IDEIAS INOVADORAS: Empresa japonesa cria sapatos com GPS para localizar idosos perdidos

zapatos-610x389

Já pensou como um sapato poderia tornar mais segura a vida de idosos com determinadas doença?

“A empresa japonesa Wish Hills desenvolveu calçados com GPS com intuito de ajudar a localizar idosos com demência, que podem se perder e não conseguir voltar para casa.

Os “GPS Dokodemo Shoes” mostram a posição do usuário em dispositivos como smartphones e computadores com um número de identificação e senha.

“Temos experiência na busca de doentes com demência perdidos, e sabemos que este perfil de pessoas não utiliza telefones celulares e nem relógios, e sim sapatos. Por isso decidimos criar sapatos com sistema de localização GPS”, explicou um porta-voz da empresa para a Folha.

Quando o idoso se afasta mais de 50, 100 ou 500 metros de casa, dependendo do número programado, uma notificação é enviado ao dispositivo móvel, que mostra a  posição do usuário em um mapa para que seja mais fácil iniciar a procura.

Custando 35 mil ienes (R$ 1.000), estão disponíveis apenas no Japão, país em que praticamente 25% da população supera os 65 anos.

“O mercado doméstico é muito importante para nós, no entanto, no futuro nos interessaria abrir em outros mercados nos quais a população envelhecerá rapidamente nos próximos anos”, disse a companhia.

A demência é uma síndrome que implica a deterioração da memória, do intelecto, do comportamento e da capacidade para realizar atividades da vida quotidiana. Cerca de 47,5 milhões de pessoas sofrem de demência no mundo, e a cada ano são registados 7,7 milhões de novos casos, segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde).”

Fonte: Razões para acreditar (site)

Sap

Visita de Estudo – RTP e MUSEU DAS COMUNICAÇÕES

VE

No dia 22 de fevereiro, as turmas do 12.º H (Técnico de Gestão) e 12.º J (Técnico de Marketing), do Agrupamento de Escolas de Estarreja, deslocaram-se a Lisboa para uma visita aos estúdios da RTP e respetivo Museu, acompanhadas de quatro professoras, Adélia Felgueiras, Fernanda Matos, Lúcia Branco e Rosário Santos. Tiveram oportunidade de ouvir as interessantes histórias que cada objeto conta sobre a vida de mais de meio século da nossa televisão pública, pela voz da guia do museu e ainda gravar um pequeno programa, no estúdio existente para o efeito. Uma experiência interessante e inesquecível para os alunos que participaram.

Após o almoço e um breve descanso, rumámos até ao Museu das Comunicações. Aqui, foi-nos dado a conhecer o património histórico, científico e tecnológico das Comunicações. Por fim uma interessante visita à “Casa do Futuro”.O reforço de um conhecimento multidisciplinar e visão sistémica em áreas tão específicas, captou o interesse de todos os alunos. Estes jovens revelaram interesse e atitude responsável, valorizando a diversidades dos conhecimentos adquiridos.

Ideias inovadoras – Um casaco que usa a energia do sol

casacotermicosolar

“Uma empresa norte-americana com origem no México desenvolveu um casaco térmico que utiliza a energia solar para aquecer o utilizador. Este será mesmo “o primeiro casaco do mundo que capta o calor do sol para  manter quente  o indivíduo sem acrescentar volume”, de acordo com os fundadores da ThermalTech.

Segundo a apresentação da marca na campanha de “crowdfunding” na plataforma Indiegogo, o casaco é feito de um tecido inteligente com um conjunto de características que o torna único: é flexível, leve e à prova de água e respira, impedindo o sobre-aquecimento durante a prática de desportos e equilibrando a temperatura corporal. 

A tecnologia térmica pode ser incorporada em quase todos os materiais e estilos de vestuário, garantem os criadores, e encontra-se em processo de patenteamento. Durante o dia, a energia é captada através dos raios solares. Após o pôr do sol — ou quando em espaços fechados —, as células do tecido captam energia de fontes de iluminação artificial e transformam-na em calor, aumentando a temperatura em poucos minutos.

Carlos Cortes, que fundou a empresa com Fatima Arguelles, explicou ao site “TreeHugger” que a introdução de um tecido capaz de absorver a energia solar no mercado do vestuário vai permitir que toda a gente, do “snowboarder” à “fashionista”, se “mantenha quente em climas mais frios”. Isto sem aumentar o número de peças vestidas e, consequentemente, a sensação de volume.

Os casacos da ThermalTech estão disponíveis em várias cores para homem e mulher, em três modelos: uma versão urbana para, idealmente, ser usada em ambientes com temperaturas entre os 0 e os 10 graus Celsius; uma versão de explorador, com carapuço e vários bolsos interiores, desenvolvida para temperaturas mais baixas; e, por último, uma versão “extreme”, pensada para temperaturas até aos 20 graus Celsius negativos.

No Indiegogo é possível encomendar um casaco do modelo urbano a partir de 139 dólares (perto de 125 euros). As entregas estão agendadas para Agosto de 2016.”

Fonte: http://p3.publico.pt/vicios/espelho/19579/um-casaco-que-usa-energia-do-sol-para-te-manter-quente

IV Seminário Empreendedorismo Jovem – Estarreja

12524056_1684678255103756_4811963029193328379_n

Concurso de Ideias Jovem Empreendedor Estarreja – 29 de janeiro Cineteatro de Estarreja 

A ousadia faz a diferença, quando se trata de soltar as amarras e içar velas abrindo novos caminhos, colocando a imaginação e a criatividade ao serviço de um futuro promissor. Vinte e três jovens da Escola Secundária de Estarreja cortaram as amarras e fizeram acontecer, ousaram ser empreendedores, sonharam e desejaram conquistar o júri e uma efusiva plateia de jovens, empresários, professores e encarregados de educação. Conceitos de negócio originais, inovadores e exequíveis, suscetíveis de dar origem a novos produtos, processos ou sistemas foram apresentados.  

O primeiro lugar recaiu no projeto “Viver com dignidade – Crowdfunding SMOBILIZE”, defendido por dois alunos do 12.º ano, o Tiago Ferreira e a Natália Silva,  baseado no reconhecimento da importância da economia social que pode e deve, tirar partido de microprojetos de financiamento coletivo de solidariedade social. O mote dado foi ajudar a CERCIESTA a satisfazer a necessidade de financiamento para aquisição de um fogão industrial que possa alavancar esta instituição na criação de um mininegócio na área alimentar. A campanha será levada a cabo através da plataforma PPL Portugal.

Com pequenos passos se faz o caminho, este Seminário é bem o exemplo de um novo tipo de abordagem inovadora, promotora da educação para o empreendedorismo, cujo incentivo é o estímulo que faz despertar nos nossos jovens a sua motivação para aprender, agir para conquistar a sua independência, traçar o próprio destino na construção de um futuro mais auspicioso. O sucesso desta iniciativa contribuiu para tornar a Escola como uma referência na pedagogia empreendedora.

Premiados:

1.º lugar (Social) – “Viver com Dignidade – Crowdfunding SMOBILIZE”  – [ 500,0€ ]

–       Natália José Tavares da Silva – 12.º H/ C. Prof. Técnico de Gestão

–       Tiago André Valente Ferreira –  12.º H/ C. Prof. Técnico de Gestão

 

2.º Lugar (Negócio) – “BicycleProtected”  – [ 250,0€ ]

–       Fábio Daniel Pereira Rodrigues – 12.º J/C. Prof. Técnico de Marketing

–       Pedro Miguel da Costa Valente Couras  – 12.º J/C. Prof. Técnico de Marketing

 

3.º lugar (Criatividade) – “HealthCookies “  –  [ 100,0€ ]

–       Carina Rodrigues – 12.º J/C. Prof. Técnico de Marketing

–       Ana Andrade – 12.º J/C. Prof. Técnico de Marketing

 

Menção Honrosa (Criatividade) – “KIT Ambiental – EKOTREE”

–       Katherine Fátima Franco Ferreira – 12.º H/ C. Prof. Técnico de Gestão

–       Pedro Filipe Santos Valente – 11.º I/ C. Prof. Técnico Programação Informática

–       David Carlos da Silva Ferreira  – 12.º G/ C. Prof. Técnico de Prod. Metalomecânica

12573230_1563611177292608_877746130685740858_n

 12645082_1249760975039512_6447793388703995501_n