Jovens Empreendedores na Estação Central de Zurique

Estudantes do ensino secundário ( 450 ) de vários países Europeus apresentaram, de 28 a 30 de Março, as suas empresas na JA-YE Europe Trade Fair 2012, em Zurique, Suiça. Os alunos precisaram somente de algumas horas para transformar a Estação Central de Comboios de Zurique, num mercado internacional. Provenientes de 33 países europeus, representando um total de 90 mini-empresas. Os mais variados produtos e serviços estiveram presentes, do mobiliário ergonômico ao web design, alimentos ou bebidas.

Vencedores

Best Overall Company
Nailcup (Suiça) – Esta mini-empresa desenvolveu um produto para remover o verniz das unhas leve, com um design criativo e fácil de usar.

Best Stand Award
One Body Ergonomics (Dinamarca) – Uma refinada cadeira de escritório ergonômica, que minimiza dores e lesões nos ombros, pescoço e de esforço repetitivo.

Most Innovative Product
Sport and Health Innovation (Holanda) – Um aparelho que lança bolas de ping-pong, com capacidade de armazenamento até 40 bolas. O gadjet pode ser colocado no lado ou no final da mesa, simulando o serviço de um adversário.

Best Marketing and Sales
Søvni (Noruega) – Um conjunto de cama inspirado na natureza da Noruega. Parte do lucro conseguido reverte para a sua fundação, que apoia tratamentos médicos de uma comunidade com graves problemas de saúde e sociais.

Accenture Enterprise without Boarders Collaboration Award
Expand-it (Portugal) – SPREAD-EAT é um recipiente onde é possível colocar dois tipos de recheios e levá-los para onde quisermos. Com uma embalagem prática, não é necessário usar uma faca para espalhar o recheio no pão, nas torradas, biscoitos ou até mesmo na fruta!

UBS Responsible Business Award
S.T.E.F.I JA (Itália) – Desenvolveu um protótipo para a regulação da temperatura interior dos edifícios utilizando controladores electrónicos fotovoltaicos.

KPMG Client Service Award
appletime (Suíça) – Vende uma gama de compotas de maçã com ingredientes sazonais com a possibilidade de serem armazenadas em recipientes personalizados.

Fonte: Junior Achievement-Portugal
Anúncios

25 de Abril/Livro do dia – “A Hora da Liberdade”

Um livro histórico notável que, pela primeira vez, reúne inúmeros protagonistas do 25 de Abril, para um relato dos acontecimentos na primeira pessoa. Das entrevistas que fundamentaram um trabalho para a SIC, nasceu este livro, que nos revela, pela voz dos protagonistas, como nasceu, se afirmou, organizou e decorreu a «Revolução dos Cravos». Uma obra histórica, um tributo único a todos os que contribuíram para este acontecimento que devolveu a liberdade a Portugal.

Fonte: Clube dos Livros

Educação em Empreendedorismo nas escolas europeias

Foi dado a conhecer um Relatório da Comissão Europeia que conclui que a Educação em Empreendedorismo tem vindo a ganhar espaço na maioria dos países Europeus.

  • No ensino secundário, metade dos países integram o empreendedorismo em disciplinas obrigatórias, tais como economia e ciências sociais.
  • Dois países (Lituânia, Roménia) ensinam empreendedorismo através de  disciplina obrigatória.
  • Oito países (Dinamarca, Estónia, Lituânia, Países Baixos, Suécia, Noruega, País de Gales e parte flamenga da Bélgica) lançaram estratégias específicas para promover a educação para o empreendedorismo:
  • A formação de professores  nesta área só está disponível na Comunidade flamenga da Bélgica, Bulgária e Holanda.
  • Um terço dos países europeus fornecem diretrizes centrais e material didático para o ensino do empreendedorismo.

Leia aqui o artigo publicado no site Balkans.com ( Business News).

Língua eletrónica inventada na Universidade de Aveiro

Língua eletrónica é uma ideia inovadora, criada e desenvolvida pela  Universidade de Aveiro (UA),  que serve para analisar a qualidade dos alimentos. Este mecanismo, inventado por Alisa Rudnitskaya, investigadora do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar, permite no espaço de cinco a dez minutos e a baixo custo, detetar se há nos alimentos algum composto (como metais) que possa ultrapassar os níveis tolerados pelo organismo humano. Esta invenção é em tudo análoga a uma língua humana, visto que os vários sensores, feitos por membranas de diferentes composições (vidro, cristais, policristais ou polímeros orgânicos), fazem a vez das papilas gustativas.

Perceber se a fermentação no vinho está a decorrer dentro da normalidade, se as suas propriedades, origem e idade estão de acordo com o pretendido pelo produtor, indagar sobre o grau de contaminação microbial e presença de metais no leite, sumos, água, café, cerveja, chá e vinhos são algumas das possíveis aplicações entre os líquidos alimentares.

Uma característica única da língua eletrónica, é ter capacidade de avaliar os sabores dos alimentos, tendo sido utilizado com sucesso na análise de alimentos sólidos, nomeadamente em queijos, carne, peixe, vegetais e fruta. A língua criada, pode ainda ser aplicada na análise de águas residuais e naturais (como lençóis freáticos) e de soluções industriais.

Fonte: Diário de Aveiro ( 4 de abril, 2012)