Calendário sazonal

calendario

Descubra todos os feriados, datas comemorativas, culturais e cívicas, profissionais, históricas e curiosidades, num calendário completo. Muito útil.

Não deixe de consultar!

(clique na imagem e aceda ao site)

Calendário

Anúncios

UA descobre destino inovador para as cascas de ovo: materiais cerâmicos

joua_i_3873_full
“Uma equipa de investigadores da Universidade de Aveiro (UA) descobriu um processo que permite utilizar cascas de ovos no fabrico de materiais cerâmicos. O método já patenteado junta a vantagem ambiental à económica. Para além de evitar que as cascas de ovos tenham como destino o lixo, podendo o produtor de ovos vender o material em vez de pagar pelo respetivo transporte para aterros sanitários, o processo também permite que os fabricantes de cerâmica poupem dinheiro já que o cálcio das cascas é uma alternativa de baixo custo à calcite usada como matéria-prima e cujo processo de extração apresenta uma pegada de carbono elevada.”

«Os resultados obtidos, explica o investigador, “mostram que a aplicação em meio industrial é possível mas até uma determinada taxa de incorporação, isto é, não é possível substituir 100 por cento da calcite por casca de ovo”. No entanto, e apesar desta limitação “que é comum a muitas situações em que se incorporam resíduos”, há ganhos evidentes a nível económico. “O interesse é maior da parte do produtor de casca de ovo estendendo-se, com menor grau, para a indústria de cerâmica”, diz o especialista sublinhando que “não existem custos acrescidos para as indústrias de cerâmica uma vez que na preparação das pastas, e cumprindo todas as normas requeridas pelas empresas do ramo, se continuam a utilizar os mesmos equipamentos e métodos”.

Quanto à qualidade final dos cerâmicos fabricados com as cascas, José Velho garante que “até um determinado nível de incorporação conseguiu-se manter os níveis de qualidade mais exigentes aplicados pela indústria”. No entanto, “como existe alguma margem de manobra”, será possível no futuro “estender um pouco mais a taxa de incorporação sem que se verifique uma perda significativa da qualidade do produto final”. »

Fonte: http://uaonline.ua.pt/pub/detail.asp?lg=pt&c=43774