UNIVERSIDADE DE AVEIRO EM 1.º LUGAR A NÍVEL NACIONAL NO WORLD UNIVERSITY RANKINGS

UA_636928410798476917

“A Universidade de Aveiro (UA) subiu de 4.º para o 1.º lugar, a nível nacional, no World University Rankings, publicado pelo RUR – Round University Ranking, de Moscovo. A academia aveirense conquistou a liderança, neste ranking, a nível nacional, em duas das quatro áreas estabelecidas como critério, nomeadamente no Ensino e na Sustentabilidade Financeira (posição mantida há duas edições consecutivas nesta segunda área). 
Em 2019, foram hierarquizadas 820 instituições de ensino superior de todo o mundo, sete das quais portuguesas, tendo em conta 20 indicadores agrupados em quatro áreas da vida universitária (o ensino, investigação, diversidade internacional e sustentabilidade financeira). 
Os resultados da Universidade de Aveiro não melhoraram apenas a nível nacional. No ranking mundial, este estabelecimento de ensino superior também conseguiu aprimorar a sua posição subindo do lugar 359, conquistado em 2018, para o 219.”

Fonte: http://www.vagosfm.com/noticias
Anúncios

“O Galinheiro Conectado” – Workshop sobre a aplicação de inteligência artificial

IMG_2021

A convite da Câmara Municipal de Estarreja, os alunos do 10.º I do Curso Profissional de Gestão participaram no Workshop sobre a aplicação de inteligência artificial “O Galinheiro Conectado”- atividade que decorreu na Biblioteca Municipal no dia 7 de maio pelas 11horas.
Segundo o autor do Projeto, Luís Miguel Girão , artista e representante da UE, o objetivo deste workshop é “ ensinar a todas as pessoas a criar um galinheiro muito especial! Ele é conduzido pelas suas galinhas, que dessa forma limpam e fertilizam o seu campo, deixando-o preparado para as suas plantações! O Galinheiro Conectado é uma aplicação de inteligência artificial no campo da Internet das Coisas. A análise e a previsão de movimentos das suas galinhas dirigem o galinheiro no seu campo de cultivo. Sendo um produto inovador no campo da permacultura, o Galinheiro Conectado encontra-se num meio termo entre a criação livre de galinhas e a produção industrial. “The Connected Hennery inspira-se também na criação literária de Orwell. Revisitando a ideia de que a arte pode influenciar significativamente a vida, o Galinheiro Conectado, apresenta-se como um modelo transitório para uma outra organização socioeconómica de base tecnológica.”
Como convidados especiais neste evento estiveram presentes o Sr. presidente da Câmara Municipal de Estarreja, Dr. Diamantino Sabina, o representante do Grupo Lusiaves – Renato Miguel Prata dos Santos e da SONAE Marlos Silva que, num debate informal, moderado por Luís Miguel Girão refletiram acerca da Internet das Coisas e as cadeias de produção de alimentos.
Foram lançadas igualmente algumas questões pertinentes: Será que a Inteligência Artificial substituirá grande parte da força de trabalho? Ou será que a Inteligência Artificial gerará novos empregos?
Independentemente da opiniões, o que é certo é a Inteligência Artificial está a ganhar fortes impulsos dentro das empresas e com a ajuda das tecnologias, as empresas e os mercados avançam a um ritmo jamais visto na história da humanidade.
Conforme referiu a Srª Vereadora da Cultura e Turismo da Câmara Municipal de Estarreja, Isabel Simões Pinto, atividades deste género só fazem sentido se a Ciência e Tecnologia tiverem como parceiros as empresas, os órgãos de soberania e os Centros de Educação.
Os alunos do 10º I estão de parabéns pela sua postu

ra de interesse e atenção demonstrados, tendo esta atividade contribuído para o seu enriquecimento pessoal e profissional.

Texto: Prof.ra Paula Cerca
Fotos: De alunos… 

 

LIVRO DO DIA – “Números que contam histórias”

Capturar

SINOPSE
“Os números estão muito mais próximos de nós do que julgamos e dominam o nosso quotidiano, mesmo que não gostemos de matemática. Mas este não é um livro de matemática, ainda que seja protagonizado por números. Confuso? Nem por isso. Este é, literalmente, um livro de cultura geral e os números são as personagens principais de histórias verídicas e cheias de informações e factos que o leitor provavelmente desconhece.

Sabia que, se o ser humano conseguisse utilizar o cérebro na capacidade máxima, armazenaria 4,7 mil milhões de livros?
E que os suínos em Espanha já são tantos que ultrapassam o número de cidadãos espanhóis?
Ou que um estagiário na Apple aufere 5300 euros, isto é, mais do que o nosso Presidente da República?
Ou ainda que a Rússia é tão grande que tem 11 fusos horários, o que faz com que de um lado do país haja habitantes que se sentam à mesa para jantar quando do outro há gente a despertar de uma noite de sono?
Se sonha com dias maiores, tem conhecimento de que, daqui a 6,7 milhões de anos, os dias do Planeta terão mais 1 segundo do que agora?
Fazia ideia de que as peças Lego vendidas num só ano dariam 5 vezes a volta à Terra?
Ou de que a fobia à sexta-feira 13 se chama «parascavedecatriafobia»?
Ou de que existem mais países filiados na FIFA do que na ONU?
E de que Portugal é o terceiro país mais pacífico do mundo?

3st3 p3qu3n0 t3xt0 s3rv3 4p3n45 p4r4 m05tr4r c0m0 4 no554 c4b3ç4 c0n53gu3 f4z3r c01545 1mpr3551on4ant35! R3p4r3: n0 1n1c10 p4r3c14 c0mpl1c4d0, m45 n35T4 L1nh4, 4 5u4 c4b3ç4 v41 d3c1fr4nd0 0 c0d1g0 qu453 4ut0m4t1c4M3nt3, 53M pr3c154r d3 p3n54r mu1t0, c3rt0? 3nt40 p0d3 0rgulh4r-53 d1550. 4 5u4 c4p4c1d4d3 m3r3c3! P4r4b3ns!

«Percebeu tudo à primeira? No princípio parece estranho, mas depois torna-se mais fácil. Números que contam histórias ou histórias que contam números? Que histórias podem contar essas entidades tão frias, impessoais e inquestionavelmente objetivas? Que vidas têm, afinal? Este livro é a demonstração inequívoca de como os números podem dizer muito mais do que a informação impressa pelos seus algarismos.»”
Do prefácio de João Duque

Educação empreendedora pode mudar a forma de encarar o mundo e resolver problemas!

No mundo atual, é preciso saber trabalhar em grupo, ter liderança, dialogar, negociar num momento de conflito, perceber uma oportunidade de visualizar alguma coisa, analisar uma situação. Muito disso,  não aprende na escola tradicional.

Felipe Matos, empreendedor

 Fonte: https://www.correiobraziliense.com.br/