Bookcrossing um novo conceito de leitura

Totalmente grátis e vivendo apenas de quem deixa ou leva um livro, esta espécie de clube está a fomentar a leitura em todo o mundo e também vive na internet, em www.bookcrossing-portugal.com, ponto de encontro onde se sabem as últimas notícias dos livros que foram deixados por aí e onde também são registados, pois todos os livros de bookcrossing devem ser registados.

Desta forma, o  objectivo do Bookcrossing é possibilitar a troca de livros de forma a transformar o mundo numa biblioteca.

O conceito surgiu nos EUA, em 2004, e consiste na prática de deixar os livros em locais públicos, nomeadamente cafés, transportes públicos ou paragens do autocarro, para que um maior número de leitores lhes possa dar utilidade.

Em Portugal existe um conceito mais restrito do BookCrossing, acessível apenas virtualmente. A troca de livros implica o registo no site e a viagem é feita através de um número de identificação.

 Boas leituras!

 

Loja do Empreendedor

Na loja do Empreendedor é possível encontrar notícias sobre novos programas de financiamento, fundos comunitários, linhas de crédito, projectos de internacionalização, entre muitas outras iniciativas de suporte ao desenvolvimento da actividade empresarial, às quais os empresários se podem candidatar com o apoio consultivo da Loja do Empreendedor.

A Loja do Empreendedor consiste num balcão especializado no apoio à criação e desenvolvimento de empresas, designadamente micro e pequenas empresas, ao emprego, à formação e ainda à promoção do empreendedorismo por parte de instituições, como universidades ou ONG, que queiram desenvolver iniciativas de estímulo à actividade empresarial. Actualmente, a ANJE conta com Lojas do Empreendedor a funcionar nos seus núcleos regionais (Norte, Centro, Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve), sendo que o objectivo é replicar o projecto um pouco por todo o País, em parceria com os poderes locais.
 
Clique na imagem para aceder à Loja do Empreendedor.
Fonte: QueroMais

Recursos para TOC …

A Partilha TOC é um serviço de partilha de documentos, pensado na ajuda a dar aos Técnicos Oficiais de Contas no desempenho da profissão.

No entanto, professores e alunos  podem encontrar  informação relevante ao nível da contabilidade e fiscalidade, gestão de pessoal (minutas de contratos, legislação, etc…).

Clique na imagem e aceda ao site:

 

Dia Mundial do Consumidor

Conheça os seus direitos enquanto consumidor!

Seja um consumidor exigente e protegido

mercado solidário A 15 de Março assinala-se o Dia Mundial dos Direitos dos Consumidores. 

Os consumidores são o grupo económico que mais importâncias tem na economia e, aquele que nunca é verdadeiramente escutado. Esta ideia proveniente de John Kennedy, protagonizou o nascimento do Dia do Consumidor, enaltecendo os direitos deste núcleo, à segurança, à informação, à escolha e a ser devidamente ouvido.

Vivemos numa sociedade em que somos todos consumidores, remonta ao século XVIII, momento da tão badalada Revolução Industrial. Comprando bens ou serviços para nosso uso particular, quer para consumo ou para venda, todos vivemos numa sociedade, na qual consumir é a lei a cumprir.

Na condição de  potenciais consumidores de qualquer bem ou serviço, temos o direito à qualidade dessa mesma compra. O vendedor terá que garantir o seu bem estar e funcionamento, através de uma determinada via. Por isso, se fala tanto na palavra garantia, um prazo de tempo determinado e estipulado na lei, dos bens e serviços que adquirimos.

Os consumidores têm igualmente o direito à protecção da sua saúde e segurança física, daí que, os produtos ou a prestação de serviços nestas condições, sejam automaticamente retirados do mercado, mal seja detectada essa situação. Assim, é também garantido que todas as pessoas devem ter acesso à informação que, engloba estes direitos.

O Direito à Informação para o Consumo, é muito importante. O próprio vendedor ou o fornecedor, deve ser responsável pela transmissão da informação. O chamado “segredo de fabrico” é, normalmente, uma fraude. Deve ter bem presente o prazo estipulado, para o devolução do produto, caso este não lhe venha a agradar. Os interesses económicos, numa relação de compra e venda devem estar, correctamente estipulados e defendidos.

O Direito à Prevenção e Reparação dos Danos, tal como o Direito à Protecção Jurídica e à Justiça Acessível e Pronta, deve ser também preservado. Se os serviços prestados não forem os melhores, o consumidor tem o direito de exigir o reparo, da mesma forma que, pode recorrer à justiça para salvaguardar os seus interesses e direitos.

Temos também o direito de ter alguém que nos represente, como é o caso de associações. Estas desempenham um papel importante e poderão levar mais além e, de uma forma mais credível os interesses do consumidor. Porém, o consumidor também tem deveres: o dever da solidariedade, da consciência crítica, da preocupação social, da consciência ambiental e o dever de agir, para que não seja explorado.

Podemos falar em vários tipos de  consumo, nomeadamente o consumo via Internet, nas lojas ou fora delas, vendas ao domicílio ou por correspondência, as vendas ambulantes, compras em saldos ou em época de liquidação total. Também igualmente se incluem os Serviços Públicos, gás, luz, água, telefone, compra de moradias ou andares, cosméticos, calçado ou mesmo prestação de serviço, em vários locais como por exemplo, as lavandarias.

Aprenda a valorizar o seu papel  na evolução do mercado e no desenvolvimento da economia nacional. Saiba que enquanto consumidor, tem direitos dos quais deve usufruir, nem que seja para, deixar a sua crítica, num simples livro de reclamações de um qualquer estabelecimento

 

Seja um consumidor informado, saiba mais sobre os seus direitos, consultando:

protecção aos consumidores

Fonte: Deco Proteste

Dia Mundial dos Direitos do Consumidor

A 15 de Março de 1962, o presidente dos Estados Unidos da América, John Fritzgerald Kennedy, num discurso junto do congresso resumiu pela primeira vez na história política moderna os 4 direitos fundamentais dos consumidores: “ … todos, sem excepção, somos consumidores e temos direito à segurança, à informação, à escolha e a ser ouvido”.

Mais do que comemorar um dia é importante termos consciência do nosso papel enquanto consumidores:

  • Devemos estar informados para podermos fazer as escolhas certas.
  • Devemos conhecer os nossos direitos para, assim, os fazermos valer.

 Os direitos reconhecidos aos consumidores na Constituição e na nossa Lei são os seguintes:

  • Direito à protecção da saúde e segurança;
  • Direito à qualidade dos bens e serviços;
  • Direito à protecção dos interesses económicos;
  • Direito à reparação dos prejuízos;
  • Direito à informação e à educação;
  • Direito à representação e consulta.

 Para saber mais sobre, “Como prevenir Conflitos de Consumo” e “Como actuar em Caso de Conflito de Consumo”,  consulte o seguinte site:

( clique na imagem para aceder ao site )

III Feira da Juventude e Formação Profissional – Estarreja

A Câmara Municipal de Estarreja, em parceria com a Escola Secundária de Estarreja, vai realizar nos dias 25 e 26 de Março a III Feira da Juventude e Formação Profissional.  Pretende-se incentivar a participação activa dos jovens na construção de um futuro colectivo melhor, divulgando-se junto da população escolar e comunidade em geral informações sobre orientação vocacional, saídas profissionais, empreendedorismo, mercado de trabalho e emprego.

O certame decorrerá no Pavilhão da Escola Secundária com o seguinte programa e horário:

25 Março
10h30 Sessão de Abertura
11h00 – 18h00 Empreendedorismo – Gestão de Mini-Negócios – CLDS
13h30 Carreiras Militares (Palestra – 1ª sessão) [Sala 1]
15h00 Técnicas de Procura de Emprego – GIP (1º Workshop) [Sala 2]
15h15 Carreiras Militares (Palestra – 2ª sessão) [Sala 1]
16h00 Empreendedorismo – A Criação do Próprio Emprego – CLDS (Workshop) [Sala 2]
21h00 À Conversa sobre… Reciclagem de Óleos Alimentares [Escola Secundária]

26 Março
10h15 – 18h00 Empreendedorismo – Gestão de Mini-Negócios – CLDS
10h15 Técnicas de Procura de Emprego – GIP (2º Workshop) [Sala 2]
13h30 Acesso ao Ensino Superior (Palestra – 1ª sessão) [Sala 1]
15h00 Acesso ao Ensino Superior (Palestra – 2ª sessão) [Sala 1]
15h00 Técnicas de Procura de Emprego – GIP (3º Workshop) [Sala 2]
21ho0 À conversa sobre… Casos de Sucesso da ESE [Escola Secundária]

Compareça! A sua presença é fundamental!

Empreendedorismo e o desenvolvimento científico…

O presidente da Fundação Ilídio Pinho afirmou hoje que a ciência é a saída para a crise que Portugal atravessa e que os portugueses têm a “responsabilidade patriótica” de criar uma sociedade dinâmica.

  “Esta é a saída para a crise em que estamos envolvidos – a Ciência. Sem isso, Portugal passará, qualquer dia, a ser um fornecedor de criados e criadas para o mundo”, alertou Ilídio Pinho, acrescentando que os portugueses têm a missão de “transformar a sociedade conservadora em dinâmica, que leve Portugal a responder às responsabilidades meritórias”.

Ilídio Pinho considera que “é preciso levar conhecimento científico aos jovens” e a todos os portugueses, de forma a haver “capacidade de resposta [aos desafios] hoje, em tempo real”, pois para enfrentar os desafios do futuro “é preciso que os jovens, a começar no pré-escolar, encontrem o seu caminho de apoio à participação no desenvolvimento científico”.

Notícia retirada do site: Ciência Hoje