“Serious games” – Uma nova consciência global e cívica

Uma nova gama de jogos já chegou e adeptos não faltam. Estes jogos, conhecidos como “serious games” (jogos sérios), propõem uma experiência inovadora  ao  utilizar o entretenimento digital como meio para construir uma consciência global e cívica .

O jogo da sobrevivência dos refugiados no Darfur é um  bom exemplo de um jogo sério que  pretende despertar consciências para um dos maiores dramas do século XXI.

No jogo “Darfur is Dying”, o jogador coloca-se na pele de um dos 2,5 milhões de  refugiados em Darfur, no Sudão. Ele pode assumir o papel de oito diferentes representantes de um campo de refugiados, do sexo feminino e masculino, com idades entre 10 e 30 anos. O objetivo é manter o campo de refugiados a funcionar por sete dias, apesar dos constantes ataques da milícia Janjaweed.
________________________________

Outros jogos sérios que se dedicam a informar, ensinar e educar.

Greenpeace Weather (http://200.186.92.250/awards/2008/greenpeace/weather_art/eng/)
Os jogadores  tornam-se ciberativistas e, aliados a outros, precisam salvar o mundo das crises ambientais, no máximo de 16 rodadas. Premiado com Leão de Bronze, em Cannes. Português.

Efficiencity (www.greenpeace.org.uk/efficiencity)
Desenvolvida pelo site britânico do Greenpeace, essa cidade virtual, baseada em experiências reais no Reino Unido, ensina ao internauta como um centro urbano pode ser abastecido com fontes descentralizadas de energia renovável. É um ambiente interactivo com animações, textos, fotos e vídeos didácticos. Disponível para download. Em inglês.

Games for Change (http://www.gamesforchange.org/)
A entidade sugere opções de jogos ‘sérios’, agrupados em temas como meio ambiente, economia e direitos humanos. Em inglês.

Energyville (www.willyoujoinus.com/energyville)
Criado pela Chevron com base em dados do The Economist Intelligence Unit’s, o desafio desse jogo é criar energia para uma cidade de 5,9 milhões de habitantes. Em inglês.

Electrocity (http://www.electrocity.co.nz/)
Criado como projecto educacional na Nova Zelândia, desafia a criar uma cidade sustentável em 150 rodadas. O jogador pode gravar o jogo e continuar depois. Em inglês.

City Rain (http://www.ovologames.com/cityrain/BR/)
Uma mistura de Tetris e SimCity, o City Rain desafia o jogador a construir uma cidade de maneira sustentável, com peças que “chovem” do ceú. Em inglês.

Planet Green Game (http://planetgreen.discovery.com/games-quizzes/tom-green-quiz-game.html)

Parceria da Global Green USA com a Starbucks, propõe explorar a cidade fictícia de Evergreen, reduzindo a emissão de CO2. Pontua mais quem optar por medidas mais limpas. Inglês.

Honoloko (http://honoloko.eea.europa.eu/Honoloko.html)
O jogador responde a questões na Ilha de Honoloko. As decisões afectam habitantes e ambiente. Criado pela Agência Europeia do Ambiente. Em português de Portugal.

Eco Agents (http://ecoagents.eea.europa.eu/)
Também criado pela Agência Europeia do Ambiente, o Eco Agents permite criar um avatar para responder a perguntas sobre temas como mudanças climáticas e escassez de água. O site também tem notícias e dicas ecológicas. Em inglês.

PVC Game (www.institutodopvc.org/pvcgame)
Baseado no jogo sobre a indústria europeia do PVC, o Instituto do PVC criou esse jogo segundo a realidade da indústria brasileira. O internauta actua na indústria de 1987 a 2010 e precisa construir novas fábricas prestando atenção ao desenvolvimento sustentável. Em português.

Food Force (http://www.food-force.com/)
Do Programa Alimentar Mundial, da ONU, desafia o internauta a acabar com uma crise de fome numa ilha de Sheylan, no Oceano Índico. Disponível em português.

Fonte: Estadão.com.br/planeta ( Diversão a favor do ambiente)
Anúncios

Dia Mundial sem compras – 27 de Novembro

O DIA MUNDIAL SEM COMPRAS, oficialmente  chamado de “Buy Nothing Day”,  é  o movimento mundial pelo Consumo e visa chamar a atenção para o excesso provocado pelo consumo irracional. A ideia surgiu em 1992 pela mão do artista canadiano, Ted Dave, e é um alerta aos consumidores para os excessos provocados pelo consumo irracional que se traduz em consequências para as famílias e também para o meio ambiente.,

Segundo o relatório Estado do Mundo – 2010, hoje, existe um padrão mundial de produção e consumo insustentável. Para se ter uma ideia, a humanidade já consome 30% a mais de recursos naturais do que a Terra é capaz de repor.

Pior ainda, é  apenas 16% da população mundial (o que representa cerca de 1 bilhão de pessoas), apropriar-se de  78% desses recursos. O restante , 22%  é dividido por 84% da população (5,8 bilhões de pessoas).

Está na hora, há que mudar, hábitos e valores, fazendo uso de uma ferramenta poderosa a EDUCAÇÃO. Aumentar a consciencialização sobre sustentabilidade é inevitável. Devemos, todos juntos, mobilizar esforços promovendo a mudança construindo uma sociedade mais justa fundamentada em prioridades humanas e ambientais.

Não deixe de consultar  o relatório sobre o  Estado do Mundo – 2010

– Do consumismo à sustentabilidade – 

( Clique na imagem para aceder ao documento )

Este relatório é um documento produzido anualmente pelo Worldwatch Institute (WWI) – organização com sede em Washington (EUA) – o “Estado do Mundo”  “oferece”  anualmente um balanço com números actualizados e reflexões sobre as questões ambientais. Na edição de 2010, o Instituto Akatu fez a tradução do relatório para o português ( do Brasil ).

Portal da Formação

O Portal Ncursos.net é um directório de formação que pretende juntar num só espaço os vários cursos e entidades de formação existentes em Portugal.

Através do site é possível encontrar os cursos que se pretende, comparando de forma fácil custos, programas e muito mais. 

 Portal formação_ NCursos

Visita de Estudo ao Porto – Bolsa de Valores, Filial do Banco de Portugal e Museu dos Transportes e Comunicações

Dezoito de Novembro foi o dia marcado para uma visita de Estudo à cidade do Porto para os alunos do 10º H e 11º I do  Curso Profissional Técnico de Gestão da Secundária de Estarreja, acompanhados pelas três professoras organizadoras, Donzília Almeida, Luísa Garraio, Marília Teixeira e  Directora de Curso, Rosário Santos convidada para o efeito, que visitaram os  seguintes pontos de Interesse: Filial do Banco de Portugal, Palácio da Bolsa e Museu dos Transportes e Comunicações.

Filial do Banco de Portugal – Numa manhã bastante nublada, interesse e boa disposição não faltaram ao grupo de alunos nesta primeira visita. Fomos excelentemente recebidos e todos ficaram a saber muito mais sobre a história do Banco de Portugal, suas funções e responsabilidades que foram evoluindo de modo a responder às necessidades da economia e da sociedade em geral. O Banco de Portugal pertence actualmente ao SEBC (Sistema Europeu de Bancos Centrais) e ao Eurosistema, onde o Banco Central Europeu e os Bancos Centrais de cada país executam em conjunto as funções que lhes foram atribuídas proporcionando assim um melhor cumprimento das mesmas, sendo o principal objectivo do Eurosistema manter os preços estáveis em toda a área do euro. Mas o que empolgou os alunos foi a actividade desenvolvida com vários técnicos do banco sobre a forma como reconhecer notas falsas das verdadeiras. A tecnologia de impressão utilizada na produção das notas de euro é da mais sofisticada, pelo que as notas de euro incorporam diversos elementos de segurança tecnologicamente avançados, que tornam mais fácil distingui-las das notas contrafeitas sem ser preciso recorrer a equipamento especial. De facto, ficámos todos a saber que basta apenas tocar, observar e inclinar as notas. O que  fazer com notas mutiladas ou danificadas e o que fazer se recebermos  uma nota suspeita, foram entre muitas outras, informações preciosas,  dicas técnicas extremamente úteis…  

Palácio da Bolsa – Seguidamente, rumámos ao Palácio da Bolsa, considerado uma jóia arquitectónica da Cidade do Porto e classificado como Monumento Nacional, irradiando grandiosidade e exuberância. O Salão Árabe, verdadeira sala de visitas desta cidade, deixou o grupo verdadeiramente fascinado. Este espaço oitocentista, outrora centro de reuniões dos mercadores portuenses, que haviam perdido a Casa da Bolsa do Comércio, serve agora para os mais diversos eventos culturais, políticos, sociais, nomeadamente homenagens a personalidades distintas. Toda a história e curiosidades foram dadas por uma guia que não deixou de mencionar todas as personagens ilustres que por lá passaram.

Museu dos Transportes e Comunicações – Da parte de tarde, chegados ao museu, fomos divididos em dois grupos, cada um dos quais foi conduzido pelas respectivas animadoras, um ao estúdio de televisão e outro à exposição  “O Automóvel no Espaço e no Tempo”. Estas actividades repetiram-se, mas de forma rotativa. Os programas de televisão realizados pelos alunos ficaram devidamente registados em DVD para posterior audição e visualização pela comunidade escolar. Neste Workshop foi solicitado aos alunos que assumissem diferentes papéis no âmbito do desempenho virtual das funções de realizador, produtor, entrevistador, entrevistado, técnico de imagem e som, etc. A exposição “O Automóvel no Espaço e no Tempo”,  que teve como objectivo revelar e interpretar o fenómeno automóvel, relacionando-o com a história socio-económica do século XX. Já no final, num momento de aprendizagem activa, no sentido em que os nossos alunos puderam mudar um pneu de um carro numa oficina mecânica, experimentando o macaco, a chave de fendas,  etc., ao mesmo tempo que foram  sensibilizados para os cuidados no uso do automóvel, como a necessidade do triângulo, o uso do colete, o uso do cinto, etc. Uma tarde bastante proveitosa e claro, que  os alunos apreciaram imenso a passagem por este Museu.

Todos os alunos  acompanharam de forma atenta todas as explicações dadas, convivendo alegremente. Os objectvos desta visita foram totalmente concretizados.

Denúncia de actos de corrupção e fraudes é possível em Portugal – PGR disponibiliza página na Internet

A Procuradoria-Geral da República disponibiliza no seu site na Internet,  uma página para a denúncia de actos de corrupção e fraudes.

https://simp.pgr.pt/dciap/denuncias/

As denúncias podem ser feitas de forma anónima e serão analisadas pelo Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP). A PGR explica que precisa das denúncias dos cidadãos porque “a corrupção ocorre normalmente num círculo fechado de indivíduos, muitas das vezes protegidos por regimes de segredo profissional”.

As denúncias podem incidir sobre as actividades de entidades ou serviços públicos, também do sector privado, do comércio internacional e da actividade desportiva.

Deve existir o conhecimento de dados sobre o relacionamento entre os indivíduos suspeitos ou os efeitos nefastos dos seus actos para o interesse público, para o sucesso da investigação. Combater e eliminar a corrupção é uma responsabilidade de todos e quem não denúncia, conhecendo os factos relevantes, tem também a sua quota de culpa.

O autor da denúncia terá obrigatoriamente de indicar o sector de actividade em que ocorreram os factos, descrevê-los com o maior detalhe possível, revelar as datas, identificar os suspeitos e as empresas e indicar como teve conhecimento.

É, no entanto, facultativa por parte do autor da denúncia a indicação do valor aproximado das quantias envolvidas ou a entrega de documentos que possam comprovar as suspeitas, bem como assumir a sua identidade.

Ao autor da denúncia será ainda atribuída uma chave de acesso, para poder aceder à comunicação e tomar conhecimento da investigação.

( Aceda ao site clicando na imagem )

PORDATA disponibiliza dados da EUROPA

A partir de agora, em http://www.pordata.pt/, todas as pessoas podem aceder de forma gratuita a dados que caracterizam Portugal. O Pordata permite comparar-nos com outros 31 países do espaço europeu, em vários períodos históricos. Esta é uma das principais características do Pordata fornecer informação desde 1960, sempre que possível.

Sempre que existam dados disponíveis, poderá consultar informação estatística referente a todos os  países da União Europeia e dos restantes países do Espaço Schengen, assim como dos Estados Unidos e do Japão.

CURIOSIDADES PORDATA EUROPA

  • Cada trabalhador português, por cada hora de trabalho, produz pouco mais de metade (56%) da média da zona euro;
  • Desde 1990, Portugal envelheceu mais do que a média dos países da União Europeia (UE) a 27;
  • A quantidade de estrangeiros a trabalhar em Portugal, em relação ao total da população activa, é das mais baixas da UE;
  • Número de estrangeiros residentes em Portugal diminuiu 0,8 por cento entre 2008 e 2009 para cerca de 443 mil pessoas, contrariamente ao que sucedeu em Espanha, onde a população residente estrangeira aumentou 7 por cento ultrapassando os 5,6 milhões;
  • A taxa de abandono escolar precoce em Portugal é das maiores da UE;
  • Os portugueses gastam em tabaco, bebidas alcoólicas e narcóticos quase metade que os gregos;
  • Em 2008 emigraram mais portugueses do que romenos;
  • Portugueses, italianos, lituanos e romenos são, na UE, os que menos gastam em tempos livres e cultura.
A direcção do projecto está a cargo de Maria João Valente Rosa e a principal fonte de informação é o Eurostat.

Relatório sobre a Situação da População Mundial 2010 – “Do conflito e crise à renovação: gerações da mudança”

O relatório do UNFPA – “Do conflito e crise à renovação: gerações da mudança” – vincula paz, segurança e desenvolvimento com os direitos e empoderamento das mulheres. Este documento teve como base a resolução 1325 do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

As mulheres têm uma grande capacidade em superar cenários de conflito armado ou desastres naturais e são uma ajuda importante na fase de renovar e reconstruir as sociedades.

Estas são algumas das principais conclusões do relatório sobre a Situação da População Mundial 2010, do Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA), divulgado em todo o mundo.

Em declarações à Agência Lusa, Tânia Patriota, a representante do UNFPA para a apresentação do relatório em Portugal sublinhou que “as mulheres quanto têm os direitos e as oportunidades, numa sociedade que as respeita, tornam-se mais resistentes ao desastre e ao conflito”.

Nesse sentido, o relatório pretende transmitir três grandes mensagens:

  • A importância da resistência das mulheres em superar as crises,
  • A importância de se reconstruir as sociedades com a ajuda das mulheres
  • Equidade entre homens e mulheres é uma das bases para uma sociedade que seja protegida ou menos vulnerável à crise.

Segundo Tânia Patriota, o documento mostra “a importância do papel da mulher durante e depois dos conflitos mas também como evitar que os conflitos causem um sofrimento muito profundo às mulheres, como se tem visto na maioria dos países onde as mulheres têm sido as vítimas mais atingidas”.

Convém referir que este Relatório foi elaborado com a ajuda de testemunhos que a UNFPA recolheu no último ano e meio em países palco de conflitos e catástrofes naturais como a Bósnia-Herzegóvina, Haiti, Jordânia, Libéria, território palestiniano ocupado, Timor-leste e Uganda.

Para a próxima década, alguns desafios foram definidos como cruciais:

  • Tornar a reestruturação planetária socialmente sustentável;
  • Acabar com a impunidade dos crimes contra a mulher;
  • Fortalecer o compromisso das nações para conter esse tipo de violência;
  • Promover a valorização e a participação feminina no poder político.

Consulte o documento na íntegra.