8.ª Edição Concurso “ACREDITA PORTUGAL”

Banner-site-1

Estão abertas as inscrições para o Concurso Montepio Acredita Portugal!

O maior concurso de empreendedorismo do país tem como objetivo premiar os melhores projetos e ajudar todos os portugueses a desenvolver as suas ideias empreendedoras. Não interessa se tem ou não formação prévia em empreendedorismo, não interessa o seu sexo nem interessa a sua idade:

  • Se tem uma ideia de negócio mas não sabe como a levar à prática;
  • Se já arrancou com a sua ideia mas gostava de ter o feedback e apoio de especialistas para avançar.

Aceda ao link para as inscrições: http://www.acreditaportugal.pt/inscricoes/

Anúncios

BOAS FESTAS 2017

NATAL 2017-2018

TOP CAMPUS NATAL

255773321

O TOP CAMPUS NATAL está inserido numa estratégia de formação e educação para o empreendedorismo jovem, mais vasta, denominada de “Youth Inclusive Entrepreneurship Lab”, financiada pelo programa Erasmus+ Juventude em Ação, projeto europeu, desenvolvido pelos Municípios de Estarreja e de Vagos.  Este é um dos primeiros programas de empreendedorismo de base regional e que pretende colocar a cidade de Estarreja como referência do empreendedorismo jovem em Portugal.

Este projeto conta com a parceria-chave do Agrupamento de Escolas de Estarreja e do seu Núcleo/Clube de Empreendedorismo da Escola Secundária de Estarreja, proporcionando nesta edição, dois dias de intensa formação, 19 e 20 de dezembro, a 15 dos nossos jovens alunos, selecionados dos 10.º e 11.º anos do ensino profissional, a possibilidade de participarem neste programa. Este laboratório de formação empreendedora, encontra-se alicerçado no desenvolvimento e enriquecimento de competências e de comportamentos de inovação, de autonomia e de criatividade, na criação de ideias, na avaliação de oportunidades, na assunção de riscos e na concretização de iniciativas diferenciadas e de sucesso.

O facto de o evento ter tido lugar na Pousada da Juventude de Viseu, num ambiente informal e acolhedor, constitui-se num estimulante espaço de trabalho com recurso a dinâmicas intergrupos com base em pressupostos de empowerment para empreendedores.

25577356_25579281_10155975303634181_83965346_o25593124

25590479_10155976622659181_2094844190_o25590377_10155976622834181_2043634074_o25590325_10155976622664181_1644595716_o

25590360_10155976441859181_1498131263_o

Esc. Secundária de Estarreja – Árvore de Natal

Foto de Rosário Santos.

O Grupo Curricular de Mecânica, da Escola Secundária de Estarreja, encontra-se a desenvolver projetos subordinados a temas diversos, cuja primeira série, esta com a assinatura do professor Nuno Branco e seus alunos, resultou na apresentação de alguns trabalhos alusivos ao Natal e ao meio ambiente, enquadrados na filosofia da economia circular. Parafusos, anilhas, pregos e pequenas tiras de ferro considerados desperdícios, foram reutilizados na construção de peças de design. Promover a aquisição de valores inerentes a um desenvolvimento sustentável, combatendo o desperdício foi o mote dado –  “Nas oficinas de Mecânica nada se perde tudo se transforma”.

A atitude de consumir e deitar fora, de reciclar e deitar fora não vai resultar no futuro. Aqui ficam alguns bons exemplos de peças, cujo trabalho de sensibilidade artística e de técnicas, resultaram do olhar atento sobre a realidade, no reconhecimento da necessidade de cuidar do ambiente com respeito e criatividade.

Aquilo que, se chama de lixo/resíduo/desperdício, na verdade é um conjunto de matérias-primas preciosas que podem trazer benefícios sociais, económicos e ambientais para o nosso Planeta. O final de vida de um produto terá de ditar o início de outro. A ECONOMIA CIRCULAR tem por principio ser REGENERATIVA e RESTAURATIVA.

121919122003DSCN9628DSCN9638

 

ECONOMIA CIRCULAR – Sessão Informativa | SEMA

Imagem1

No dia 28 de novembro, no Centro de Negócios do Eco Parque Empresarial de Estarreja, duas turmas do 12.º Ano da Escola Secundária de Estarreja, Técnico de Gestão e Técnico de Produção em Metalomecânica, participaram numa Sessão Informativa sobre uma nova forma de se pensar a utilização dos recursos naturais, “Economia Circular”, nas áreas da Química e da Metalomecânica, cujo evento foi uma iniciativa da SEMA, Associação Empresarial Sever do Vouga, Estarreja, Murtosa e Albergaria-a-Velha.

Com base numa profunda experiência profissional, alicerçada por formação académica em diversas áreas do Ambiente e Recursos Naturais, o Prof. Dr. Carlos Borrego, primeiro orador e numa abordagem cativante, reforça a importância da transição de uma economia linear para uma economia circular, ao ser prossecutor de abordagens inovadoras, que se traduzem na necessidade de serem desenvolvidas novas eficiências e reciclabilidade dos resíduos. A economia mundial tem sido construída, desde os primórdios da industrialização, com base num modelo linear de consumo de recursos que segue um padrão “extrair-produzir- consumir- deitar fora”, que se encontra nos dias de hoje sob ameaça devido à forma e velocidade insustentável como são usados os recursos naturais, cada vez mais escassos.

Senão, vejamos os dados divulgados:                                  

– “Na UE, cada pessoa consome atualmente 16 toneladas de materiais por ano, das quais 6 toneladas são desperdiçadas, acabando metade nos aterros. – Em 2014, só em Portugal cada habitante produziu 425 kg de lixo (mais 2,5% do que em 2013). – Na Europa, 31% dos alimentos são desperdiçados ao longo da cadeia de valor. – Um carro europeu está estacionado em média 92%.  – Um escritório é usado apenas 35% a 50% do tempo, mesmo durante o horário de trabalho. – Nas indústrias do aço, plástico e papel perdem-se entre 30 a 75% do valor dos materiais no 1.º ciclo produtivo. – A União Europeia importa 6 vezes mais materiais e recursos naturais do que exporta. Em média, a Europa usa os materiais apenas uma vez.  Se continuarmos a utilizar os recursos ao ritmo atual, em 2050 teremos necessidade, em termos agregados, do equivalente a mais de dois planetas para nos mantermos.”

Uma realidade preocupante que não deixou ninguém indiferente!

Segundo o mesmo orador, não basta reciclar! A economia circular vai muito além da reciclagem, algo muito mais ambicioso como PREVENIR, REUTILIZAR, RESTAURAR, REGENERAR, promovendo a mobilização geral rumo a um novo estilo de vida, que respeite os limites impostos pelo planeta Terra.  Os resíduos deixam de ser um fim em si mesmos e tornam-se reutilizáveis. Em 2020 os resíduos terão que ser geridos como um recurso. O final de vida de um produto poderá ditar o início de outro. São estes os princípios que norteiam a economia circular.

Como avaliação da atividade, destaca-se o facto de ter sido do agrado de todos os alunos e professores participantes, pela atualidade e importância da informação/formação de uma consciência esclarecida, atenta e orientada para a prossecução dos objetivos do desenvolvimento sustentável e da ECONOMIA CIRCULAR.

FOTO 1

 

Continuar a ler