Passaporte para o Empreendedorismo

 

O Passaporte para o Empreendedorismo é uma iniciativa do Programa +E+I de acordo com o Impulso Jovem, que pretende estimular jovens empreendedores qualificados a desenvolverem o seu projeto de empreendedorismo inovador, que se encontre em fase de ideia, facultando um conjunto de ferramentas técnicas e financeiras.

O Passaporte para o Empreendedorismo destina-se a empreendedores residentes ou que tenham obtido o grau académico nas regiões Norte, Centro ou Alentejo, considerando que no âmbito do projeto empresarial a apresentar, a respetiva atividade será desenvolvida numa destas regiões.

Confira no site mais informações.

(Clique na imagem e aceda ao site)

Capturar

UA cria mosaicos que reduzem a fatura energética

pavimentos_SAPO

A Universidade de Aveiro está na vanguarda da investigação universitária em Portugal e no mundo.

Deixo-vos com mais um exemplo, disso mesmo.

“O Departamento de Materiais e Cerâmica da Universidade de Aveiro (UA) criou uma série de novos materiais que estão a ser incorporados em pavimentos e revestimentos cerâmicos, que demonstram um comportamento mais eficiente do ponto de vista energético que os pavimentos ou revestimentos convencionais. Estes novos materiais atenuam as transferências de energia com o exterior e diminuem a amplitude térmica no interior dos edifícios – que se traduz numa poupança na factura da electricidade mas também em menores emissões de gases com efeito de estufa para a atmosfera.

Os novos mosaicos, que já estão testados para aplicação em pavimentos, são compostos por duas camadas: uma camada densa que pode assumir aspectos e cores diversas e uma camada inferior, mais porosa, composta por um material com mudança de fase que tem como característica principal a capacidade de reter durante o dia a energia que será dissipada à noite, sob a forma de calor.

Estes novos materiais cerâmicos “demonstram um comportamento mais eficiente, do ponto de vista energético, do que os pavimentos/revestimentos convencionais, tendo-se verificado uma atenuação das transferências de energia com o exterior e uma diminuição da amplitude térmica no interior dos edifícios”.

Fonte:http://greensavers.sapo.pt/

Inova! 2015 – Melhor Projeto Nacional vai para a Escola Secundária de Estarreja

Imagem9

A Escola Secundária de Estarreja (Sede do Agrupamento) na vanguarda do EMPREENDEDORISMO Nacional.

O projeto InovArraiolos Lda. – “A arte tradicional portuguesa recriada e valorizada”  recebeu o  prémio  Inova! 2015 – Melhor Projeto Nacional no dia 5 de junho em Lisboa. Parabéns às alunas Sara Oliveira e Isabel Silva, do 12.º ano do Curso Profissional de Gestão.

_______________________________________________
O projeto vencedor tem por base Inovar na TRADIÇÃO PORTUGUESA relembrando as nossas raízes e tradições através da criação de uma linha de utilitários, carteiras, sacolas, porta-moedas, porta-lápis, chaveiros, bolsas para portáteis, iPads e telemóveis, capas de cadernos e agendas, entre outros, em ponto de arraiolos aplicado em tela e fio de lã mais finos, um grande desafio, e segundo Sara Oliveira,
“… pretendemos criar um negócio próprio onde estaremos a investir no nosso futuro gerando o nosso próprio emprego”.
Numa segunda fase, estas jovens pensam dar um novo impulso à empresa diversificando em  novas áreas de negócio: porcelanas (parceria com a PORCEL S.A.) e moda (roupa feminina…).
Em suma, duas empreendedoras que pretendem alcançar a notoriedade e o reconhecimento enquanto detentoras de uma pequena empresa, na aplicação da arte de arraiolos em soluções criativas, “Arraiolos de Nova Geração”.

____________________________

O prestigio associado a este prémio patenteia a qualidade, a criatividade, o trabalho e o espírito empreendedor das duas alunas que contribuíram assim para a valorização e o reconhecimento do ensino ministrado na Escola Secundária de Estarreja.

ddddd

11351365_978196838879149_7712279228735983506_n

Júri da final do concurso INOVA 2015

11391369_978135115551988_9100874246089980326_n (1)

Dr.ª  Helena da DGEstE – Prof.ra Rosário Santos ( orientadora do projeto) – Isabel Silva  – Sara Oliveira 

ffff

Um agradecimento especial:

  • PORCEL, SA. – Eng.ro Miguel Roque Bouça (Administrador)

Porcel

  • Rádio Voz da Ria – João Miguel Santos

João Miguel

  • Gabinete de Apoio à Vereação da Câmara Municipal de Estarreja – António Hilário de Matos
  • Gabinete de Comunicação da C.M.E. – Ana Rita Silva (Marketeer), Bruno Azevedo e Carla Miranda.

Ana Rita Silva

Empreendedorismo para o Desenvolvimento Sustentável – Um caso de sucesso

EMS

Um ótimo exemplo de EMPREENDEDORISMO para o DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL – Projeto African Clean Energy

Aqui fica a notícia!

“Para muitos de nós, que estamos agora na frente de um computador ou usando algumas das mais avançadas tecnologias móveis, pode ser muito difícil imaginar que neste mesmo momento, 3 bilhões de pessoas ao redor do planeta ainda precisam cozinhar seus alimentos em fogareiros rústicos, quase iguais aqueles utilizados na Idade Medieval.

A fumaça gerada por estes fogareiros é extremamente tóxica, conhecida como carbono negro. A Organização Mundial de Saúde estima que ela seja responsável pela morte de 4 milhões de pessoas anualmente. Ao inalar continuamente esta fumaça, elas acabam sofrendo com problemas respiratórios, pneumonia, doenças pulmonares e catarata.

Mas o projeto African Clean Energy* quer mudar esta triste história. Numa fábrica em Lesoto, país extremamente pobre no sul da África, Stephen e Alice Walker – marido e mulher, criaram um negócio para impactar a vida de milhares de pessoas.

A empresa familiar desenvolveu o ACE 1, um fogão portátil movido a biomassa(combustível limpo) e o mais importante de tudo, que não produz fumaça. 

Além de necessitar de aproximadamente 70% menos combustível para funcionar do que fogões portáteis tradicionais, o ACE 1 foi projetado internamente com telhas cerâmicas, o que retem o calor por muito mais tempo.

Continuar a ler

IRS 2015 – Tirar dúvidas de preenchimento

A DECO em parceria com o INFORMADOR FISCAL, oferece (sem custos) um site onde podemos tirar dúvidas e obter ajuda no preenchimento da declaração anual do IRS.

(Clique na imagem e aceda à página)

IRS

 

Ideia inovadora – Biocombustível de laranja

d068936533c42ffd93fbfadc1a5c90dc

A notícia, avançada pelo jornal japonês Asahi Shinbun, citada pela Reuters, dá conta do que os investigadores da Universidade de Mie, no Japão, conseguiram, numa experiência realizada em Setembro de 2014. 

Esse feito resume-se basicamente ao facto de um veículo de 14 quilos controlado remotamente se movesse alimentado com uma mistura de gasolina e do novo biocombustível de laranja .

 A equipa está envolvida no projecto há mais de um ano e aposta no aproveitamento do excedente de produção de laranjas na localidade de Mihama, localizada no sul da prefeitura de Mie, oeste do Japão, e famosa pela sua produção de laranjas.

 A equipa conseguiu que um veículo com um peso de cerca de 14 quilogramas e activado por controlo remoto funcionasse com uma mistura de gasolina e do novo biocombustível de laranja, revelou o diário Asahi.

 “Este biocombustível poderá ser utilizado para tractores e outras máquinas agrícolas com motor a gasolina”, explicou ao Jornal o professor Yutaka Tamaru, da Universidade de Mie, e que liderou a investigação.

A mais recente mistura resulta da fusão entre um microorganismo isolado das aparas de madeira (o clostridium cellulovorans) com estas laranjas num tanque com capacidade de dez litros.O microorganismo é capaz de decompor as fibras de celulose, principal composto das fibras das plantas, produzindo açúcar.  

 Ao ser fermentado em conjunto com outro microorganismo, este açúcar produz biocombustível de laranja em cerca de dez dias, esclarece a equipa japonesa, que diz conseguir extrair 20 mililitros de biocombustível a partir de cerca de três quilos de laranjas. 

Autocarro movido a lixo orgânico circula nas ruas de Bristol e Bath no Reino Unido

e52305ad330c1c9ea85af2331e0696f7

Todas as cidades europeias enfrentam problemas ambientais que  urgem ser  resolvidos. Um autocarro movido a  lixo orgânico já está a circular nas ruas de Bristol e Bath, no Reino Unido. Um exemplo a seguir  no reforço da contribuição ambiental para o desenvolvimento urbano sustentável, tendo simultaneamente em conta as questões económicas e sociais.

 O Bio-Bus, assim se chama o autocarro, tem 40 lugares sentados e opera com gás biometano, gerado a partir do tratamento de esgotos e lixo doméstico.

O veículo ecológico pode circular até 305 km com um tanque de gás, que é produzido a partir do lixo anual de cinco pessoas, segundo o Menos Um Carro, que cita a imprensa britânica.

O seu motor tem um design semelhante ao dos motores convencionais. No entanto, a diferença está na contrapartida ecológica: o autocarro emite 30% menos dióxido de carbono quando comparado com os movidos a gasóleo.