Fernando Pessoa e a sua relação com a Contabilidade…

fernando20pessoaFernando Pessoa foi trabalhador do comércio: foi escriturário numa empresa de transitários na Baixa de Lisboa. E foi mesmo director da «Revista de Comércio e Contabilidade», cujo primeiro número saiu em Janeiro de 1929. A relação escriturário, guarda-livros, contabilista e a poesia é em Pessoa bem visível …

«É a imprescindível função de ajudante de guarda-livros que, surpreendentemente, lhe confere o potencial de escritor moderno, dividido entre o espectáculo dos sonhos que a sua própria alma lhe oferece como um “teatro íntimo” e aquele outro espectáculo, todo exterior, que lhe é dado pelo “dos sonhos que a sua própria alma lhe oferece como um “teatro íntimo” e aquele outro espectáculo, todo exterior, que lhe é dado pelo “colorido variadíssimo de Lisboa…», …

A contabilidade traz o poeta à realidade e não permite que fique numa dimensão apenas transcendental que de exacerbada prática pode conduzir à alienação e loucura; por outro lado a poesia leva o guarda-livros/contabilista a outra dimensão, não normativa, sem códigos ou coimas, espiritual e livre!“

Fonte:  NothingandAll

Advertisements

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: