvolvidos em empresas.

Quem se pode candidatar?

Neste Concurso de Ideias de Negócios podem concorrer todos os alunos da Escola Secundária de Estarreja, individualmente ou em grupo, com o objectivo de explorar uma ideia empreendedora e inovadora.

Para isso basta preencher o formulário de candidatura e anexar quaisquer outras informações que julgues serem relevantes.

Todos os documentos podem, aqui, ser encontrados:

Formulário de Candidatura Concurso de Ideias – Eixo Estudantes

São elegíveis todas as ideias inovadoras nos vários sectores de actividade (Indústria, Energia, Serviços, Comércio, Turismo e Ambiente).

 Como se candidatar?

As candidaturas deverão ser enviadas em formato digital através do endereço empreendestarreja@gmail.com  e/ou em formato papel para o Gabinete do Contrato Local de Desenvolvimento Social de Estarreja (CLDS) que fica situado na Incubadora de Empresas (Edifício do Antigo Colégio).

Qualquer dúvida deverá ser remetida para o endereço de email acima referido.

Qual o prazo de candidatura?

Todos os projectos deverão ser entregues até ao dia 30 de Junho de 2011.

Para saberes toda a informação sobre o Concurso de Ideias Jovem Empreendedor Estarreja 2011, assim como os prémios e prazos de avaliação da candidatura, consulta o Regulamento que está disponível no link abaixo.

 Concurso de Ideias de Negócio Estarreja 2010 – Regulamento Eixo Estudantes

Aprende a ter um futuro de sucesso!!

 

Nota: Qualquer alteração ou informação relevante sobre o Concurso de Ideias Jovem Empreendedor Estarreja 2011 será publicada neste blogue. Está atento!

Poupar está na ordem do dia

A poupança e a necessidade de aumentar esta rubrica, que a crise veio impôr, foi o tema em debate na Comissão Executiva. Este interessante debate   foi conduzido pela jornalista Alda Martins e contou com a presença dos seguintes convidados: Francisco Banha, Empresário e Gestor de Empresas,  João Tomé Calado, professor do ISEG, Raul Marques, presidente da APAF, e Rui Leão Martinho, bastonário da Ordem dos Economistas.

  

Livro do dia – “Como Salvar a Minha Reforma”

 

 

Autores: David Almas, Joaquim Madrinha
Editora: Lua de Papel | Ano: 2011

 

 

 

Sinopse:

Todos os meses damos uma parte substancial do nosso dinheiro à Segurança Social. A verdade, porém, é que se tem agora 20, 30, ou 40 anos, muito pouco desse dinheiro lhe voltará às mãos. Como a Segurança Social está praticamente falida e a nossa população está a envelhecer dramaticamente, os novos reformados vão trabalhar e descontar muito mais e ganhar muito menos – 68 por cento do que recebem hoje. Se quer ter dinheiro para viver daqui a 20, 30 ou 40 anos, comece já a precaver-se. E nem pense em investir em PPR. O que fazer então? Os jornalistas David Almas e Joaquim Madrinha apresentam-lhe, com uma clareza arrepiante, o verdadeiro estado da Segurança Social – para que perca todas as ilusões. A seguir os autores explicam-lhe porque é que os PPR não são a solução e apresentam-lhe uma série de alternativas muito mais rentáveis – para que possa encarar o futuro com tranquilidade.”

Fonte: Livraria Almedina

Evolução da economia portuguesa de 1974 a 2011

Uma lição de economia a ouvir com atenção para perceber as causas do estado actual  da nossa economia.

 

Estado da Nação 2011

Núcleo DecoJovem na ESE

No âmbito do Núcleo DecoJovem vai realizar-se no dia 30 de Março (4ª. feira), uma ação de sensibilização para a comunidade educativa da ESE, sobre Educação Financeira dinamizada pela turma do 11º.I do Curso Técnico de Gestão.

O leque de atividades é diversificado, desde beber um sumo e comer um bolo, responder a um inquérito sobre estilos de vida e fazer o seu orçamento … tudo é possível!

Fica lançado o DESAFIO

O que faria com um saco cheio de dinheiro?

(Dê a sua resposta no bloco C)

clip_image002

 

O dinheiro que temos é o instrumento da liberdade; aquele de que andamos atrás é o da servidão.

( Rousseau, Jean Jacques)

Teoria de Keynes- As lições de um professor

As lições de um professor… Circula no Youtube um vídeo sobre a actualidade das  teorias Keynesianas, uma aula  de economia proferida de uma forma clara e objectiva pelo Professor catedrático, Julián Povon Marote da Universidade Politécnica de Madrid e director do CEPADE-IEN.

Trata-se de reabilitar a teoria keynesiana para resolver a crise pela qual todos os países europeus estão a passar, especialmente os denominados PIGS (Portugal, Irlanda, Grécia e Espanha.

No entanto, é bom ter presente que Keynes, ao defender o efeito  multiplicador de investimentos ( investimentos públicos faraónicos), pode levar esta  teoria a  não ter o sucesso desejado.  Defendo precauções em relação ao entusiasmo excessivo à volta da teoria keynesiana.

A realidade é demasiado complexa para ficarmos prisioneiros de disputas políticas e ideológicas que usam as teorias económicas como campo de batalha.

Literacia financeira passa a ser avaliada pelo PISA

Pode ser lida, aqui, uma notícia que me foi gentilmente enviada pela  colega de grupo, Luísa Garraio.

 

10 sugestões para poupar em tempo de crise

10 sugestões para poupar, no café,  nos restaurantes, na gasolina, no ginásio, nos espetáculos, etc. Vale a pena fazer contas …

 

( Clicar na imagem para aceder à infografia )

10 dicas para poupar público

 

In Público online de 31 de janeiro 2011

GUIA FISCAL 2010 – Deco/Proteste

Nunca como no ano de 2010 as alterações fiscais promovidas pelo governo foram tão significativas e marcaram tantas diferenças em relação à legislação anterior. Este guia ajuda o contribuinte a esclarecer dúvidas e responde a variadas questões sobre o preenchimento da sua declaração de IRS. É de uma leitura fácil e simples, e com exemplos práticos.

( clique na imagem e aceda ao guia )

Relatório Mensal de Economia- Dezembro 2010

Merece uma leitura atenta o Relatório Mensal de Economia referente ao mês de Dezembro. A destacar as previsões de Outono da Comissão Europeia, que apontam:

  • Uma lenta retoma da economia da zona do euro em 2011 e 2012;
  • Queda do PIB de 1% em 2011 para Portugal, com crescimento lento em 2012.
( Clique na imagem para aceder ao documento)

Uma lição sobre a actualidade da economia

Austeridade é a  palavra na ordem do dia. O problema do crescente endividamento externo português, juntamente com as trajectórias paralelas da Grécia , Irlanda e  Espanha,  a Comissão Europeia está a incitar os Estados-membros a imporem reformas estruturais de médio e longo prazo, as  indispensáveis medidas de austeridade, como parte dos inevitáveis esforços para superar a crise. Mas um número crescente de críticos contesta esse “culto da austeridade”, que ameaça aprofundar a recessão em que a Europa se encontra mergulhada.

O vídeo aqui apresentado – legendado em português – adapta-se  a esta realidade  e apresenta uma explicação simples sobre a origem desta crise financeira, como se vai resolver e quem a vai pagar.

Mark Blyth é um professor de economia política internacional em Brown’s Political Science Department, e director de programas universitários de graduação em estudos do desenvolvimento e relações internacionais.

Banco de Portugal faz inquérito à Literacia Financeira dos portugueses

O problema da maioria dos portugueses não está na forma como ganha ou pode ganhar dinheiro, mas sim o modo como o gasta. Constata-se que existe um défice de literacia financeira, um problema intrínseco à sociedade actual.
No âmbito da suas recentes competências de supervisão comportamental  o Banco de Portugal (BdP) contratou à Eurosondagem um inquérito realizado porta-a-porta com o ambicioso objectivo de aferir o estado da literacia financeira entre os portugueses: Inquérito à Literacia Financeira da População Portuguesa|2010.
No documento divulgado pelo Banco de Portugal em que foram entrevistadas 2 000 pessoas, pode ler-se:
(…) de idade igual ou superior a 16 anos, [que] foram estratificados de acordo com cinco critérios: género, idade, região NUTS II (Norte, Centro, Lisboa, Alentejo, Algarve, Açores e Madeira), situação laboral (activo ou não activo) e nível de escolaridade.”
As entrevistas basearam-se num questionário composto por 94 questões de escolha múltipla, que incidiram sobre cinco áreas temáticas:
1. INCLUSÃO FINANCEIRA;
2. PLANEAMENTO DE DESPESAS E POUPANÇA;
3. GESTÃO DE CONTA BANCÁRIA;
4. ESCOLHA DE PRODUTOS FINANCEIROS;
5. COMPREENSÃO FINANCEIRA.
 
O documento contêm alguns dados que demonstram, que o Banco de Portugal, CMVM e Instituto de Seguros Portugal (ISP),  bem como os respectivos supervisionados e sistema educativo em geral, têm ainda um longo caminho a percorrer para dotar o país de um grau de literacia financeira minimamente decente.
A iniciativa de dar a conhecer e reconhecer o estado da literacia financeira é um primeiro passo indispensável para acções futuras neste domínio.
Destaco algumas frases chave do inquérito:

(…) dos inquiridos que dizem fazer poupanças, a maioria (54%) considera como poupança o dinheiro deixado numa conta à ordem para gastar mais tarde. A prática de deixar os recursos excedentários numa conta à ordem poderá indicar alguma inércia quanto à poupança, o que normalmente decorre da falta de sensibilizada à sua importância ou do desconhecimento sobre as possíveis aplicações.”

“Finalmente, as decisões quanto à poupança são determinadas também, em grande medida, por restrições financeiras: a maioria dos inquiridos que não poupam (88%) referem rendimentos insuficientes como principal razão.”

“De entre os critérios de escolha do crédito à habitação, apenas 4% dos inquiridos indicam a taxa anual efectiva (TAE) – medida que engloba todos os encargos obrigatórios associados ao crédito – e 18% mencionam a taxa de juro.”

“No caso dos detentores de cartões de crédito, dos 43% que não pagam a totalidade do saldo em dívida no final do mês apenas 22% dizem saber qual o valor exacto da taxa de juro associada ao cartão.”

“Questionados sobre o conceito de Euribor, apenas 9% dos inquiridos respondem com rigor e apenas 17% revelam saber o significado do spread que incide sobre uma taxa de juro de referência.”

“Embora a maioria dos inquiridos (73%) saibam correctamente identificar o saldo num extracto de conta, apenas 46% demonstram saber calcular esse saldo após uma simples operação de débito da conta ou têm noção do conceito de descoberto bancário. Os resultados são também menos positivos na avaliação do grau de risco de produtos financeiros.”

 

 Consulte o documento na íntegra