Portugal e a Europa em crise – Livro recomendado

A edição portuguesa do jornal Le Monde Diplomatique publicou, entre Março de 2008 e Maio de 2011, textos de destacados economistas sobre a crise económica portuguesa e europeia e sobre as alternativas e soluções para a superar. Portugal e a Europa em Crise

                                Editora: Actual Editora    Data de Publicação: 2011

Não podia ser mais oportuna esta publicação, numa conjuntura em que a reflexão crítica sobre estes temas se torna urgente. A obra apresenta uma seleção de organizada por José Reis e João Rodrigues, autores do texto introdutório, e com um texto final de Sandra Monteiro, diretora do jornal.

KIVA, plataforma de combate à pobreza – Empreendedorismo em ação através da realização de microcréditos

 “O grande desafio que enfrentamos hoje é certificarmo-nos de que, em vez de deixar para trás milhares de milhões de pessoas que vivem na miséria, a globalização se torne uma força positiva para todos os povos do mundo”.

 Kofi Annan, Relatório do Milénio

KIVA é uma organização sem fins lucrativos com a missão de combater a pobreza, ligando pessoas em todo o mundo, através da realização de microcréditos.

Kiva proporciona um serviço acessível pela internet, permitindo emprestar a alguém carenciado, mas empreendedor e que viva nos países em vias de desenvolvimento, pequenas quantias, que podem fazer toda a diferença. Montar o seu próprio negócio será o impulso inicial que levará alguém a sair da pobreza e ao mesmo tempo estimular a economia local e até quem sabe criar emprego.

O compromisso é que essas pessoas ou famílias terão que devolver o dinheiro recebido, à medida que o seu negócio vai prosperando e começam a surgir os primeiros rendimentos. Para além disso o Kiva permite a quem empresta acompanhar a evolução do projeto do mutuário, o que, para além do mais, é extremamente gratificante.

Esta poderosa  plataforma tem 137 parceiros no terreno (organizações não-governamentais) que recebem, analisam e gerem os pedidos de financiamento. Quando as pretensões são aceites, o montante, a razão do empréstimo e a história de vida dessas pessoas, são alojadas  no site para que qualquer cibernauta possa  decidir a quem emprestar dinheiro.

O Kiva estabelece que cada pessoa só pode emprestar 25 dólares ( cerca de 20 euros) de cada vez, o que faz com que cada empreendedor tenha mais do que um financiador. Ao reaver o dinheiro, quem empresta pode investir em novos projetos ou fazer uma doação à Kiva.

(clique na imagem e aceda ao site)

  PARTICIPE! 

Em tempos de crise ideias para um NEGÓCIO de sucesso

Quem nunca teve vontade de montar um negócio?

A revista  Sábado n.º 401 – 5 a 11 de Janeiro de 2012, aqpresenta um interessante artigo de Isabel Lacerda, que   revela 30 negócios que resultaram no estrangeiro.

Abrir a sua própria empresa é um desafio, é um risco que um empreendedor deve sempre assumir. Uma boa ideia  de negócio é apenas a condição inicial para constituir uma empresa. O poder das ideias é  algo transformador, mas não é mágico. Depois de um momento extraordinariamente luminoso, recolha informação e procure apoio especializado.

Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza

Comemora-se hoje, Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza. Segundo dados da “Pordata”, é pobre quem vive com um rendimento mensal, por adulto, próximo dos 400 euros. Ou seja, um em cada cinco portugueses vive em situação de pobreza. O salário mínimo nacional teve um acréscimo de apenas 88 euros desde 1974, enquanto que as pensões mínimas de velhice e invalidez aumentaram apenas 38 euros nos últimos 36 anos, segundo os mesmos dados.

A Pordata revela ainda que em 2009 (últimos dados disponíveis) Portugal era o quarto país da União Europeia (UE) com maiores desigualdades de rendimentos entre os mais ricos e os mais pobres, sendo que o rendimento dos mais ricos era 6 vezes superior ao dos mais pobres (a média europeia era de cinco).

Dados relativos ao mesmo ano demonstram que mesmo após as transferências sociais quase uma em cada cinco pessoas (17,9%) era pobre, 37% dos agregados constituídos por um adulto com uma ou mais crianças e 33 por cento dos agregados só com idosos também viviam em situação de pobreza.

 Em apenas quatro anos (de 2005 a 2009), Portugal passou do 17. º para o 9.º país com a taxa de risco de pobreza mais alta da UE, isto apesar de essa taxa, após transferências sociais, ter diminuído.

Dados que nos deixam pensativos e tristes. A pobreza, em Portugal, é um problema social grave e o seu não reconhecimento tem-se revelado, ultimamente, um dos maiores entraves à sua erradicação.

Hino Contra a Pobreza, produzido pela Associação CAIS, no âmbito do Dia Internacional pela Erradicação da Pobreza. Um hino de  ESPERANÇA!

 

Livro do dia

O livro “Crise Mundial: Riscos, Tendências e Oportunidades” da editorial Presença, apresenta, numa análise lógica, incisiva e arrojada, um conjunto de doze tendências que proporcionam revelações essenciais e apontam o caminho a seguir nos tempos conturbados que atravessamos.

Daniel Altman (ex-conselheiro económico do governo britânico), autor desta obra reveladora e bem fundamentada, defende que é urgente adotar uma visão do futuro alargada, que nos permita perceber as tendências globais mais profundas, que irão determinar os limites, os obstáculos, os desafios, os riscos e as oportunidades que nos esperam nos próximos anos, e que ditarão o desenvolvimento da economia global num futuro a longo prazo.

Editora: Presença
Tema: Economia
Autor:Daniel Altman
Ano: 2011

_________________________

Sobre o autor: Daniel Altman licenciou-se em Economia pela Universidade de Harvard, onde fez também o doutoramento. Colaborou, enquanto colunista de assuntos económicos, com a revista The Economist e os jornais International Herald Tribune e The New York Times. É o fundador e presidente da North Yard Economics.

É professor de economia na Stern School of Business da Universidade de Nova Iorque, e um especialista no campo do desenvolvimento internacional.

 

Evolução da economia portuguesa de 1974 a 2011

Uma lição de economia a ouvir com atenção para perceber as causas do estado actual  da nossa economia.

 

Estado da Nação 2011

Teoria de Keynes- As lições de um professor

As lições de um professor… Circula no Youtube um vídeo sobre a actualidade das  teorias Keynesianas, uma aula  de economia proferida de uma forma clara e objectiva pelo Professor catedrático, Julián Povon Marote da Universidade Politécnica de Madrid e director do CEPADE-IEN.

Trata-se de reabilitar a teoria keynesiana para resolver a crise pela qual todos os países europeus estão a passar, especialmente os denominados PIGS (Portugal, Irlanda, Grécia e Espanha.

No entanto, é bom ter presente que Keynes, ao defender o efeito  multiplicador de investimentos ( investimentos públicos faraónicos), pode levar esta  teoria a  não ter o sucesso desejado.  Defendo precauções em relação ao entusiasmo excessivo à volta da teoria keynesiana.

A realidade é demasiado complexa para ficarmos prisioneiros de disputas políticas e ideológicas que usam as teorias económicas como campo de batalha.