Plataforma Escola Sustentável – Concurso

Encontra-se disponível a “PES – Plataforma Escola Sustentável”, uma iniciativa da DECO – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, em parceria com a ABAE – Associação Bandeira Azul da Europa, no âmbito do qual as escolas desenvolvem projetos/atividades que abordem o tema da Poupança da Energia Elétrica.

Esta plataforma online, dirigida às escolas, disponibiliza informação e recursos educativos sobre a temática do consumo eficiente de energia elétrica e tem como objetivo incentivar os estabelecimentos de ensino a desenvolver projetos e atividades de promoção de um consumo de eletricidade mais sustentável na escola e na comunidade.

 Os projetos/atividades podem ser submetidos até 20 de Abril de 2012.

Aceda à plataforma

 PES – Plataforma Escola Sustentável

para mais informações.

Anúncios

Procura de emprego

Ser empreendedor significa, também, ser motivado pela autorrealização, pelo desejo de assumir novas responsabilidades e ser independente. Saiba virar a página da sua vida, vencendo a letargia, procurando neste site uma oferta de emprego e de carreira.

Portal Aveiro empreendedor

Este site tem como objetivo promover uma cultura e espírito empreendedores, estimular a inovação e apoiar a criação de PME’s  em Aveiro 

O projeto é constituído por:  “5 áreas  de atuação prioritárias: Apoio às Pequenas e Médias Empresas; Incubação de empresas; Promoção do Empreendedorismo nas escolas; Promoção de uma Cultura Empreendedora e  Comunicação, dando continuidade a três linhas estratégicas: fomentar o empreendedorismo; apoiar novas empresas e tornar as PMEs mais competitivas. “

(clique na imagem para aceder ao portal)

image

Literacia Financeira da População Portuguesa

O Banco de Portugal divulgou, hoje,  o “Relatório do Inquérito à Literacia Financeira da População Portuguesa, realizado em 2010, depois de há cerca de um ano o mesmo banco ter divulgado os resultados preliminares do “Inquérito à Literacia Financeira: Banco de Portugal foi a casa de 2000 portugueses,.

O Governador do Banco de Portugal alerta que existem “importantes assimetrias nos níveis de literacia financeira de diferentes grupos populacionais”. Jovens e desempregados são os casos mais preocupantes.

Em matéria de literacia financeira, o cenário traçado pelo Banco de Portugal não é dos mais favoráveis. A  escassez de formação e de informação  por parte dos clientes bancários criou uma bola de neve que se chama crédito malparado. Desconhecem o que seja um “spread” e ignoram outros custos associados aos empréstimos que se propõem, e conseguem, contrair.

  • 32% dos portugueses têm cartões de crédito.
  • 37% dos portugueses têm seguros. Estes são os produtos bancários a que os portugueses mais aderem.
  • 31% da população nacional escolhe os depósitos a prazo como destino para as suas poupanças.
  • 26% dos portugueses comprou casa recorrendo ao crédito à habitação.
  • 25% dos portugueses recorre ao descoberto bancário (contas ordenado) para fazer face a dificuldades
  • 16% dos portugueses recorre aos planos de poupança para alcançar algum objetivo, nomeadamente para a reforma.
  • 4% dos portugueses gosta de arriscar e aplicar o seu dinheiro em ações.

Confira, aqui, estas e outras informações consideradas fundamentais para a perceção das atitudes e comportamentos da população portuguesa na gestão das suas finanças pessoais e os conhecimentos financeiros básicos.

Fonte: Banco de Portugal

dou.pt – Novo portal para dar e receber

O novo portal, dou.pt – Portal de Doações, assume uma vertente de responsabilidade social e pretende revolucionar a forma como os bens circulam em sociedade. Doar objetos – eletrodomésticos, livros, brinquedos, roupas ou qualquer outro bem que possa ser útil – vai passar a ser mais fácil com esta nova plataforma.

Segundo um dos seus fundadores, este “processo peer-to-peer, que vai integrar a reutilização nos hábitos de consumo dos Portugueses, irá conduzir a uma poupança de 22 milhões de euros e a reutilização de 1.150 toneladas de bens. O DOU.pt pretende por isso ser um serviço público para mediação da oferta de bens reutilizáveis e incentivo à reciclagem.”